Implicante

/ Notícias

3 de janeiro de 2012

Ministro da Integração direciona 90% das verbas antienchente para seu estado

white 15 Ministro da Integração direciona 90% das verbas antienchente para seu estadoKindle

02.08.2011RNA008ABR 4 Ministro da Integração direciona 90% das verbas antienchente para seu estado

De acordo com levantamento realizado pela ONG Contas Abertas, 90% das verbas liberadas em 2011 para a prevenção de desastres naturais foram para Pernambuco, estado do ministro da Integração Nacional. O Paraná, estado que sofreu com as cheias no ano passado, recebeu 14 vezes menos recursos e ficou na segunda posição.

Abaixo as informações de Marta Salomon publicadas em O Estado de São Paulo:

BRASÍLIA – Pernambuco, Estado do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, foi o principal destino de verbas do ministério comandado por ele em prevenção e preparação de desastres naturais, como enchentes e desmoronamentos. Em obras iniciadas em 2011, Pernambuco concentrou 90% dos gastos da pasta destinados a esse fim, mostra levantamento feito com base em dados do Tesouro Nacional e pela organização não-governamental Contas Abertas.

Duas obras que consumiram grande parte dos gastos de R$ 25,5 milhões no Estado tiveram as ordens de serviço assinadas pela presidente Dilma Rousseff em viagem ao município de Cupira, no final de agosto. Indicado para o cargo pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos, Bezerra é pré-candidato à prefeitura do Recife em 2012 . Ele nega.

As barragens de Panelas 2, em Cupira, e de Gatos, no município de Lagoa dos Gatos, somam R$ 50 milhões em recursos já comprometidos desde maio. O dinheiro deverá ser liberado ao longo das obras.

A concentração de verbas do programa de prevenção e preparação para desastres em Pernambuco foi tão grande que o Estado lidera o ranking da liberação de dinheiro da União mesmo quando é considerado o pagamento de contas pendentes deixadas pelo governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Nesse ranking, Pernambuco é seguido pelos Estados da Bahia, São Paulo, Santa Catarina e Paraná.

Dos gastos autorizados e pagos em 2011, Pernambuco recebeu 14 vezes mais do que o segundo colocado, o Paraná, onde chuvas fortes provocaram enxurradas e deslizamentos no ano passado.

Pernambuco recebeu R$ 25,5 milhões, contra R$ 1,8 milhão liberado para o Paraná, dos R$ 28,4 milhões pagos em obras autorizadas em 2011 para a prevenção de desastres naturais. O restante foi para outros Estados.

A construção de reservatórios para conter cheias na região metropolitana de São Paulo, ação que teve R$ 31 milhões de gastos autorizados pelo Orçamento de 2011, não recebeu nenhum tostão, mostra o levantamento.

A Bahia ocupa o segundo lugar na lista de pagamentos feitos em 2011 por conta de contas pendentes deixadas pelo governo Lula, com mais de R$ 10 milhões à frente de São Paulo. O levantamento considerou pagamentos registrados no Siafi, o sistema de acompanhamento de gastos da União até o dia 19 de dezembro.

“Se, nos últimos anos, a prevenção de desastres tinha um sabor de acarajé, agora ganhou ritmo de frevo”, compara o economista Gil Castello Branco, secretário-executivo do Contas Abertas. O privilégio da base eleitoral do ministro da Integração é um fenômeno já registrado na gestão de Geddel Vieira Lima, do PMDB.

Íntegra aqui.

compartilhe

Tópicos

12 Comentários

  1. Nélio6 de janeiro de 2012 às 22:41

    “Você vai acreditar em mim ou no que seus olhos vêem?” – By Marx. Os irmãos comediantes, não o furunculoso…

  2. João6 de janeiro de 2012 às 08:02

    Aqui você está liberando os meus posts, engraçado… mas vamos lá, o problema é que não foram 90% da verba do ministério. A ONG Contas Abertas, que não é isenta, e você sabe disso, está misturando verbas diferentes. Leia TODAS as respostas do ministro, não seja manipulado pelo partido.

  3. João5 de janeiro de 2012 às 22:56

    Por que você não usa as informações do ministro ao invés das informações do Estadão? Ah, já sei, o partido mandou ignorar, né?

    Parece aquela criança que põe os dedos no ouvidos e fica falando bem aldo LÁ LÁ LÁ NÃO ESTOU OUVINDO NAAAADAAAAAA…

  4. maria janete dos santos luz5 de janeiro de 2012 às 09:53

    oi sou uma pessoa das que forão atinida pelas enchentes de janeiro de 20011 em sc e até hoje nada foi feito ,continuamos em area de risco sem previsão de quando sairemos daqui.não sabemos se é culpaa da prefeitura ou do governo federal.

  5. Thiago5 de janeiro de 2012 às 02:34

    giovani luis ferreira

    Se fechar o Ministério, como o PT vai governar? Eles precisam encaixar os integrantes da base aliada e seus companheiros… (e ouvi dizer que membros do PT no governo tem que dar dizimo para o partido…)

  6. Ben4 de janeiro de 2012 às 22:19

    Mais uma mostra da falta de normas e critérios da administração petista. Os ministros, nomeados apenas por motivos políticos, tem uma conduta norteada apenas pelos seus interesses mesquinhos.

  7. Sergio Oliveira4 de janeiro de 2012 às 18:37

    Eles confundem Ministro de Estado com Ministro do Estado.

  8. giovani luis ferreira4 de janeiro de 2012 às 11:20

    Ministério da Integração Nacional…

    Vinte e cinco milhões e meio de Reais para gastar em um ano?

    Fecha o Ministério, agrupando em outra pasta.

    Só em salários de ministro e sua corja de vagabundos nomeados gasta-se mais que isto por ano.

    PTzada de mmmmmm….

  9. Thiago4 de janeiro de 2012 às 02:06

    Ao ler a chamada, lembrei desse caso comentado pelo Airton Leitão…

    O povo de Santa Catarina, da Região Serrana do Rio de Janeiro, do Paraná, do Nordeste (alguém se lembra daquela enchente que literalmente varreu algumas cidades do mapa?) e atualmente de Minas, devem estar refletindo sobre essas notícias que se repetem de tempos em tempos… E vale lembrar o que o nobre Mercadante afirmou e foi noticiado aqui… e o povo continua achando que a vida melhorou…

  10. Renato3 de janeiro de 2012 às 14:08

    Enquanto isso, nós aqui do Ceará ficamos a merce desse ministro, a importante cidade do Crato sofreu com as enchentes e quase nada foi destinada a cidade. O nordeste possui 9 estados, sendo que só um recebeu 90% dos recursos e apenas 10% foi destinado aos outros 8 estados! Que palhaçada é essa, heim Fernando Coelho e Eduardo Campos? Os dois devem explicações ao povo nordestino!!!

  11. Airton Leitão3 de janeiro de 2012 às 13:03

    Isso é repeteco. No ano passado o titular do mesmo ministério, baiano, destinou 48% das mesmas verbas para a Bahia com objetivo de alavancar sua candidatura ao governo estadual, mas se deu mal.
    O Governo brinca com a desgraça alheia;

Publicidade

Enquete

Quem você acha que Lula indicaria hoje para o STF?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
Publicidade