facebook
Blog

Com orçamento maior, Haddad diminuiu Virada Cultural e cortou eventos na periferia

Em comercias de campanha Haddad dizia que queria “uma periferia vibrante, com cultura…’ A teoria era bonita e lhe valeu a eleição. Porém, na prática, a realidade foi diferente. Haddad retirou da Virada Cultural  mais de 200 eventos que aconteciam na periferia, e  também cortou  da festa todos os Centros Educacionais Unificados, os CEUs, que ficam na periferia e  no ano passado reuniram 162 apresentações. A verdade é que com o PT, a festa mais popular de São Paulo abandonou a periferia e se concentrou na região central. A primeira Virada Cultural da gestão Haddad também foi menor do que a do ano passado, mesmo tendo o maior orçamento de toda a sua história, R$ 10 milhões. No total, 4 milhões de pessoas foram a 790 eventos no centro e 414 em áreas periféricas em 2012. Agora, foram 784 atrações centrais e 226 em pontos distantes. Com um orçamento 33% maior neste ano — foi de R$ 7,5 milhões para R$ 10 milhões —, a Virada diminuiu os eventos em cerca de 16%.

Para justificar a desidratação da festa, e a retirada dos eventos culturais da periferia, o Secretário de Cultura petista, o baiano Juca Ferreira, disse o seguinte: “O que nós não queremos é que a periferia tenha de ficar na periferia”. Ora, mas esse argumento não é justamente a antítese daquilo que Haddad repetiu como mantra durante toda a sua campanha, que com ele iria acabar este negócio das pessoas terem que ir à região central,  para trabalhar e buscar opções de lazer e cultura?

Abaixo o vídeo com a promessa feita durante o programa eleitoral do petista.

 

Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 100% OFF (com desconto máximo de R$ 10) em até 2 corridas. Após ativado, o crédito terá validade de 30 dias.

5 Comentários

5 Comments

  1. Érico

    29 de Maio de 2013 at 2h43

    Perdão pelos comentários de teor parecido; achei que o primeiro não tivesse sido enviado; favor considerar só aquele.

  2. Érico

    29 de Maio de 2013 at 2h42

    Aumento de orçamento não implica, necessariamente, em aumento de atrações, já que isso depende dos cachês. Vocês estão estudando tanto a manipulação de números feita pelo Governo Federal, que estão até começando a praticá-la.

  3. Érico

    29 de Maio de 2013 at 2h36

    Ataque superficial e desnecessário ao Haddad, hein. Trazer de volta o Rap à virada não significa nada ao público da perfieria? E a intenção do evento sempre foi de movimentar o centro histórico. Não é por causa de um acontecimento anual concentrado no centro, que a periferia será deixada de lado. E o orçamento, obviamente, não tem nada a ver com o número de atrações, já que os cachês variam, e muito. Sei que vocês são inteligentes o suficiente saber disso, e por isso é lamentável ver essa manipulação de dados.
    Não, não sou petista, sou apenas entusiasta da Virada, seja lá qual gestão a organize.

  4. Leonardo

    21 de Maio de 2013 at 18h18

    E a influência dos intelectualoides do Existe Amor em SP….

  5. Nélio Santana

    21 de Maio de 2013 at 10h14

    Ele foi fiel ao lema petralha: “Fazer menos com mais…”

Deixe um comentário

Mais Lidas

To Top