Implicante

/ Notícias

22 de setembro de 2011

Maracanã: reforma com grana pública, entregue à iniciativa privada

white 15 Maracanã: reforma com grana pública, entregue à iniciativa privadaKindle

cabral Maracanã: reforma com grana pública, entregue à iniciativa privada

O querido amigo Sergio Cabral não é exatamente um sujeito fácil no que tange à compreensão de seus atos. Na segurança pública, por exemplo, criou as comunidades pacificadas-sem-paz-efetiva, naquelas ocupações em que prendiam meia pessoa e dois gramas de orégano.

Para a Copa, ele parece adotar outra forma bem particular de gestão pública: reforma um estádio com grana do erário e depois o entrega “concedido”. Concessão, quando se trata desse tipo de propriedade, é o sistema pelo qual um bem público é passado à iniciativa privada, que o explora economicamente em troca de melhorias (dessa vez, porém, já chega “melhorado”). Resta saber o valor a ser pago para receber de bandeja um dos mais conhecidos cartões-postais do RJ.

Leiam trecho de reportagem do Globo Esporte, logo voltamos:

Sérgio Cabral amplia data de entrega do Maracanã para fevereiro de 2013 – Em Londres, governador do Rio revela participação da iniciativa privada por investimentos para deixar para trás o atraso por conta da greve nas obras – O cronograma a passos lentos nos últimos meses, causado por revisões no projeto e, sobretudo, pela greve dos operários nas obras, começou a transformar o uso do Maracanã em uma incógnita para a Copa das Confederações. Em Londres para uma série de eventos, o governador do Rio, Sérgio Cabral admitiu que o prazo de dezembro de 2012 já não existe. Mas garante que em fevereiro de 2013 – quatro meses antes da competição – o estádio estará pronto. E, para isso, contará com a participação da iniciativa privada, em concessão cujo processo já teve início.

- A data está confirmada oficialmente. Entregaremos o Maracanã já concedido – disse Cabral.” (grifos nossos)

E o caldo entorna mais um pouco quando vamos saber quem toca a obra. Trata-se da Delta Construções, com Odebrecht e Andrade Gutierrez. Além de algumas informações pouco abonadoras no toque da obra, há o lamentável acidente de helicóptero que acabou – de forma indireta – tornando públicas algumas relações do governador fluminense e o dono da constrotura (aqui tem mais).

Recapitulando: além do governador do RJ ter um amigo como dono de uma das empresas que reformam o maracanão, ele também anuncia que o estádio já estará “concedido” quando estiver pronto. Esse é um dos casos em que não precisamos soltar o “imagine na Copa”, dada a antecipação dos fatos.

compartilhe

Tópicos , ,

15 Comentários

  1. Thiago8 de outubro de 2011 às 01:36

    Poxa, isso vai virar monologo… o alexandre some daqui… =/

    Mas vou continuar postando por aqui =D

    A última “boa” notícia é essa aqui: http://oglobo.globo.com/esportes/copa2014/mat/2011/10/06/paes-sugere-que-governo-pague-diferenca-dos-ingressos-nos-casos-de-meia-entrada-na-copa-de-2014-925524542.asp

    Espero ser estudante durante a Copa do Mundo 2014 e fazer todo o povo brasileiro pagar metade do meu ingresso! Afinal, o povo quer a Copa e eu quero ver alguns jogos, então eles que arquem com a outra metade em prol do lucro da entidade privada, organizadora do evento privado, chamado Copa do Mundo, pois eu vou exercer o meu direito de pagar meia entrada! (caso ainda tenha esse direito)

    Bem, nem vou esperar o alexandre responder ou comentar a nova notícia… sei que ele não quer passar mais vergonha do que já passou =P

  2. Thiago4 de outubro de 2011 às 02:46

    Alexandre

    Para de ser ridículo! Não invente coisas que não falei!

