facebook
...
Blog

Cynara Menezes descobre por que Roger e Lobão viraram à direita

Cynara Menezes, uma de nossas grandes musas, escreveu em seu blog Socialista Morena um certo arrazoado sobre a visão política agora “direitista” de duas grandes personalidades do rock nos anos 80: Lobão, o elétrico (a saber, o músico, não o ministro) e Roger, do Ultraje a Rigor.

Cynara Menezes faz a metáfora bíblica do retorno do filho (“de papai”) pródigo. Barrocamente, apelida seu próprio título através de um “ou” de “a metáfora do roqueiro burguês”.

Burguês vem de burgo. Um burgo é uma feira comercial. Apenas comerciantes, portanto, podem ser considerados burgueses. Como as artes liberais precisam ser “vendidas”, do contrário os artistas morrem de fome, todo artista é, por si, um burguês. Até mesmo Ludwig von Mises, o maior economista do Sistema Solar, lembra que os artistas é que devem ser os grandes defensores de uma visão liberal de mundo (caminho exato que trilhei antes de o conhecer). Ora, é melhor vender sua música livremente, ou torná-la assunto de políticos que podem liberar ou proibir sua música através de seus gostos pessoais? Será que poderíamos ter conhecido “Inútil”, “Filha da Puta”, “Me Chama” ou “Vida Bandida” se a música não fosse assunto de indivíduos livres, e não do Estado?

(será que alguma coisa além de Chico Buarque seria ouvida entre o Oiapoque e o Chuí? será que músicas como “Polícia” ou “Veraneio Vascaína” teriam chance sob o socialismo? logo elas?)

Essa não é a única confusão conceitual de nossa querida Cynara. O próprio conceito de “socialismo moreno” é uma esquisitice que só. Citando Darcy Ribeiro, apenas fala que é “um socialismo à brasileira”. Um socialismo com jeitinho. Um socialismo malandro. Um socialismo belo e inculto. Um socialismo com favela e miséria. Um socialismo com assassinato por bobagem. Um socialismo que empaca no lado esquerdo das escadas rolantes. Um socialismo em que a mândria, a hipocrisia, a rapinagem e o conchavo com burocratas governamentais definem o enriquecimento, e a liberdade de pensar sozinho sem se mancomunar com políticos é suprimida. Enfim, o bom e velho socialismo dos Ceauşescus e Pol-Pots de sempre.

Nossa heroína Cynara inicia seu pastiche com outra definição invertida de tão torta: “Nem todo direitista é derrotista, mas todo derrotista é direitista”. Muito pelo contrário, todo direitista é mesmo um derrotista, mas nem todo derrotista é direita. Hemingway é um derrotista que faz Schopenhauer parecer um animador de jardim da infância, e de direitista não tem nada.

Cynara prossegue: “Começou a falar mal do Brasil e dos brasileiros, a demonstrar desprezo por tudo daqui, a comparar de forma depreciativa com outros países, é batata. Derrotista/direitista detectado”. Não que esteja errada, mas não é pra tanto. Um direitista pode muito bem comparar o Brasil com outros países de forma nada depreciativa. Com a Venezuela, por exemplo.

Usando Lobão como exemplo pedra-de-toque de direitista (o que causou uma onda de ciuminho na redação), fala de suas músicas, como “Corações Psicodélicos, em parceria com Bernardo Vilhena e Julio Barroso, ai, ai… Adoro.” Para continuarmos em nossas definições, podemos entender agora: “socialismo moreno” é quando você enfia um “ai, ai… Adoro.” no seu texto.

Segundo nossa querida Cynara, Lobão “virou um reaça no último”, “se identifica hoje com a direita brasileira mais podre” e se uniu “ao conservadorismo hidrófobo para perpetrar barbaridades”. Um exemplo que dá de barbarismo anti-civilizacional é a frase de Lobão “Há um excesso de vitimização na cultura brasileira. Essa tendência esquerdista vem da época da ditadura. Hoje, dão indenização a quem seqüestrou embaixadores e crucificam os torturadores, que arrancaram umas unhazinhas”. A civilização nos ensina matemática, quantidades e qualidades. um bárbaro desconhece o peso e as medidas. A frase de Lobão, reconduzindo as coisas às suas corretas dimensões sob tal perspectiva, seria “barbaridade” ou civilização “no último”?

