Ponto de Vista

Ao discordar dela, Jean Wyllys xingou deputada de “tacanha, limitada, burra”

11.08.2015 - Reunião da Comissão Permanente Mista de Combate à Violência contra a Mulher. Apresentação da pesquisa sobre violência doméstica e familiar contra a mulher. Em pronunciamento, deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ). Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado.

Lamentável

Cada vez mais, Jean Wyllys deixa claro que sua rigorosa defesa do que considera minoria só funciona bem quando a minoria concorda com ele. Alvo de um processo por quebra de decoro parlamentar ao direcionar uma cusparada ao deputado Jair Bolsonaro, o psolista não economizou nos adjetivos contra Sandra Faraj, deputada distrital que pedira “providência legais” contra um professor que abordava o tema “homofobia” na rede pública.

Nas palavras de Wyllys, a parlamentar seria “tacanha, limitada, burra”. E continuou explicando ao Correio Braziliense: “Ao agir assim, ela estimula parte do eleitorado dela a seguir da mesma maneira. Não promove o crescimento intelectual, espiritual, moral e ético dos eleitores dela. Ela só reforça preconceitos”.

Ao agir assim, Wyllys estimula parte do eleitorado dele a seguir da mesma maneira: xingando de “tacanho”, “limitado” e “burro” qualquer um de quem se discorde. Lamentável.

Fonte: Correio Braziliense

Notícias Recentes

To Top