Notícias

Dilma pensa em demitir Orlando Silva e manter controle do Esporte com partido ligado a escândalos

Em reunião realizada na madrugada desta quinta (20), a presidente Dilma decidiu afastar o ministro Orlando Silva do cargo. Apesar de acreditar na inocência de Silva, Dilma avaliou que mantê-lo à frente da pasta geraria mais desgastes numa área sensível do governo que é o Ministério do Esporte. De acordo com o jornal O Estado de São Paulo, o nome mais cotado para ocupar o lugar de Orlando Silva é o da ex-prefeita de Olinda (PE) Luciana Santos, também do PCdoB.

Abaixo as informações Estadão:

BRASÍLIA – Preocupada com a crise no Ministério do Esporte, a presidente Dilma Rousseff convocou uma reunião de emergência logo que chegou de Angola, na noite desta quinta-feira, 20, com a coordenação política do governo. Apesar de não ter convicção do envolvimento do ministro Orlando Silva em fraudes nos convênios da pasta, Dilma está certa de que o desgaste político é irreversível. Ela decidiu substituir Orlando, mas a tendência é que mantenha o ministério com o PC do B.

Dilma ouviu os relatos do ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo, sobre o andamento das investigações na Polícia Federal e no Ministério Público. A pedido de Orlando, a Advocacia-Geral da União impetrou queixa-crime contra o policial militar João Dias Ferreira e o motorista Célio Soares Pereira, que o acusam de desvio de recursos no programa Segundo Tempo.

“Nós temos de ter muita serenidade nessa hora porque não apareceu nenhuma prova contra o Orlando”, disse o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, momentos antes de participar da reunião com Dilma, no Palácio da Alvorada. Carvalho afirmou que o governo não planeja tirar o ministério do PC do B.

A saída de Orlando, porém, é considerada questão de tempo pelo Palácio do Planalto. Auxiliares de Dilma suspeitam de ações da Fifa e da CBF para desgastar o ministro, mas o PC do B vê o dedo do PT na operação e avisou que abrirá guerra contra o governador petista do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, caso seja abandonado à própria sorte.

Ainda em Angola, Dilma defendeu Orlando e o PC do B, definido por ela como um aliado histórico. “Não se faz apedrejamento moral de ministro”, afirmou. “Temos de apurar os fatos, temos de investigar. Se apurada a culpa das pessoas, puni-las. Agora, isso não significa demonizar quem quer que seja, muito menos partidos que lutaram no Brasil pela democracia.” Dilma qualificou como “tolice” os comentários de que o governo está em rota de colisão com o PC do B.

Íntegra aqui.

Comentário:

O esforço de Dilma poderá ser inócuo já que os escândalos no ministério não se resumem à suposta ligação de Orlando Silva com esquemas de desvio no Esporte. Ao contrário, de acordo com as denúncias tornadas públicas nos últimos dias, outros integrantes do PCdoB estariam envolvidos no esquema já que os desvios serviriam para abastecer – também – os cofres do partido.

Hoje o jornal Folha de São Paulo informa que o Ministério do Esporte repassou nos últimos anos R$ 9,4 milhões a uma organização não governamental dirigida por dois ex-cabos eleitorais de um integrante da cúpula da pasta, o secretário de Esporte Educacional, Wadson Ribeiro.

Caso seja confirmada a informação do Estadão, e Dilma opte por manter o PCdoB no comando da pasta, a presidente não terá se livrado do problema, apenas transferido a titularidade.

Notícias Recentes

To Top