Já sobre o vocalista do Ultraje a Rigor, Cynara diz que “os anos não foram mais generosos com Roger Moreira” (é por isso que MILFs costumam ser um ideal apenas do imaginário masculino, querida!). Roger teria virado “um coroa amargo que deplora o Brasil e vive reclamando de absolutamente tudo com a desculpa de ser ‘contra os corruptos'” (aspas do original).

Estranho que ser “contra os corruptos” mereça aspas. Estranho ainda que não se possa reclamar de nada no Brasil. Como disse o Guy Franco, a grande graça do Brasil é poder falar mal dessa sacrossanta imagem do Homo brasilis. Querer subtrair-nos isso faz todo o esforço acachapante em ser brasileiro dar com a cara no muro (ou com algum meliante na saída do teatro).

Então não posso reclamar de gente empacada no lado esquerdista das escadas rolantes, não posso achar um absurdo que falta de desodorante não seja tratada como problema de saúde pública, não posso preferir Hyundai a Gurgel e nem iPhone a Gradiente, não posso criticar o bunda-molismo demograficamente igualitário que faz com que futebol e novela se tornem assuntos mais importantes (e mais interessantes) do que telecatch e literatura alemã do séc. XIX, não posso criticar a aversão do brasileiro por línguas “estrangeiras” quando o Chile está se tornando o primeiro país bilíngue da América Latina de cunho próprio sem nenhum inglês pisar por lá (e nem criticar a ausência cada vez maior se sessões de filme legendado nos cinemas), não posso achar feio o país ter tantos pobres e tantas políticas pobristas ao invés de seguir o modelo dos países que enriqueceram e, acima de tudo above all und über alles, não posso criticar corruptos sem aspas no meio dessa patacoada toda para não me tornar um cara amargo derrotista de direita?

Bom, então prefiro ser um cara amargo derrotista e de direita. Nossas MILFs são melhores. Desculpaí, humanidade “esquerdismo way of life” (sic²).

A explicação cynarista para o turn to the right (calma, essa foi só pra provocar) de Roger e Lobão é que os dois eram ricos (ou, no linguajar “socialista moreno”, burgueses) e, depois da rebeldia da juventude que faz todo mundo ser meio panaca nessa fase da vida (basta pegar ônibus lotado de adolescente pra ver o que é a esquerda em ação), voltaram “às origens”. Que o único estranho seria se Emicida ou Mano Brown fizessem o mesmo, porque tiveram passado pobre.

Ora, analisando a vida de uma imensa parcela dos grandes direitistas do mundo, muitos tiveram passado pobre. E aí podemos voltar ao erro inicial de achar que nem todo direitista é derrotista. Todos o são, obrigatoriamente.

A direita nasce justamente da desconfiança de ideais. Como já nos ensinou G. K. Chesterton (only English, sorry), um reacionário é aquele que já viu como as coisas reagem. Atirar em um coelho, um padre ou um rei terá conseqüências distintas. E é isso que a experiência nos ensina – e exatamente por isso não se nasce com idéias reacionárias: chega-se a elas. Com a esquerda isso nunca se dá (é impossível pensar em um grande pensador que, enquanto devorava páginas de Sowell, Jouvenel, Stove ou Croce, concluiu: “putz, o melhor é ser esquerdista!”).

A bem da verdade, os direitistas geralmente têm um passado de esquerda, e se desencantaram com a realidade da experiência. Não é o sonho marxista que é ruim – o socialismo ideal continua sendo lindo. Na verdade, também o capitalismo ideal (onde todos serão ricos e as MILFs serão republicanas), ou até mesmo o fascismo ideal, desde que você não seja uma das minorias que são usadas como bode expiatório pelo governo (que é o mesmo caso do socialismo, claro): são todos ideais agradáveis como o Éden bíblico ou a terra dos Teletubbies.

