Implicante

/ Notícias

25 de março de 2011

Empresário libanês dá carro de presente ao ex-presidente Lula

white 15 Empresário libanês dá carro de presente ao ex presidente LulaKindle

LULA ARABE 300x199 Empresário libanês dá carro de presente ao ex presidente Lula

Reportagem do jornal O Globo, por Leila Suwan e Tatiana Farah (grifos nossos):

“SÃO PAULO – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ganhou de presente um carro do libanês Youssef Chataoui, empresário que se estabeleceu no Brasil após ser preso e acusado de se envolver na disseminação da doença da “vaca louca” na França, em 2001, por importação ilegal de insumos contaminados para ração animal. Em nome de sua empresa, a Agrostar, as chaves do veículo foram entregues a Lula como “doação” ao Instituto Cidadania, onde Lula despacha, com direito a fotos e aplausos no jantar com a comunidade árabe segunda-feira no Clube Monte Líbano , com mais de 500 convidados.

(…)

Funcionários da Agrostar informaram que a empresa “não quer sair na imprensa”. O diretor, que se identificou como Omar, disse que o veículo é um “utilitário”, para uso institucional da entidade de Lula; que a doação foi feita por meio de “pessoa física”; e que Chataoui entraria em contato para esclarecimentos, o que não ocorreu. O condomínio registrado como endereço residencial de Chataoui informou que ele não mora no prédio, localizado em Higienópolis, bairro de luxo da capital. Seu advogado em Paris não foi localizado nesta quinta-feira à noite.

(…)”

Íntegra da notícia aqui. Outra reportagem de O Globo conta que o mesmo empresário havia sido recebido por Lula um mês antes do jantar em que o presente foi oferecido:

“(…) o empresário libanês Youssef Chataoui apresentou o ex-presidente ao xeque Fahad Al Athel, um magnata saudita que viajou a negócios pelo Brasil. A visita incluiu audiências com prefeitos petistas e até com o governador da Bahia, Jaques Wagner, em Salvador. Ciceroneado por Chataoui, a última parada do megainvestidor foi em São Francisco do Conde (BA), pequeno município com prefeita do PT, Rilza Valentim, que abriga a refinaria Landulpho Alves, da Petrobras.

A etapa baiana do tour, realizado em seu avião particular, mostrou a estreita relação entre Chataoui e o PT. O saudita, que atua nos ramos petroleiro, financeiro e de infraestrutura, encontrou-se com deputados e dois prefeitos petistas, das cidades de Maraú e Maragogipe. A primeira cidade baiana tem uma extensa reserva de gás, e a segunda será posto de fabricação de estaleiros para plataformas de petróleo. Um dirigente estadual do PT, Marco Resende, negou que Lula tenha intercedido a favor do xeque e de Chataoui.

Como revelou O GLOBO nesta sexta-feira, Chataoui é um empresário que se estabeleceu no Brasil após ser acusado, em 2001, de disseminar a doença da “vaca louca” na França, onde tinha empresas de ração animal. Chegou a ser preso após uma tentativa de vir para o Brasil, enquanto estava sob supervisão judicial, segundo o noticiário local. Um de seus advogados em Paris informou que ele foi absolvido.

- Sou o advogado dele, mas não posso falar pelo meu cliente. Ele foi absolvido, e o caso está encerrado – disse François Proust, da firma de advocacia de Jean-Louis Cocusse, que representou Chataoui em 2001.

O carro que Lula ganhou para o Instituto Cidadania, segundo o assessor Paulo Okamoto, é da General Motors, para “uso executivo” e conta com blindagem completa. Um modelo Captiva blindado, por exemplo, custaria cerca de R$ 130 mil. Okamoto negou que Lula tenha relação com o libanês, que, por sua vez, sustenta ser “amigo pessoal” do petista. A audiência realizada em São Paulo para apresentar o xeque saudita aconteceu em fevereiro: Lula foi convidado a participar de uma conferência com empresários árabes no Brasil. O plano do saudita é reunir os cem maiores investidores árabes na Bahia governada pelo PT.

- Esse empresário não tem relação com Lula. Quem, em tese, deu o presente foi o pessoal que organizou o evento de homenagem a Lula. O carro é da General Motors. É de uso executivo blindado, mas não vamos falar a placa, número e cor – disse Okamoto. - Foi dado e não roubado, né? Vamos pegar com o maior gosto. Se é de um empresário que tem negócios lícitos no Brasil, partimos do pressuposto que é uma pessoa de bem.

(…)”

Leia a matéria completa aqui.

Comentário:

À primeira vista, pode parecer que Lula ficou com inveja do companheiro Silvio Land Rover Pereira, e resolveu ganhar um carro de presente “como nunca antes na história deste país”. Mas, na verdade, o que ele quer mesmo, junto de notórios companheiros, como o citado Paulo Okamoto, é competir com o companheiro Zé Dirceu no ramo de “consultor de empresas privadas” através do tal Instituto Lula. Alguém realmente acreditou que esse Instituto seria, como anunciado, uma  espécie de think tank petista ou ONG de pretensões globais?

compartilhe

Tópicos

2 Comentários

  1. Razumikhin31 de outubro de 2011 às 16:39

    Para o Collor foi uma Elba e um pé na bunda..

  2. Carlos Mendes29 de setembro de 2011 às 11:29

    Meu comentário é:

    hahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahaha, isso é uma piada!!!

Publicidade
Publicidade