Implicante

/ Notícias

1 de março de 2012

Mercadante: MEC não tem culpa de o Brasil ser grande

white 15 Mercadante: MEC não tem culpa de o Brasil ser grandeKindle

aloizio mercadante cae senado dossie aloprados 20110628 size 598 550x309 Mercadante: MEC não tem culpa de o Brasil ser grande

Em audiência no Senado, o ministro da Educação explicou o motivo das falhas do ENEM: o país é grande demais… Notícia do Estadão:

Na primeira vez que esteve no Senado na condição de ministro da Educação, Aloizio Mercadante atribuiu ao tamanho do Brasil os problemas que marcaram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As últimas edições do programa, que avalia a qualidade do ensino no país e garante aos estudantes que tirarem as melhores notas acesso às universidades públicas, foram marcadas por denúncias de irregularidades. “O MEC não tem culpa de o Brasil ser tão grande e tão diverso”, disse Mercadante, durante audiência realizada hoje na Comissão de Educação e Cultura.

Mercadante afirmou que “não é fácil fazer um exame” para 5,4 milhões alunos inscritos na última prova, ano passado. Ela envolve um desafio logístico, acrescentou. São necessárias 400 mil pessoas trabalhando, com a utilização de 140 mil salas de aula, levando em conta ainda o tamanho do país e a dificuldade de acesso das regiões, disse. “Tem que ter sigilo absoluto do processo”. Ele avalia que, apesar dessas peculiaridades do País, o Ministério tem avançado na logística para realizar a prova.

Na audiência, realizada em clima de confraternização dos senadores com o ex-senador, o ministro considerou como “problema” o banco de questões do Enem. Na edição do ano passado, o Ministério teve que cancelar as provas de alunos de uma escola em Fortaleza depois que ficou comprovado que eles tiverem acesso antecipado a questões do teste. O aumento do acervo seria uma medida para evitar futuras fraudes. “Quanto mais questões tivermos, maior será a segurança”.

Nesta semana, a Pasta, em conjunto com 24 universidades federais, está trabalhando no aumento do acervo do banco de questões da prova. Mercadante, contudo, não quis revelar qual a meta de questões da prova que o MEC pretende alcançar. Outro ponto que o ministro quer aperfeiçoar é a correção das provas de redação do exame, outro alvo de questionamentos na Justiça. Sem revelar quais, ele disse que quer adotar critérios mais objetivos de correção nos próximos exames.

(…)

(grifos nossos)

Comentário

Sugeriríamos ao aloprado Mercadante um cargo de ministro no menor país do mundo, o Vaticano. Porém, como o irrevogável Mercadante não parece ter um perfil muito religioso, resta aguardar o reconhecimento pela ONU do Principado de Sealand, onde ele certamente se sentiria mais à vontade, para excercer cargo público em um país de tamanho proporcional à sua capacidade administrativa.

compartilhe

Tópicos ,

9 Comentários

  1. Idevam2 de março de 2012 às 18:22

    O Brasil Não Tem Cupa do PT ser Incompetente mas Tem por Votar nos Incopetentes

  2. Hay2 de março de 2012 às 12:56

    É claro que a aplicação do Enem melhorou. Como poderia piorar algo com vazamento de informações, impressão incorreta de provas, amadorismo na organização (quem já fez percebe), as porcarias de sistemas do Inep(to), a correção de redações bizarra que influencia diretamente no resultado, e, claro, o forte componente ideológico presente na própria prova.
    Como sempre, o alexandre nos brindando com sua argumentação sólida. O cheiro, a consistência e a cor marrom é que não são agradáveis…

  3. alexandre2 de março de 2012 às 07:34

    Ele tem razão sim. Fazer um ENEM num país enorme depende de uma enorme logística. É complexo. O que importa é que vemos evolução no ENEM. Neste último os problemas foram bem menores.

  4. Thiago2 de março de 2012 às 01:52

    O problema é o tamanho do Brasil ou a competência do ministro e seus subordinados?

    Não quiseram transformar o Exame em Vestibular? Agora aguentem as consequências! E sem reclamar dos problemas, façam o melhor e o correto para que não ocorram problemas! É tão simples!

  5. Gil1 de março de 2012 às 21:22

    Sabe, até que de certa maneira ele tem razão.O Brasil de fato é grande, o unico problema é que ultimamente tem sido governado por homens pequenos, não no sentido de estatura, mas no sentido moral e de capacidade tecnica.. Tivessemos por aqui dirigentes, citando exemplo, como os japoneses, das duas uma, ou seriamos um país com grandes avanços em educação, ciência e tecnologia, ou os campeões do mundo na pratica do harakiri.

  6. Gerson B1 de março de 2012 às 21:18

    Numa crítica bem tolerante, o mínimo que se pode dizer é que se o pais é grande demais para que um exame dessa magnitude, não deveriam te-lo implantado. Não conheciam o tamanho e as características do pais? No mínimo já existem incompetência na avaliação e alguma megalomania.

    Não sei por que me faz lembrar os clássicos planos quinquenais que nunca davam certo em outras paragens…

  7. Edmar1 de março de 2012 às 20:45

    ainda nao vi comentarios sobre o roda viva, nem aqui nem no blog do reinaldo

  8. Renato Penteado Silva Grimaldi1 de março de 2012 às 19:40

    O Brasil também não tem culpa de ter um ministro tão pequeno

  9. Luis D. Brandão1 de março de 2012 às 12:41

    Mercadante e suas pérolas…

Publicidade

Enquete

Quem você acha que Lula indicaria hoje para o STF?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
Publicidade