O problema é o real. É isso que se ganha com experiência, por isso todo direitista tende a ser mais velho: a experiência nunca levou alguém da direita para a esquerda, apenas o contrário. É saber que as coisas reagem, como as reações muitas vezes inesperadas de quando se atira em coelhos ou reis. E o reacionário é aquele que sabe prever reações através de sua experiência mesmo antes de precisar atirar de novo em um coelho ou rei. O direitista é o derrotista por definição: é aquele que, apresentado a um ideal, já presume que muita coisa não dará certo, porque espera reações que o idealista nunca pensará (ainda mais quando o ideal vira ideologia, que é quando sua própria visão passa a selecionar elementos da realidade para confirmar sua crença unidirecional).

Nossa Cynara ainda tem todo o caminho para se tornar uma boa e (não tão) velha MILF republicana. Os anos, digamos, ainda podem ser generosos com ela. Basta também pesquisar um pouco sobre a política que tanto critica e ter uma explicação um pouquinho mais burilada para a realidade e a experiência. Não precisa nem ser um Chesterton.

Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 50% OFF (com desconto máximo de R$ 20) em 3 corridas.

49 Comentários

49 Comments

  1. kamila

    11 de novembro de 2012 at 11:00

    Quando li esse texto da Cynara senti muita, mas muita vergonha alheia. Texto pobre, um estudante de jornalismo faria melhor, termos pejorativos como “filhinho de papai”, “virou um reaça no último”(sério jornalistona?) Tentando inferiorizar Lobão por ter descendência holandesa, como se isso fosse um crime, da mesma forma que pra ela estudar em um bom colégio é.
    Brasil e aquela velha história, não se pode ver ninguém em uma boa, ou melhor situação que é julgado, não se pode ver alguém bem que é criticado. Gostei de ver a crítica do texto dela aqui.

    Uma observação que não faz alusão direto ao texto dela, mas ao fato de que ela tenta diminuir o rock, como se fosse algo da “elite branca, reacionária paulista” e o rap o ápice do do Brasil, por ser algo de negros e pobres da favela deveria ter mais respeito e seguidores do que o velho rock.

  2. Míriam Martinho

    7 de novembro de 2012 at 16:42

    Como já disse o citado Lobão, não sou de direita nem de esquerda: sou ambidestra e acho esse papo de esquerda x direita chato e burro pra carai.

    Socialismo a essas alturas do campeonato é coisa de maluco (concordando com Ferreira Gullar), mas achar que livre mercado é panaceia para todos os males também é meio fora da realidade, né, não?

    E tem direitista que faz a linha derrotado mesmo, como o Pondé. Seus artigos sempre giram em torno da mesma tese: a vida é uma merda, a humanidade é uma merda, e quem não concorda com isso é hipócrita. Do outro lado, tem a Marxilena Chauí exaltando as qualidades do Lula e do Maluf.

    Tem também o ultrarreaça do Olavo de Carvalho que junta as coisas mais díspares, num patchwork do conservador doido, para aprovar sua tese da nova ordem mundial comunista. Do outro lado, tem o Vladimir Safatle perguntando quantas vezes uma ideia – o socialismo – não precisa ser tentada para dar certo. Quanto mais gente precisa morrer para dar certo pra ele se convencer do fracasso da empreitada. Gozado, aliás, a socialista morena dizer que fracassados são os direitistas.

    Enfim, estamos bem servidos de direitistas e esquerdistas. Seria muito bom encontrar um espaço onde as pessoas, que reconhecem que esse papo guerra fria é uma camisa de força supressora da inteligência, pudessem trocar umas ideias sem rótulos. Me avisem se encontrarem algum.

  3. Rodolfo

    6 de novembro de 2012 at 17:36

    Nuvens negras de patrulhamento ideológico bem próximas.

    Reinaldo Azevedo tem um tempo postou um vídeo do Dr. Goebbels, onde este ministro nazista discursa bravamente contra os “judeus insolentes da imprensa”.

    O PT virá com carga total para destruir a impresa. Conhecida tática bolchevique: reconstruir os fatos ao bel prazer dos líderes do soviete.

  4. Rodolfo

    6 de novembro de 2012 at 17:31

    Flavio, esses caras da “nova mídia” subestimam a
    inteligencia das pessoas.

    São maniqueistas até o osso.

    A nova, bonita, redentora esquerda. A velha, a ultrapassada direita.

    Tudo na América Latina que é esquerda é fofo.