    1º Que esses bandidos fardados só foram presos devido a um crime com repercussão (ninguém vai prender os PMs que estavam fazendo papel de cambista lá na porta do Rock in Rio no domingo!);

    2º No meu comentário, quando falo em bandido, é referente aos traficantes das áreas da UPP;

    3º Esse comandante era o responsável pelos índices do 7º BPM.

    “…
    Índices de criminalidade

    No documento, o promotor Paulo Roberto diz que Mário Sérgio afirmou que Cláudio foi para o batalhão para melhorar os índices de criminalidade em São Gonçalo e que, em função da cobrança dele, a tropa, em retaliação, começou a insuflar Patrícia contra o comando.

    …” – http://odia.ig.com.br/portal/rio/html/2011/10/promotor_deu_alerta_ao_comando_da_policia_militar_196761.html

    E ai? Qual vai ser a desculpa para os tais índices? Você não entende o sistema e quer defender o que não conhece nem a sombra! (Nem vou repetir que nas áreas da UPP existe o bônus pelos baixos índices de criminalidade e que alguns batalhões dão uma arrumada para atingir as metas e levar a gratificação para casa…)

    Mas e o resto do comentário? Só ficou nessa resposta mixuruca ai? … ?

  3. Thiago3 de outubro de 2011 às 16:00

    O Alexandre sumiu daqui… mas vamos lá, pelo menos para registro!

    “…
    Bebidas alcoólicas, meia-entrada…

    Alguns dos detalhes são a proibição de venda de bebidas alcoólicas nos estádios – já que uma cervejaria é um dos patrocinadores da Copa -, meia-entrada para estudantes e combate mais vigoroso à pirataria, todos pedidos que a Fifa quer reconsiderar. A entidade tratou o contato como “positivo” e lembrou que as exigências são as mesmas feitas à África do Sul, em 2010, e posteriormente à Rússia, em 2018.

    Silva assegurou a intermediação nas discussões com governos estaduais e com a própria CBF para que se chegue, até o fim do ano, em um denominador comum. Em entrevista ao programa Arena SporTV, na sexta-feira, o ministro do Esporte revelou que a Fifa quer que o governo brasileiro suspenda o Estatuto do Idoso, o Estatuto do Torcedor e o Código do Consumidor durante a realização do Mundial de 2014, o que já foi prontamente negado.” – http://globoesporte.globo.com/futebol/copa-do-mundo/noticia/2011/10/governo-recua-em-reuniao-com-fifa-e-admite-rever-pontos-da-lei-geral.html#edicaocampeonato-copa-do-mundo-2014

    Espero que o Alexandre esteja torcendo para o governo não arregar para a FIFA e faça as vontade de uma entidade privada, a qual vai realizar um evento privado e que exige que a legislação de um país seja modificada! Ou será que ele é a favor de atender a FIFA para que a Copa do Mundo seja um sucesso?

  4. alexandre29 de setembro de 2011 às 19:01

    Thiago
    vc não queria prisão de bandido ? taí ai, como está estampado na capa do jornal o dia. Ou vc acha que ele foi preso pela polícia de são paulo ?

  5. Thiago28 de setembro de 2011 às 15:38

    Alexandre,

    olha a capa do O Dia… depois você vem me falar de índice tá!

    http://odia.terra.com.br/portal/home/fixos/pdf/11/09/28092011.pdf

  6. Thiago27 de setembro de 2011 às 04:35

    Cil

    A ideia do Cabral é exatamente essa, tirar os bandidos que são chefões do crime organizado, da cidade e depois do Estado do Rio. Assim não aparecemos (cidade e estado) de modo tão negativo na mídia!

    E basta ver que quando algum desses chefões são presos, as autoridades ficam doidas para entregá-los ao governo federal e mandá-los para outros estados.

    -

    Alexandre

    Me responda uma coisa: de onde você é? Pelo jeito que fala, deve ser morador de Zona Sul!

    Não deveria falar, mas já fui estagiario de um setor da Policia Militar do Rio de Janeiro e vi como algumas coisas funcionam lá dentro.

