facebook
Blog

Apenas 62% dos universitários brasileiros são plenamente alfabetizados

Sim, é isso mesmo: POUCO MAIS DA METADE dos universitários do Brasil tem a chamada “alfabetização plena”, qual seja, compreendem textos longos e complexos distinguindo, por exemplo, fato de opinião.

Esse é o resultado de uma pesquisa do IPM em parceria com a Ação Educativa – íntegra aqui, em pdf.

A percentual de pessoas com nível universitário saltou de 8% dos homens e 9% das mulheres (CENSO 2000) para 13% dos homens e 16% das mulheres (PNAD 2009). Uma das causas para essa expansão foi o ProUni – e essa evolução é usada pelo Governo Federal como uma taxa vitoriosa.

Mas não é.

APENAS 62% DOS UNIVERSITÁRIOS SABEM LER E ESCREVER DE FORMA PLENA (não tem nada a ver com norma culta, é compreender um texto devidamente). A explosão de vagas universitárias nessas UniBibocas da vida, com grana pública e muitas vezes fraude, deu no que deu.

Há quem reclame – com toda razão – de alunos cursando etapas do ensino médio sem que estejam totalmente alfabetizados. O que dizer desse índice teratológico no ENSINO SUPERIOR?

Taí mais uma parte da belíssima herança de Fernando Haddad. Não sabe organizar uma prova, sucateia o ensino universitário (vejam as greves), promove essa irresponsabilidade de quase metades dos universitários não serem plenamente alfabetizados e, agora, acha que tem condições de gerir uma cidade.

Torçamos para que o atual governo corrija o desastre que foi a gestão Haddad no MEC.

Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 100% OFF (com desconto máximo de R$ 10) em até 2 corridas. Após ativado, o crédito terá validade de 30 dias.

11 Comentários

11 Comments

  1. E por acaso, quanto mais ignorante é a pessoa...

    22 de julho de 2012 at 18h24

    Mais ela acha que sabe alguma coisa.

  2. maria saparowa

    21 de julho de 2012 at 5h09

    Óia nóis aí pegandu us pexes du Raddadi.

  3. Alex Mamed

    20 de julho de 2012 at 14h27

    É a tal da “incruzão çossiau” do cunpaniero Lula.
    .
    Mas ele não havia dito, e registrado em cartório, que o Brasil havia erradicado o analfabetismo, desde que sua mãe nacera analfabeta e fez o “supretivo”?
    .
    Eita Brasilzão de meu deus, que consegue sobreviver a qualquer governo!

  4. Zé Bastos

    20 de julho de 2012 at 10h49

    A qualidade do ensino básico no Brasil é notoriamente insuficiente. Todos nós ficamos siderados ao consultamos um artigo num jornal online, quando lemos os comentários, está patente o atropelo constante à Língua Portuguesa.
    As disciplinas de Literatura Brasileira e de Retórica,o bem escrever(muita leitura) e o bem falar, deveriam ser aplicadas com profundidade à grade curricular escolar, desde o 8º ano até ao ensino superior.

  5. Publicitario Reacionario

    19 de julho de 2012 at 14h08

    Infelizmente, os esquerdinhas veem o analfabetismo n Brasil como caracteristica social e nao como problema a ser erradicado. Nessa logica, o que o PT faz com isso é promover “inclusao socia”l…

  6. Kristiano

    18 de julho de 2012 at 23h08

    Aí eu vejo aquele filme Idiocracy cada vez menos como um filme de humor.

  7. João 77BM

    18 de julho de 2012 at 22h03

    “As pessoas com certo grau de raciocínio, terão empregos de mais alto nível”

    Essa vírgula separando o sujeito e o predicado é um ótimo exemplo dquilo de que trata a pesquisa.

  8. Vinicius Duarte

    18 de julho de 2012 at 19h42

    Esse resultado já era esperado. O ProUni, da forma como está sendo executado, é um erro crasso e só serve para enriquecer ainda mais os Di Gênios da vida.

    Por outro lado, o articulista deveria considerar também que os alunos chegam semianalfabetos ao ensino “superior” por conta da péssima (e longeva) atuação dos estados e municípios na parte que lhes cabe, ou seja, o ensino fundamental e médio. Se as uniesquinas são fábricas de diplomas de universidade falsos, as escolas estaduais/municipais são igualmente emissoras de certificados de conclusão de ensino médio sem o menor valor. Se estes fossem conferidos somente a alunos alfabetizados, o resultado da pesquisa teria sido outro, independentemente da qualidade das instituições de ensino superior ou da abrangência catastrófica do ProUni.

  9. Realista

    18 de julho de 2012 at 3h35

    Muito bom!

  10. Thiago

    17 de julho de 2012 at 21h03

    Fico imaginando o “mundo cor de rosa” do pt, onde até o gari vai ter doutorado!

    Sério, diploma não é para todos! Pode parecer preconceito, mas eu canso de ver pessoas sem a menor competência se formando, depois disputando vagas de emprego, aceitando salários miseráveis porque precisam (sobre)viver e depois reclamam que tem “formação” e não ganham bem…

    Falam muito de educação, mas as vezes acho que confundem a educação acadêmica com a educação “vinda de casa”…

  11. Amanda

    17 de julho de 2012 at 20h31

    Mais empregos para nós, esta é a verdade! As pessoas com certo grau de raciocínio, terão empregos de mais alto nível, do que os analfabetos. Não reclamem, obrigada.

Deixe um comentário

Mais Lidas

To Top