    A direita, é ofensa, é palavrão.

    O que estes retardados não explicam é porque o Chile, saído tem 24 anos de uma feroz ditadura de direita tem numeros relativos a parte social que botam no chinelo os bolivarianos e principalmente o paraíso do socialismo, Cuba, a tal ilha dos 3 pratos de comida por dia (pois como sabemos, uma pessoa não precisa de nada além disso).

    • Flávio Morgenstern

      7 de novembro de 2012 at 14:45

      Além de Arquipélago Gulag, seria muito bom se a esquerda brasileira lesse Nem Só De Pão Vive O Homem…

  5. Nicholas

    6 de novembro de 2012 at 15:11

    Prezado Flávio,

    Você resumiu tão bem o “esquerdismo tupiniquim” que inunda nossas plagas que me fez sorrir sozinho aqui, no trabalho.

    Certa vez me disseram que o Socialismo real não preza o culto à personalidade. Mas não poder criticar nem falar mal de ninguém é o quê, afinal de contas? Penso que, se estão querendo cubanizar a pobre Venezuela, e objetivo aqui é peronizar… digo, lulificar o Brasil. rsrsrs!

    Parabéns pelo pensamento afiado, e continue firme na pena!

    Abraços

    Nicholas

    • Flávio Morgenstern

      7 de novembro de 2012 at 14:50

      Engraçada essa expressão “socialismo real”. Falam como se houvesse ainda um socialismo mais verdadeiro. Que o socialismo em suas enomres variações, aplicado em diversos lugares, deu sempre errado porque, por pura coincidência, todos os seus líderes abandonaram o socialismo “real” e partiram para um socialismo “irreal”.

      Ora, o único socialismo que existiu foi o socialismo real – o que não existe é o socialismo ideal, que só resta na imaginação bufônica de adolescentes de todas as idades mundo afora.

      Abraços

  6. Pablo Castro

    6 de novembro de 2012 at 14:12

    Caberia, no mínimo, Flávio, disponibilizar o link para o texto que você critica com tanta sagacidade …

    • Flávio Morgenstern

      7 de novembro de 2012 at 14:46

      Pablo, o Google mostra o caminho, basta usar as frases citadas. Ou jogar o nome do blog e do texto citado por lá.

  7. edmar

    5 de novembro de 2012 at 20:02

    Derrotistas são esses esquerdas brazukas, que criticam filmes americanos que mostram pessoas que venceram dificuldade…tudo bem, nao sou ingênuo de achar que isso role com todos e etc…mas a vocação de derrotista e coitadismo do brasileiro esquerda é assombrosa.
    Claro que certas pessoas que viram sindicalistas ou politicos e nunca trabalharam, esses merecem a grana que tem e viram herois…rs

    Off topic
    Reinaldo, comente sobre os absurdos cometidos pelo programa exibido na tv da IURD, isso vem de longe! Eles exibem cenas chocantes e apelativas e o pior, cenas de suicidio!!
    Hoje, agora há pouco, na Gazeta esse programa passando cenas de suicidio! Há um acordo tácito das emissoras de tv e de rádio de nao falar em suicídio, mas esses picaretas nem estão aí para isso. Mostram de madrugada isso e agora, na Gazeta, foi por volta das 20:30!!
    Cade o MP e outros para, com o mesmo empenho que proibiram o comercial da Giselle, criticar isso?

  8. Ben

    4 de novembro de 2012 at 18:25

    A que ponto chegou o autoritarismo da patrulha ideológica. Eles simplesmente não aceitam a diversidade e o contraditório.

  9. alexandre

    4 de novembro de 2012 at 18:11

    O Lobão dizer que os “militares tiraram somente uma unhazinha” é dose. Volta para escola, Lobão !!”! Matar as aulas de história para fumar maconha dá nisso !!!!

    • Flávio Morgenstern

      6 de novembro de 2012 at 12:35

      Ele não disse isso (quem anda precisando voltar pra escola, então?). Disse que, mesmo que um militar arranque só uma unhazinha, merece punição até hoje, enquanto quem assaltava e colocava bomba em aeroporto é recompensado. Basta ter noção de medidas para saber por que nunca se deve levar a esquerda a sério.