    Você não vai saber que os bandidos intimidam comerciantes próximos as favelas a assinarem a carteira de trabalho de bandidos, para quando morrerem, poderem falar que eram “trabalhadores”. Fazendo com que a família do “trabalhador” peça indenização ao governo estadual, mas só isso só ocorre quando o governo não consegue provar que o bandido era realmente bandido. E tem o lado do governo preferir pagar uma “merreca” com o erário, do que ficar se preocupando em provar que o morto era bandido, sai mais barato pagar para não ter aporrinhação!

    Você também não deve saber que homicídio é um dos poucos crimes que não precisam de ser testemunhados para serem registrados, pois quando encontra-se um corpo, automaticamente abre-se a investigação para apurar se foi homicídio, suicídio e afins. E alias, os índices de resolução de crimes no Brasil, e em especial no Rio de Janeiro, são ridículos! Falar de índices no Brasil, de forma geral, é ridiculo!

    Sem falar que em algumas UPPs, os policiais assumiram as operações do tráfico, o que a PM faz nesses casos é mandar o PM envolvido para outro lugar, pois se colocar na rua, vai faltar PM. Por isso, uma das táticas das UPPs é forma praças novos e mandá-los para as UPPs, pois estes ainda não possuem o vício do arrego e afins. Mas alguns logo descobrem as “maravilhas” de serem corruptos.

    Já que você elogia tanto as UPPs, por que não da os créditos a quem realmente teve a ideia sobre estas? Você sabe quem teve a ideia? Deve achar que a ideia é do Cabral né?

    E nem querendo entrar em outros assuntos, mas tu também não deve saber como é o esquema das UPAs né? E do esquema do SAMU na cidade do Rio de Janeiro, tu sabe? … É muito fácil falar bem das coisas sem saber o que tem por trás delas, e é mais fácil ainda falar que os outros criticam só por criticar! Você pode ter uma visão boa da coisa, mas não está enchergando o todo, é beneficiado por uma parte dessa coisa, mas se esquece das consequências dessa parte para os outros! … Bem, isso é típico de esquerdista, que defende o socialismo, mas só querem os benefícios, de preferência, o benefício próprio!

  7. alexandre26 de setembro de 2011 às 23:40

    Se para vc a UPP fracassou e é um fiasco, qual a sua solução ? Acabar com as UPPs ? Abandonar os morros já pacificados ? Voltar ao que era antes ? Bandidos agirem como chefes ? A UPP acabou com o domínio do tráfico nas favelas mas vc achou isso um fiasco ! Vc acha que a vida numa favela era melhor quando era dominada por um bandido ?

    (Gravz: Alexandre… NÃO HÁ MORRO PACIFICADO! É conversa-mole. Os bandidos – avisados com antecedência – vão para outro lugar. Fica, assim, uma “impressão de paz”, que pode ser quebrada a qualquer momento. E foi. Paz = prender o criminoso ou, sei lá, conseguir acabar com o crime. Minha sugestão – veja que revolucionária! – é prender os bandidos. A de Cabral, apoiada por vc, é promover mudança de bairro)

  8. alexandre26 de setembro de 2011 às 20:57

    Bandidos da mangueira e do alemão foram presos em outras localidades. Está na imprensa escrita e na internet. Só não pegaram os chefões do morro. Mas mesmo quando a polícia invadia sem avisar, os chefões não eram presos. A UPP começou em 2008 e continua dando resultados. Se fosse um fracasso, o povo carioca seria o primeiro a reclamar. Mas o que importa é que os beneficários (a população carioca no asfalto e no morro) estão satisfeitos. Se a paulistada critica, só lamento.

