Ponto de Vista

Hacker tentou extorquir Marcela Temer na véspera da votação do impeachment de Dilma Rousseff

Dilma Rousseff, Michel Temer e Marcela Temer

Ele migrará para o semiaberto em breve, e pretende fazer fama e fortuna em programas de TV

Aos poucos fica mais clara a tentativa de extorsão sofrida por Marcela Temer. O hacker invadiu-lhe o celular quando Dilma Rousseff ainda enfrentava o impeachment. E aproveitou a véspera da primeira votação, aquela comandada por Eduardo Cunha, para atacar a atual primeira-dama.

Os detalhes estão em matéria da Veja que, no momento da redação deste texto, não mais se encontra no ar, sendo acessível apenas via cache. Por ordem da Justiça? Fato é que o texto de fato detalha o conteúdo das informações roubadas pelo hacker, algo que é proibido pela lei Carolina Dieckmann.

Ao final, contudo, é destacada uma informação alheia a todo o crime. E que mostra bem o caráter do criminoso por trás das informações exploradas pela imprensa:

“Esse fantasma poderá assombrar a família Temer mais uma vez. O hacker vai progredir para o semiaberto no mês que vem e já pediu a um dos seus advogados que agende visitas a programas populares de TV, pois seu sonho é ganhar fama e muito dinheiro.”

É por demais absurdo que o jornalismo queira atacar o atual presidente valendo-se de informações roubadas por este criminoso.

Fonte: Veja

Notícias Recentes

To Top