  10. João Costa

    4 de novembro de 2012 at 10:48

    Cacete, Roger, a cynara me ajudou! Devo a ela, e muito. Agora sei quem sou. E sou derrotista, amarho e de direita. Valeu, Cynara!! Pra alguma coisa você serviu, agora pode voltar pra casinha.

  11. Ronaldo

    4 de novembro de 2012 at 03:21

    Para essa turma qualquer um que faça críticas ao PT é direitista.Não fiquem surpresos se algum “progressistas” chegar a “grande conclusão” de que o Caetano Veloso também “virou” direitista.

    O mais patético é que ela nem tenta refurtar o que eles dizem, mas sim desqualificar ambos, com tolices do tipo “todo derrotista é de direita” (vitorioso mesmo era Karl Marx, que dependia do dinheiro de Engels para viver e publicar ideias utópicas e contraditórias).Bem…não podemos esperar muito de uma pessoa que defende o socialismo moreno (chega a ser risível uma pessoa defender algo que nem existe).

  12. Idevam

    3 de novembro de 2012 at 20:30

    Marta marta ministra da cultura qual sera sua prosima ideia revolucionaria cotas racias para circos?

    • Luís

      4 de novembro de 2012 at 15:49

      prosima? revolucionaria? racias? E cadê a pontuação? Depois quem vota no PT e que é analfabeto e ignorante.

      Maldita inclusão digital!

      • david

        13 de novembro de 2012 at 19:08

        “Depois quem vota no PT é analfabeto e ignorante.” continua sendo.

  13. Marcio Cione

    3 de novembro de 2012 at 20:04

    Falou muito mas não disse nada!

    • Luís

      4 de novembro de 2012 at 15:51

      O quê? O Flávio Morgenblablabla escreveu muito e não disse nada? Agora fala uma novidade.

      • Flávio Morgenstern

        6 de novembro de 2012 at 12:34

        Você não contra-argumentou nada. Opa, isso também não é nenhuma novidade. :)

  14. LeBron

    3 de novembro de 2012 at 19:48

    Babaquices. [2]
    Do mesmo jeito que a Cynara escrevia pra VEJA e de repente muda para Carta Capital.

  15. Nome

    3 de novembro de 2012 at 16:31

    A Cynara ficou muito sexy mordendo uma BIC. Acho que ela faria mais sucesso como MILF no Xvideos.

  16. Cristina

    3 de novembro de 2012 at 11:38

    Meu, Coitada. Esse é todo o meu comentário

  17. Denis Vaiano

    3 de novembro de 2012 at 10:22

    “é por isso que MILFs costumam ser um ideal apenas do imaginário masculino, querida!”
    Hahaha…
    Imagino que falte a essa senhora “Anyone that want to fuck me”…

  18. Marcel

    3 de novembro de 2012 at 09:57

    Um amigo que eu não via a tempos, depois de uma longa conversa, ele me disse:

    “Como você mudou nesses anos todos, como você pode virar ateu? e como pode ter abandonado seu ideais e virado um direitista reaça?”

    ao que eu respondi:

    “Parei de acreditar em fantasias, e essa resposta vale para as duas perguntas”

  19. Felipe Boni

    3 de novembro de 2012 at 09:41

    Caro Flávio (autor do texto), tu acha mesmo que Lobão e Roger Moreira são direitistas por terem “voltado as origens”?Quais origens? Tu convive com eles desde quando?
    Você embarcou na maionese junto com a tal de Cynara socialista utópica.
    Diz que o Roger deplora o Brasil, mas no decorrer do texto você cai em contradição fazendo o mesmo.
    Não acho que o Roger DEPLORA, e opina sobre o FATO! Aceite…

    @Felipesboni

    • Flávio Morgenstern

      6 de novembro de 2012 at 12:33

      Felipe, eu sequer aceitei a tese da “ida e volta” da Cynara. Mesmo porque não acho que Roger e Lobão sejam “direitistas”, apenas são pessoas que passam a ter um comportamento de desilusão com o idealismo esquerdista – o que Cynara não tem. E o que há de “contraditório” em “deplorar” o Brasil? É proibido? Contradigo-me com o quê?

