Implicante

/ Notícias

11 de julho de 2011

Farra da Copa: Dinheiro Público para Estádios Privados

white 15 Farra da Copa: Dinheiro Público para Estádios PrivadosKindle

lulaselecao1 Farra da Copa: Dinheiro Público para Estádios Privados

A Folha publicou reportagem (íntegra para assinantes) inquietante sobre o funcionamento de algumas PPPs para construção de estádios para a Copa do Mundo. Leiam trechos, voltamos em seguida:

Dinheiro público sustenta parcerias em estádios da Copa – Apesar de presença do setor privado, verba dos governos supera 60% dos orçamentos das arenas em BA, CE e PE – Procuradoria afirma que modelo das PPPs foi desvirtuado porque a verba deveria sair das empresas interessadas – O dinheiro público está bancando mais de 60% das obras de estádios da Copa-2014 erguidos com as PPPs (parcerias público-privadas). O grupo do Ministério Público Federal que acompanha a preparação do evento diz que isso desvirtua o modelo, no qual o setor privado financia e executa determinada obra ou serviço em troca do direito de concessão. No caso mais grave, o setor público se comprometeu com 80% do orçamento da reconstrução do estádio da Fonte Nova, em Salvador (…) Mesmo tendo optado pela PPP, os governos de Bahia, Ceará e Pernambuco receberam um financiamento total de R$ 1 bilhão do BNDES para erguer arenas que vão custar, juntas, R$ 1,76 bilhão. O banco de fomento da União ainda analisa pedidos para as arenas de Minas Gerais e do Rio Grande do Norte. Bahia e Ceará contraíram empréstimos para repassar o dinheiro às parceiras privadas. Pernambuco vai usar a maior parte da verba para ressarcir o que foi investido (…) Segundo a procuradora, caberia ao empreendedor privado buscar o empréstimo no mercado, oferecendo garantias corporativas em troca do dinheiro. Mesmo sendo capazes de financiar sozinhos suas arenas, Estados que optaram pela PPP estão desobrigados de fazer licitações. Isso significa agilidade, mas dificulta a fiscalização dos recursos. Técnicos do Tribunal de Contas da Bahia recomendam que só 20% do empréstimo seja liberado até que os responsáveis apresentem o projeto da arena Fonte Nova. O caso ainda não foi julgado. Além de pegar R$ 323,63 milhões do BNDES para repassar ao parceiro privado, o governo da Bahia emprestou R$ 50 milhões para demolir o estádio velho. O restante foi emprestado ao consórcio pelo Banco do Nordeste. Após a conclusão da obra, o governo baiano terá que pagar cerca de R$ 1,5 bilhão em 15 anos, valor três vezes maior ao inicialmente orçado. Também está prevista divisão de lucros e prejuízos entre os parceiros pelos 35 anos da concessão da arena. Se o estádio fechar o ano no zero, a Bahia terá que bancar metade do custo de manutenção, que é estimado hoje em R$ 2 milhões… (grifos nossos)

Comentário
As PPPs (Parcerias Público-Privadas) funcionam (ou deveriam funcionar…) assim: determinada empresa ou consórcio privado executa uma obra e, depois de pronta, ganha o direito à concessão e exploração. Esse tipo de vínculo contratual é comum em áreas de atuação direta da Administração Pública (como a saúde). É de estranhar que tenham optado por isso para construir estádios (bastaria uma empresa construir e, pronto, é dela).

Daí começa a farra. O BNDES empresta PARA OS ESTADOS, que repassam aos consórcios, que constroem os estádios sem colocar um tostão e, depois, ganham o direito de explorá-lo. Negócio infalível (para o setor privado que consegue a honra de ‘realizar’ uma obra assim).

Entenderam agora alegria de alguns políticos quando fomos escolhidos como sede da Copa do Mundo? Alegria sincera, de fato. Mas talvez nem gostem de futebol. Gostam de PPPs com dinheiro público.

compartilhe

Tópicos

2 Comentários

  1. LEITOR ASSUSTADO21 de julho de 2011 às 14:24

    ELES PEGARAM O DINHEIRO DO POVO E VÃO RIR ANOS A FIO DO MODO COMO PASSARAM A PERNA NA POPULAÇÃO.
    SOCIALISMO COM PREJUIZO
    PRIVATIZAÇÃO COM O LUCRO.

  2. Ismael Pescarini12 de julho de 2011 às 13:56

    Isso sim é privataria.

Publicidade

Enquete

Escolham os nomes dos dois mascotes olímpicos do Rio:

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
Publicidade