    (Gravz: SOMENTE não pegaram os chefões… Pelo Rock in Rio deu para ver a calmaria que tá o negócio)

  9. alexandre26 de setembro de 2011 às 06:27

    Gravataí
    As relações entre o Cabral e a empreiteira são promíscuas, o governador não é flor que se cheire. Mas me revolta ver uma coisa que dá certo ( as UPPs) serem motivo de politicagem só para atingir o governador. A UPP foi a melhor coisa que aconteceu no RJ nesses últimos anos. Moro perto de favelas pacificadas e melhorou muito o nível de vida. Via tiroteio todo o dia entre grupos rivais. Depois da pacificação, desapareceram. E os índices que diminuiram foram de homicídios (sinceramente não acredito que uma pessoa que escreve um blog de política diga que os que caíram foram de pequenos furtos, vc tem que fazer sua lição de casa). E dizer que a pacificação falhou no Alemão só porque teve tiroteiro depois é uma enorme bobagem. Em quase um ano de pacificação, teve somente UM tiroteiro, e mesmo assim os tiros vieram dos morros vizinhos ainda não pacificados. Antes era todo o dia. E bandidos estão sendo preso sim. Vários do Alemão foram presos em outras localidades. É só procurar na imprensa. E sobre o fim do tráfico, até seu vizinho pode estar vendendo um bagulho sem ninguém perceber.

    (Gravz: Não, não dá certo. Isso de “avisar antes” é o truque. Os traficantes saem, CONTINUAM LIVRES e, em algum tempo, montam novamente o esquema em outro lugar. Ou vc acha que eles aproveitarão a chance para investir num negócio legal, sei lá, papelaria ou avícola? Por que os índices baixam? Porque eles desocupam uma operação de tráfico, mas… SEM PRENDER os traficantes. A médio prazo, isso está estabelecido em outro lugar. E aí tudo volta ao normal – óbvio. Ação de Segurança Pública sem prisões, desculpa, é paliativo. Pura maquiagem. E o Morro do Alemão, de forma precoce, mas também óbvia, comprovou isso. As UPPS são, para a segurança pública, o que as obras do Maluf são para o planejamento urbano)

  10. alexandre25 de setembro de 2011 às 22:03

    Gravataí
    vc tem que se reunir com os comentaristas desse blog para dar uma resposta plausível às UPPs. Uns falam que houve acordo com os bandidos e que ele continuam traficando mas sem armas nas comunidades, outros falam em “manipulação” dos índices de violência, e outros dizem que os bandidos fugiram para o Nordeste. Afinal, qual o mistério da queda de criminalidade do RJ ? Se não foi a UPP, qual a causa ?

    (Gravz: Vc não sabe o que fala. Sério. Diminuiu a CRIMINALIDADE? Os índices que baixaram foram os de pequenos furtos. Pode procurar qq pesquisa. O tráfico nã diminuiu, continuam vendendo e comprando. Os traficantes NÃO foram desarmados – ocuparam o morro e achavam no máximo um tresoitão enferrujado. Qual o procedimento, pra ser franco, não sei. Mas, sim, avisavam antes de “pacificar”. Depois de ocupar o morro, não há paz, como VIMOS no Alemão. Mas essa é a parte mais controversa [cujos dados são coletados pelo próprio governo fluminense]; o sintomático é vc não ter dito NADA sobre os laços de Cabral e Cavendish… Continuamos acertando, né? :D)

  11. Cil25 de setembro de 2011 às 16:58

    E ainda bem que ele viaja né! O engraçado dessa “pacificação” no Rio é que os bandidos “pacificados” estão migrando para outros estados. Vários bandidos vindos do sudeste, particularmente do Rio, estão aportando aqui no nordeste.

  12. Thiago25 de setembro de 2011 às 02:25

    Alexandre

    Sou carioca e votei no Cabral (coisa que me arrependo profundamente!). Então posso meter o pau né?