  20. Lylian Concellos

    3 de novembro de 2012 at 09:32

    eu acho injusto, só que não. Eu acho a Cynara um primor de inteligência comunicativa e política, só que não. rs

  21. Walfredo Rodriguez Neto

    3 de novembro de 2012 at 07:19

    Amei esse texto. Com muita sabedoria escancara o socialismo barato que se pretende implantar no país. Querem forjar uma sociedade estúpida de “cidadãos” politicamente corretos.
    Detesto essas “politicas públicas” pobristas onguianas.
    Continue a nos brindar com reflexões de tal naipe que nos obriga a pensar e a fazer. Parabéns!

    • Flávio Morgenstern

      6 de novembro de 2012 at 12:31

      Muito obrigado! :)

  22. Marilena

    3 de novembro de 2012 at 02:06

    Ó coitada! Se compararmos o discurso da esquerda, anterior à era da mediocridade, com a prática espúria dos que ainda tentam posar como de “esquerda” (Emir Sader diria “pousar”), constatamos que elles é que mudaram de lado. Os hipócritas esqueceram o que diziam no passado: agora fazem parte “dazellite”.
    Ella ainda não percebeu que a antiga cantilena esquerdista foi para o espaço. O projeto agora é construir o chamado “socialismo de mercado”, que se traduz em totalitarismo político e economia de mercado.
    E economia de mercado no estilo bem selvagem!
    Socialismo para esse bando é acabar com as liberdades civis e ganhar MUITO $$$$$$ através de métodos ilícitos e imorais.
    Vigaristas, defendem bandidos e atacam as pessoas dignas que trabalham, pagam impostos e não mamam nas tetas do governo.

    ABAIXO O SOCIALISMO DE MERCADO!
    ABAIXO A CORRUPÇÃO!
    CADEIA PARA TODOS OS CORRUPTOS (de esquerda, de direita, de centro, de esquina, de sarjeta, de qualquer coisa)!

    VIVA A DEMOCRACIA!
    VIVA A LIBERDADE!

  23. Davi Grutes

    3 de novembro de 2012 at 01:39

    Olá Flávio,

    Gostaria apenas de informar que existe uma dicotomia muito interessante e abrangente que é complementar à dicotomia “idealista versus reacionário” que você destaca no seu texto. O filósofo Daniel Dennett faz distinção entre os que acreditam em “skyhooks” e os que acreditam em “cranes”. Os esquerdistas (inclusive os cientistas e filósofos esquerdistas) adoram “skyhooks”.

    • Flávio Morgenstern

      6 de novembro de 2012 at 12:30

      Davi, de fato não é a única distinção (o Diagrama de Nolan está aí pra isso). E Dennett é mesmo leitura muito recomendável para a maioria dos assuntos que discute, sobretudo relacionados à mente. Abraços

  24. Diana

    2 de novembro de 2012 at 22:29

    Precisa dessa referência toda a MILFS? Sério, nem gosto da Cynara, é uma crítica construtiva.

    • Flávio Morgenstern

      6 de novembro de 2012 at 12:25

      Não precisa, só é divertido.

  25. @chu13rs

    2 de novembro de 2012 at 20:43

    Caro Morg,
    O Fenômeno turn to the left também acontece.
    Maluf, Collor, Jáder Barbalho, Renan Calheiros e Sarney são -momentaneamente – patriotas progressistas nesta caminhada fraternal e igualitária deste novo brazil.
    Tem dúvidas? Pergunta pra Marilena Chauí que ela tira uma desculpa da cartola.

    • Flávio Morgenstern

      6 de novembro de 2012 at 12:27

      Esses nunca tiveram identidade ideológica certa. Ademais, são políticos fazendo alianças: a maioria tem como objetivo fundamental encher a burra, e estarão do lado de quem estiver no poder (curiosamente, só mesmo o tucanato, quando estava no poder, continuava sendo inimigo da camorra). Quero ver alguém estudado em ciência política analisar os vários lados da questão e não abandonar o esquerdismo adolescente no ato.

