Implicante

/ Notícias

7 de junho de 2011

Palocci inquilino do laranja: Dono do imóvel é filiado ao PT de Mauá desde 1988

white 15 Palocci inquilino do laranja: Dono do imóvel é filiado ao PT de Mauá desde 1988Kindle

Figura2 Palocci inquilino do laranja: Dono do imóvel é filiado ao PT de Mauá desde 1988

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) informou ao jornal O Globo que o advogado Gesmo Siqueira dos Santos, que aparece como proprietário do apartamento em que o ministro Antonio Palocci é inquilino em São Paulo, é filiado ao PT de Mauá (SP) há 23 anos. Gesmo responde a 35 processos por falsificação de documentos e adulteração de combustíveis.

SÃO PAULO – O advogado Gesmo Siqueira dos Santos, proprietário do apartamento alugado pelo ministro Antonio Palocci, é filiado ao PT de Mauá, no ABC paulista, há 23 anos, segundo informou nesta segunda-feira ao GLOBO o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP). Por e-mail, o TRE informou que “sua situação é regular no PT com data de filiação de 16 de abril de 1988″.

- O ministro reafirma que não conhece Gesmo Siqueira dos Santos. Nunca esteve com ele, nunca o viu no PT ou em qualquer outro lugar. O ministro não pode ser responsável pelos atos de Gesmo – disse Thomaz Traumann, assessor especial de Palocci, ao ser informado sobre a filiação.

O presidente do PT de Mauá, Leandro Dias confirmou, por meio de sua assessoria, que Gesmo já foi filiado ao partido, mas informou que a inscrição foi cancelada. Leandro não informou a data do cancelamento. Mas, segundo o TRE, a filiação de Gesmo ao PT “é regular”.

Leandro é filho do prefeito petista de Mauá, Oswaldo Dias. Nesta segunda-feira, a assessoria do prefeito e do presidente municipal do PT, que é a mesma, disse que a administração petista da cidade do ABC não tem qualquer envolvimento com Gesmo ou com seu sobrinho, Dayvini Costa Nunes.

Laranja teria trabalhado na prefeitura de Mauá

Em entrevista à revista “Veja”, Dayvini disse ser laranja no caso do aluguel do apartamento a Palocci. Afirmou que morava num casebre e que chegou a trabalhar na prefeitura de Mauá.

A assessoria do prefeito e do presidente do PT confirmou que Dayvini trabalhou na prefeitura – de 7 de julho de 2008, na administração de Leonel Damo, adversário do PT, até 5 de janeiro de 2009, quando foi exonerado da chefia de uma unidade de saúde. Dayvini, segundo a assessoria, foi demitido pelo prefeito Oswaldo Dias.

Gesmo disse nesta segunda-feira não se lembrar de ter se filiado ao PT.

- Não tenho nada com o PT. Sou apartidário. Nunca atuei no partido. Não me lembro de ter assinado a ficha de filiação – disse Gesmo, que responde a 35 processos por falsificação de documentos e adulteração de combustíveis em postos de gasolina de sua propriedade.

Gesmo só fala por celular. Todos os endereços fornecidos em documentos oficiais por ele são frios e suas empresas são de fachada. Até o endereço dado por ele à OAB, seção de São Paulo, é frio. Nesse endereço, em Moema, funciona uma clínica veterinária; o veterinário não conhece Gesmo.

O advogado disse que não pode aparecer para não sofrer ações e retaliações de seus credores, razão pela qual também passou seus bens para os filhos e sobrinhos. Disse que não conhece Palocci e que, ao firmar os contratos de aluguel do apartamento, o fazia por meio de motoboys, que levavam os contratos até os escritórios de Palocci e sua mulher Margarete, que os devolviam aos motoboys, após assinados.

(grifos nossos)

Comentário

O episódio todo pode ser resumido assim:

Palocci possui um apartamento de R$ 6,6 milhões em São Paulo, mas afirma que paga aluguel em torno de R$ 15 mil em outro imóvel na mesma cidade. A imobiliária que alugou o apartamento a ele é uma empresa fantasma. O proprietário é um advogado que responde a 35 processos e é filiado ao PT há 23 anos. Seu sobrinho, o locador, admitiu ser laranja do negócio. E quem transferiu o imóvel ao advogado foi uma construtora de empresário cheio de negócios com o governo.

Coincidências

Petistas de Mauá já haviam ficado conhecidos nacionalmente em 2010 no episódio das violações de declarações do Imposto de Renda de filiados do PSDB. O caso ocorreu aproximadamente um mês após Antonio Palocci ter assumido a coordenação da campanha de Dilma Rousseff à presidência. Palocci substituiu Fernando Pimentel, envolvido em outra armação contra a campanha de José Serra, a do dossiê da equipe de espionagem do publicitário Luiz Lanzetta, em junho de 2010.

compartilhe

Tópicos

4 Comentários

  1. Thiago8 de junho de 2011 às 18:02

    É sério, com a demissão do Palocci, a imprensa nem vai noticiar essas coisas… tinham que continuar metendo o dedo na ferida até chegar lá no fundo! Mostrar quanta sujeira sai dessa podridão toda!

  2. Pedro Daltro7 de junho de 2011 às 13:57

    E todo mundo classificando a denúncia como vazia, bla bla bla… impressionante!! quanto mais cava, mais sujeira aparece… e se o ap não cai do céu, os petistas sempre têm o BANCOOP pra recorrer… os trabalhadores q pagaram ficaram a ver navios… já os cabeças dos partidos dos trabalhadores não…

  3. Lucas7 de junho de 2011 às 11:02

    Incrível a cara de pau dos petistas. O cara dizer que nem se lembra de ter se filiado ao pt e que a negociação com palocci não envolveu contato entre ambos, chega ao cúmulo da pilantragem…

  4. Sandro P7 de junho de 2011 às 10:32

    Logo vi! Essa foi fácil!!!
    Quando li que o tal Gesmo tinha 35 processos, logo pensei: deve ser petista.
    Batata!

Publicidade

Enquete

Escolham os nomes dos dois mascotes olímpicos do Rio:

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
Publicidade