Implicante
18 de novembro de 2015

Segurança olímpica já custa R$ 930 milhões ao Brasil e aumentará após atentados em Paris

Em maio, Comitê Olímpico prometia gastar apenas R$ 252 milhões com segurança privada.

O Ministério da Defesa brasileiro arcará com R$ 580 milhões, enquanto o da Justiça desembolsará R$ 350 milhões. Somados, os R$ 930 milhões são quase quatro vezes os R$ 252 milhões que o Comitê Olímpico Internacional prometeu há seis meses gastar com segurança privada. Segundo a Folha, “a conta começará a aumentar na prestação de serviços. Há um entendimento de que deve se ampliar o número de pessoas envolvidas no monitoramento de redes sociais, por exemplo“.

Foto: Artyominc

Rio de Janeiro | Foto: Artyominc

Mas a verdade é que as nações mais visadas estão mandando seus próprios times para trabalhar a segurança de seus atletas. Os Estados Unidos conseguiram autorização para montar um escritório próprio que depois será utilizado pelo DEA, a divisão de narcóticos americana. A França terá estrutura semelhante. Israel e Rússia foram mais rápidos e já estão no Rio há um tempo estudando a violência local e traçando rotas de fuga. Quanto aos brasileiros, precisão se proteger com a ABIN mesmo.

Busca