  26. Vitor

    2 de novembro de 2012 at 20:24

    ‘sou proleta, cumpadi. tô mais pra emicida do que pra roger’ — certamente, ela tuitou isso em cima de uma CG-125, enquanto aguardava o sinal abrir. Entre uma matéria (risos) e outra a ‘proleta’ entrega pizza e ‘faz uns corre aê’, ctz

  27. bedot

    2 de novembro de 2012 at 20:17

    Por isso que certa vez, conversando com um primo, descobri onde reside o brilhantismo de Nelson Rodrigues, por quem não nutro especial apreço: o cronista e dramaturgo, anti-esquerdista de carteirinha, adulou as esquerdas com obras sexualmente libertárias e obteve delas, que dominam a cena cultural brasileira-socialista-morena, uma espécie de licença para jogar na cara dos brasileiros o maucaratismo deles próprios – e ainda conseguiu ser reconhecido como gênio através disso. Trata-se de uma engrenagem que tipos como Lobão e Roger não têm como criar e comandar. Daí a perseguição bucéfala de gente como a ‘musa’, que os enxerga como “traidores da causa”.

    • Flávio Morgenstern

      6 de novembro de 2012 at 12:29

      Interessante análise.

  28. Pensador

    2 de novembro de 2012 at 20:56

    Babaquices.

    • Roger

      3 de novembro de 2012 at 01:01

      Meu, vc resumiu tudo, pensador. Aliás, nada mais justo do que vc se autodenominar pensador. Só não ficou muito claro qual dia diversos pontos abordados no texto vc achou babaca. Que, diga-se de passagem, é uma palavra muito precisa em sua definição. Parabéns, continue nos brindando com sua gotas de sabedoria.

      • Celina

        3 de novembro de 2012 at 11:10

        Roger, ponto pra vc.
        Bom musico e boa consciencia.
        Conhece Olavo de Carvalho?
        Bjs da sua fã.

        Celina.

      • Flavio

        5 de novembro de 2012 at 20:35

        Nuss… Se o Roger deu um coice desses por causa do comentário filosófico do parceiro Pensador, adoraria saber o que ele falaria, ou falou, para nossa Musa da Bic.

        Teria como você nos mostrar uma prévia dessa conversa, Roger?

        OFF
        Adoro as músicas do Ultraje, pra mim, umas das melhores bandas de rock da história do Brasil. Até hoje, tenho certeza que um show de vocês levanta qualquer público.

        OFF 2 Foi mal aí, Flavio Morgenstern, pelo off… Sou seu fã também, tá?

      • Flávio Morgenstern

        6 de novembro de 2012 at 12:45

        Roger, é mesmo uma honra sem tamanho para mim seu comentário por aqui! :)
        Preciso abandonar o lado Descartes e partir para o Forrest Gump: pensador é quem pensa, e pensar não é só se mexer e conseguir pegar ônibus sozinho (sim, eu pego), mas especular, divagar, questionar, elucubrar, ordenar, duvidar. Isso poucos fazem, e exige muitos anos de treinamento.
        Olha, achar um ponto que ache babaca vai muito além do texto (que inteiro é babaca). Por exemplo, pode haver algo mais babaca do que criticar uma biografia em inglês no Twitter (até o Emir Sader tem uma) e escrever no alto de seu blog socialista moreno “Esquerdismo way of life”? Aliás, só não deixou até o próprio “esquerdismo” em inglês porque a língua inglesa não tem um termo para definir essa patacoada que só atrai adolescentes de Terceiro Mundo. Como não considerar até isso, que está fora do texto, puramente babaca?
        Muito obrigado por sua ilustre presença, grande mestre!
        (a propósito, sua música “Inútil” parece mais atual hoje do que quando a escreveu, não acha?)

    • Airton

      3 de novembro de 2012 at 19:36

      E dizer que babaca era uma coisa boa , gostosa , até cair na boca do Faustão e virar o contrário do que ela é .

    • Homem Macaco

      7 de novembro de 2012 at 21:27

      Sr. Pensador, depois dessa invertida que levastes do Roger, bota o pijaminha e vai pra cama. Kkkkkkkkk

  29. odnamrataizem

    2 de novembro de 2012 at 20:18

    Ah, vá, Morgenstern, dessa vez ela tá certa. Mal posso esperar até os invasores de reitoria da USP entrarem na mira dela alguns anos depois de terem se formado :P

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Recentes

To Top