Notícias

Por eleições municipais, Dilma nomeia bispo da Igreja Universal para o Ministério da Pesca

Notícia da Folha.com:

O Palácio do Planalto anunciou nesta quarta-feira (29) mais uma troca na Esplanada dos Ministérios: Luiz Sérgio de Oliveira (PT-RJ) deixará a pasta da Pesca e Aquicultura e será substituído pelo senador Marcelo Crivella (PRB-RJ).

A mudança foi divulgada pelo porta-voz da Presidência, Thomas Traumann, na manhã de hoje. Segundo nota da Presidência, Luiz Sérgio prestou “inestimável contribuição ao governo”.

“À frente da Secretaria de Relações Institucionais e, depois, como responsável pela pasta da Pesca e Aquicultura, Luiz Sérgio desempenhou com dedicação e compromisso com o país todas as tarefas que lhe foram atribuídas pela presidenta Dilma Rousseff”, diz trecho da nota.

O texto diz ainda que a mudança permitirá incorporar à Esplanada um “importante partido aliado da base do governo” –o texto menciona o fato de que o ex-vice-presidente José Alencar pertencia a essa legenda.

EVANGÉLICOS

A troca deve acalmar a bancada evangélica no Congresso Nacional, que sofreu atritos recentes com o governo –Crivella é um dos representantes do segmento.

No mês passado, em palestra no Fórum Social Mundial, o ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral) declarou que o Estado deve fazer uma disputa ideológica pela “nova classe média”, que estaria sob hegemonia de setores conservadores. O ministro afirmou que foi mal compreendido.

A ministra Ideli Salvatti (Relações Internacionais) evitou fazer relação entre o nome de Crivella e a bancada evangélica. A mudança, segundo ela, “foi no sentido de integrar um partido que durante todo o período do governo do presidente Lula, na pessoa do vice-presidente José Alencar, (…) sempre foi um partido extremamente aliado, firme e atuante na defesa das ações do governo”.

Ideli reforçou ainda que o governo tem “o maior respeito” pela atuação do PRB, um “precioso aliado”.

Antes de assumir o ministério da Pesca, Luiz Sérgio foi ministro da pasta de Relações Institucionais, responsável por fazer a ponte entre o Planalto e o Congresso Nacional. Ele foi alvo de críticas, no entanto, dos próprios aliados, que o consideraram um interlocutor sem grande peso no palácio.

Em junho do ano passado, ele foi trocado por Ideli e assumiu a função da ministra, na pasta da Pesca. Agora, Luiz Sérgio deve retornar à Câmara dos Deputados.

Comentário

Mais do que a “bancada evangélica”, a nomeação de Crivella busca acalmar principalmente a Igreja Universal do Reino de Deus e a TV Record, do autoproclamado bispo Edir Macedo, de quem o também autoproclamado bispo Crivella vem a ser sobrinho.

As organizações do bispo Macedo andavam descontentes com o governo por conta do “kit gay” de Fernando Haddad, e o PRB (também parte do conglomerado Macedão) ameaça lançar a candidatura de Celso Russomano à prefeitura de São Paulo.

*Atualização 16:15*

A própria Folha.com publicou agora há pouco declaração do líder da Frente Parlamentar Evangélica negando que Crivella represente a bancada:

Presidente da Frente Parlamentar Evangélica, o deputado João Campos (PSDB-GO) afirmou que o novo ministro da Pesca, Marcelo Crivella (PRB-RJ), não representa a bancada. Campos disse que a Frente nunca foi consultada e nem ouvida sobre o assunto e que, por isso, não está representada no governo.

O presidente da bancada ressaltou, no entanto, que os evangélicos nunca pleitearam nenhum ministério e que cargos não são necessários. “Só temos que ter um canal aberto com o Planalto, não acho que necessariamente com cargos.”

Questionado se Crivella acalmava a bancada, ele respondeu que as dificuldades com o governo “são matérias vencidas”. Sobre o novo ministro, afirmou: “Acho que a indicação de Crivella tem relação com o seu partido. Ele é um grande parlamentar, ficamos felizes por ele, mas isso não quer dizer que tenha a ver com nossa bancada, porque não fomos ouvidos e nem consultados. De forma alguma [nos sentimos representados]”.

(…)

Notícias Recentes

To Top