Ponto de Vista

Como 61 geladeiras entraram escondidas num presídio? Com muita corrupção

Foto: Rennett Stowe

Material foi apreendido graças ao trabalho das forças armadas em uma penitenciária de Roraima

Em resposta à crise enfrentada no sistema carcerário brasileiro, Michel Temer ordenou que as forças armadas fizessem uma revista mais severa nos presídios mais problemáticos. A primeira varredura se deu em Roraima, na penitenciária em que 33 presidiários foram chacinados no início de 2017. E os números seguem impressionando.

Foram encontrados 6 torradeiras, 9 liquidificadores, 12 aparelhos DVD, 23 fogões, 31 aparelhos de televisão, 56 celulares e, acreditem, 61 geladeiras. Sim, também foram encontradas drogas e armas, além de pólvora e até botijões de gás.

Como foi possível passar toda essa parafernália pela segurança do presídio? Não tenha dúvida: com muita corrupção.

O problema do sistema carcerário não é a superpopulação, nem prisão em excesso, como alega a esquerda. É meramente ético.

Mais Lidas

To Top