Notícias

Outra verdade da pesquisa: quem mais defende pichações é a população mais rica de São Paulo

Qual recorte da pesquisa mais concentra defensores de pichadores? Aquele que observa os eleitores de Fernando Haddad

Você já leu aqui no Implicante que 97% da população de São Paulo, segundo o Datafolha, são contra as pichações que emporcalham os muros da cidade. Mas a pesquisa diz bem mais do que desconfia a vã filosofia petista. Quem são esses 3% que apoiam os pichadores da capital?

Bom… A depender do recorte da amostra, eles crescem um pouco. Por exemplo, eles são majoritariamente homens:

  • 3% dos homens se dizem a favor da pichações
  • Apenas 2% das mulheres pensam o mesmo

Esse apoiador é jovem. Assim se dividiu o apoio às pichações:

  • 7% entre 16 a 24 anos
  • 2% entre 25 a 34 anos
  • 1% entre 35 a 44 anos
  • 1% entre 45 e 59 anos
  • 2% acima dos 60 anos

Ele é um pouco maior entre os que são mais escolarizados:

  • 2% concluíram o ensino fundamental
  • 3% concluíram o ensino médio
  • 3% concluíram o ensino superior

E ele concentra-se justamente nas famílias mais ricas:

  • 3% com renda familiar até 2 salários mínimos
  • 2% com renda familiar até 5 salários mínimos
  • 4% com renda familiar até 10 salários mínimos
  • 5% com renda familiar acima dos 10 salários mínimos

Homem, jovem, com ensino superior e renda familiar acima dos R$ 9.458,00 mensais. Ou seja… Pode aposentar o papo de que pichação é a voz dos excluídos.

Mas será que é possível encontrar na pesquisa recortes ainda mais definitivos? Sim.

  • Entre os que dizem ter o PT como partido de preferência, 5% se disseram a favor das pichações
  • Entre os que votaram em Fernando Haddad, esse recorte sobe para 8%, a maior concentração observada

Se havia alguma dúvida de que esta é uma discussão meramente partidária, já não deveria mais haver.

Fonte: DataFolha

Notícias Recentes

To Top