    1º: o projeto das UPPs não é do Cabral.
    2º: o “governo” avisa quando vai “tomar” uma comunidade e pacificá-la, com bastante tempo para os traficantes levarem seus arsenais e estoques para lugares seguros.
    3º: o tráfico de drogas não some, ele só é realizado sem armamento de guerra.
    4º: como os traficantes se mudam, esses bandidos vão agir em outras áreas. Lugares antes calmos, estão em guerra devido a pacificação de algumas comunidades (diga-se de passagem que a maioria das comunidades pacificadas estão na zona sul, e agora indo para a Tijuca e Centro da cidade, quando chegarem a Zona Oeste, você pode tentar defender o Cabral!)
    5º: outro problema é que com a presença dos traficantes nas comunidades, vários crimes não eram comunicados oficialmente as autoridades, logo, os indices de alguns crises se elevaram pelo simples fatos deles “existirem” agora. Sendo que tais crimes em nada tem a ver com o tráfico. Tais crimes com relação ao tráfico podem ter diminuido ou simplesmente terem sido mascarados (o Cabral paga altos bônus para áreas pacificadas que tiveram redução dos crimes… e não seja ingenuo ao ponto de achar que não camuflam tais estatísticas!)
    6º: existem problemas com a operacionalização das UPP que não são divulgados amplamente pela mídia, mas como você vai saber disso né? Afinal, a mídia é manipuladora contra o governo… ¬¬”

    Sério, você deveria ficar calado ou tentar diminuir a quantidade de asneira, em forma de ataque, que propaga!

  13. alexandre25 de setembro de 2011 às 00:32

    Gravataí
    Se a política de segurança do estado é equivocada como vc explica a queda da criminalidade na cidade ? E o fato dos moradores das favelas pacificadas apoiarem a ocupação ? E a tal “guerra do Alemão” ? Já acabou ? Mas não tinha fracassado a ocupação do exército, como vcs disseram ? Eu começo a desconfiar que vcs falam essas bobagens para perder eleição de propósito. Imagine esse blog num eventual governo Serra . Não iriam poder falar mal dele ! Seria engraçado.

    (Gravz: Sim, fracassou a ocupação PELO Exército – já que ninguém ocupou o exército em si. Fracasso: dias depois da “pacificação” sai tiroteio. Isso é paz? Não. DIminuíram índices? Nâo sei até que ponto podemos confiar na polícia fluminense, mas Cabral já está em seu segundo mandato. Compare esses números aos de outros estados. Sei lá, São Paulo, por exemplo. E, de novo, é engraçadíssimo que vocÊ se atenha às UPPS – que,sim, são um fiasco -, mas não solte um ‘piu’ sobre a relação entre governo e Delta… COmpreensível vc ter vergonha disso)

  14. alexandre24 de setembro de 2011 às 07:33

    Pois essas “comunidades pacificadas-sem-paz-efetiva, naquelas ocupações em que prendiam meia pessoa e dois gramas de orégano” diminuriam em muito os índices de criminalidade e melhorou a vida das pessoas naquelas comunidades (onde vc acha que elas viviam melhor sobre a chefia de um traficante ? )
    Mas é óbvio que vc iria criticar a UPP. Primeiro por seu paulista (sim, paulista tem uma puta inveja do RJ e uma maneira de falar da cidade é dizer que ela é violenta. Com a redução da violência, vcs vão arrumar o que para falar mal da cidade ?) e segundo por ser tucano-serrista (afinal o Cabral é aliado do PT).

    (Gravz: Inveja do Rio? Não, não é bairrismo. Se acontece algo no Ceará ou na Suécia, acredite, minha posição quanto ao fato independe da localizão geográfica – ou geopolítica. Cabral alegou ter PACIFICADO um morro que, dias depois, entrou em guerra. E, não, não acho que estivessem melhor sob traficantes – nem sob milícias. O problema é que NINGUÉM vai preso nessas pacificações. Daí isso de tucano-serrista, paulistano, convenhamos, é balela sua. Vc já foi melhor – não que seja uma façanha perto desse último comentário. Melhore novamente, ou ao talvez “menos piore” que já ajuda :D)

  15. Thiago22 de setembro de 2011 às 23:57

    E ainda tenho que escutar algumas pessoas achando que vão ver jogos da Copa… ¬¬”

Publicidade
Publicidade