Implicante

/ Notícias

15 de março de 2011

Lula quer países latinos, árabes e africanos no Conselho de Segurança da ONU

white 15 Lula quer países latinos, árabes e africanos no Conselho de Segurança da ONUKindle

Esta reportagem d’O Globo precisa ser comentada.

 Lula quer países latinos, árabes e africanos no Conselho de Segurança da ONU

Em palestra, Lula cobra vaga permanente no Conselho de Segurança da ONU para país da América Latina e exalta democracia no Brasil (…)

- Hoje, os organismos multilaterais precisam se reformar, para que possam dar voz e vez para todos. Eles representam a geografia política de 1945 e não a geografia política de 2011. Como se explica que os países árabes não tenham pelo menos um representante, um assento no Conselho de Segurança? Como se explica que a China esteja no conselho, e o Japão não? Como se explica que a África não tenha assento? Como se explica que a América Latina não tenha nenhum representante permanente no Conselho de Segurança? – questionou Lula durante o evento.

“Os organismos multilaterais precisam se reformar, para que possam dar voz e vez para todos. Eles representam a geografia política de 1945 e não a de 2011″ – O Conselho de Segurança tem 15 membros, cinco deles permanente – China, França, Reino Unido, Rússia e Estados Unidos -, que tem poder de veto nas decisões…”

“- É por isso que brigamos tanto por uma mudança no Conselho de Segurança, que deveria ser uma instituição multilateral capaz de dar voz ativa, por exemplo, na solução das crises no Oriente Médio (…). Mas para que isso aconteça, é necessário que o Conselho de Segurança seja mais representativo e tenha muito mais pessoas. É necessário trazer mais membros, novos membros. Precisamos de novos negociadores. É necessário ter vontade política.”

“- Eu quero mostrar a minha solidariedade a todos aqueles que no Oriente Médio e em qualquer parte do mundo que lutam pela liberdade, que lutam pela democracia, que lutam por justiça social.”

(grifos nossos)

Comentário
Por onde começar? Lula reivindica assento no Conselho de Segurança da ONU, mas já começa estropiando a história. Afinal, dos cinco permanentes, dois não tinham nem estrutura digna para serem chamados de “países” em 1945. A França, destruída pela guerra, e a China ainda medieval. Mas, ok, é o Lula e já nos acostumamos a perdoar suas bobagens (essa até que foi pequena).

Mas, exatamente por ser Lula, ele não goza de boa fama entre os donos de assentos permanentes no CS da ONU. Sua amizade com ditadores como os do Irã e Líbia e o apoio irrestrito aos regimes de Cuba e de Hugo Chávez não são exatamente pontos positivos no currículo de quem pleiteia ter poder de veto em tal órgão.

Quando visitou Cuba, e um militante anti-ditadura MORREU, não apenas minimizou como tratou com esculacho a situação: comparou o libertário a “criminoso comum”. Analisando as eleições do Irã, mais uma vez usou seu talento impressionante para as analogias (respeitando as pessoas, sobretudo): os opositores da ditadura iraniana seriam como torcedores de um time rival.

É esse mesmo ESTADISTA, perito em política internacional, que deseja assento permanente no Conselho de Segurança. Ridículo, para ser gentil.

Para os brasileiros, as abobrinhas de Lula nos palanques costumam ser ótimas e até mesmo funcionais. A imprensa, de que ele tanto reclama, raramente desnuda seus erros contextuais, maluquices e afins.

Mas no exterior é diferente. Se eles acreditaram na propaganda brasileira de que tudo ia bem, por isso já difundiram Lula como um presidente respeitável, também é preciso considerar que NÃO engolem sapos como nossa imprensa e povão, analisando assim criteriosamente o que ele diz sobre geopolítica – não que precise de muito critério quando se dá abraços em Ghaddafi, Ahmadinejad, Fidel e outros heróis da liberdade.

Sem dúvida, Lula é um mito e, como tal, sempre corria o risco de ser desmitificado. Na política internacional, isso já aconteceu faz tempo e os analistas sérios talvez gargalhem quando ele se mete a falar de Conselho de Segurança.

Aqui, por enquanto, a plateia pró-bobagens ainda é altíssima. Não apenas militantes, mas também gente da imprensa – essa que eles chamam de “golpista”.

compartilhe

Tópicos , ,

4 Comentários

  1. Josy4 de abril de 2011 às 09:50

    Lula… por que não te calas?

  2. Alfredo Nochi21 de março de 2011 às 14:59

    Engraçado você responder com um ad hominem. Isso diz muito sobre quem vota em quem.

  3. Alfredo Nochi16 de março de 2011 às 17:07

    Quer dizer então que você é contra o Brasil ter um assento no conselho de segurança da ONU? Você comentou sobre um monte de coisas, mas sua opinião sobre a motivação principal da matéria (Lula pleiteando uma posição para o Brasil no conselho) ficou nebulosa.

    (Gravz: Você REALMENTE depreendeu isso do texto? Bom, isso diz muito sobre quem vota em quem…)

  4. Elizabeth15 de março de 2011 às 16:54

    Ou seja, ele só quer ditadores. É pá cabá!

Publicidade
Publicidade