facebook
Blog

Dia das Prostitutas: Ministro Padilha pede desculpa a Marco Feliciano

O Ministro da Saúde correu ligar para o pastor-cantor (e aliado) desculpando-se pela frase “sou feliz sendo prostituta” de uma propaganda do ministério.

A manchete parece louca ou até sacana, mas é vergonhosamente verdadeira: o Ministério da Saúde, do qual Padilha é titular, publicou propagandas por conta do Dia da Prostituta, sendo que uma delas dizia “sou feliz sendo prostituta”. Claro que gerou polêmica, como vocês podem ver aqui.

E o que faz o Ministro? O que qualquer um (de rabo preso com a bancada evangélica radical) faria: pediu DESCULPAS a Marco Feliciano. Sim, isso mesmo, AQUELE Marco Feliciano, que os petistas fingem não gostar nas redes sociais, mas do qual dependem para suas alianças eleitorais. Confiram aqui e na imagem abaixo:

O pastor e aliado agradece pelo carinho do ministro petista.

Guarde com carinho esse post, porque no ano que vem os petistas farão campanha dizendo que o adversário (seja quem for) apela para radicalismo religioso. É a mesma mentira de sempre, agora com uma rara (parecia impossível!) prova MATERIAL de quem leva a campanha para esse lado e, mais ainda, enfurna em cargos públicos os evangélicos mais radicais (valendo lembrar que Crivella, nada menos que sobrinho de Edir Macedo, é Ministro da Pesca – acreditem, é verdade).

Essa coisa de fazer propaganda ou cartilha é um truque velho: escalões inferiores preparam material “polêmico”, de modo a agradar a militância e/ou municiar os setoriais do partido da área respectiva, para que alardeiem as iniciativas em prol da causa por parte do governo. Daí acontece o óbvio e previsível bafafá e alguém lá de cima atropela tudo, selando as pazes com setores conservadores – cabendo à militância setorizada dizer que os avanços vêm com o tempo tal e coisa.

De todo modo, guardem isso. Será útil em 2014 quando o amiguinho petista vier encher o saco falando em Estado Laico ou dizendo que os outros apelam para isso e aquilo. Quem apela são eles, que ainda por cima ligam para pedir desculpas a Marco Feliciano – que, afinal de contas, é um aliado.

ps – acha que é PÔKA ZUÊRA? Pois já estavam comprometidos – veja aqui.

Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 100% OFF (com desconto máximo de R$ 10) em até 2 corridas. Após ativado, o crédito terá validade de 30 dias.

13 Comentários

13 Comments

  1. LUCIANO RIBEIRO

    12 de junho de 2013 at 13h56

    Palhaçada mesmo é essa pouca vergonha de se valorizar uma atitude altamente reprovavel. Quer ajudar as pessoas que praticam a prostituição? Então as ajude a sair desta vida. Que o governo promova programas de inserção social, emprego etc para dar a essas pessoas uma vida digna como qulaquer outra deseja ter. E sobre o Feliciano eu não vejo nada de errado. O que ele fez foi manter a sua postura em relação a tudo o que ele sempre vem levantando: luta pela vida, contra a mordaça gay, abominação do aborto etc.

  2. Eli Forte

    6 de junho de 2013 at 22h34

    Ignorância do Ministro!
    Eu já postei uma opinião para o sindicato das profissionais do sexo de Pernambuco, na qual eu dizia que: dá pra melhorar a situação da classe se for disponibilizado também um curso de nível superior no ramo da TERAPIA SEXUAL.
    O curso de terapia sexual já existe no campo da psicologia, mas dá muito bem pra unir este estudo com outras técnicas como as de massagens terapêuticas, a farmacologia, a medicina e o sexo explorado adequadamente como técnica, justamente para que tenhamos profissionais qualificados tanto para resolver problemas sexuais como para oferecer lazer sexual de forma racional, segura e responsável.
    Sexo para misticistas ou é pecado ou no mínimo sinônimo de escândalos.
    Sexo para existencialistas é sexo (biologia e afetividade), podendo ser tanto uma diversão como um ato de carinho para procriação.

  3. André Shalders

    5 de junho de 2013 at 14h37

    Caríssimo, aonde foi que você viu prova material nesse caso? Um tweet do Feliciano, para mim, significa pouca coisa, e muito menos serve de PROVA sobre alguma ação do ministro. Feliciano pode muito bem ter tuitado isso da boca pra fora, como aliás é costume dele.

    Não defendo a atitude do padilha, de retirar o material, mas esse tweet não prova coisa alguma. E se for mentira?

    Bom, se for mentira você comprou a versão do Feliciano, servindo fielmente aos interesses escusos dele, e de quebra induzindo um monte de gente a pensar o mesmo.

    Duvido que este comentário seja publicado, mas se for, gostaria que o leitor levasse essa ponderação em conta antes de sair reproduzindo qualquer coisa dita por Feliciano.

    • Airton

      6 de junho de 2013 at 19h06

      Realmente nada significa , mas você leu em algum lugar o desmentido do Padilha e que ele vá entrar com alguma ação contra o Feliciano ?

    • Gravatai Merengue

      6 de junho de 2013 at 21h54

      Taí, publicado.

      Padilha, MINISTRO DE ESTADO, liga para Feliciano depois de retirar uma peça publicitária por pressão dos evangélicos.

      Não é um pedido de desculpa? Falaram do quê?

      :)

  4. Bruno Batista

    5 de junho de 2013 at 14h22

    Gravz, entendo seu ponto e tal, mas onde no twitt do Feliciano está escrito “pedido de desculpas”. Isso aí é por sua conta e acho que você está fazendo como os esquerdistas: distorcendo os fatos. Parece claro que ele deu sim satisfações ao Feliciano, mas daí a pedido de desculpas, acho que você está forçando demais.

    • Airton

      6 de junho de 2013 at 19h05

      Qual o motivo do Padilha ligar para o Padilha ?
      Estaria ele querendo se converter e pediu informações ao Feliciano ?

    • Gravatai Merengue

      6 de junho de 2013 at 21h53

      Você acha que ele ligou para o Feliciano, tratando de uma peça publicitária que saiu do ar por pressão dos evangélicos, para dizer o quê? Falar sobre futebol?

  5. André Ruas

    5 de junho de 2013 at 10h27

    Mas infelizmente é verdade que as alianças fazem parte da vida política, seja ela em que escala for. Quem tem saco para qualquer militância coletiva tem que se sujeitar às composições e que invariavelmente obriga o sujeito a engolir sapos.
    A questão aqui é que estamos vivendo um crescimento do fundamentalismo religioso tomando conta dos espaços políticos, por terem cada vez mais respaldo nas mais diversas camadas da sociedade, em especial na classe média, na nova e velha! E o pior: por espaço deixado pela igreja católica que não abre mão de seus dogmas carcomidos.
    Por fim, o desafio que temos não está apenas na atenção ao governo, mas principalmente nos caminhos de nossa sociedade e no que podemos fazer pra não deixar de sermos um sociedade plural.

  6. Hay

    5 de junho de 2013 at 9h36

    Lembro-me de um artigo da Carta Capital: “O Maluf esta com o PT, o Malufismo com o PSDB”. Entao, em 2014, dirao “O Marco Feliciano esta com o PT, o MarcoFelicianismo com o PSDB”. Nenhuma surpresa, petistas nao sao la muito amigos do raciocinio logico e coerente.

  7. Maj Winters

    5 de junho de 2013 at 7h56

    “cabendo à militância setorizada dizer que os avanços vêm com o tempo tal e coisa.” o certo é “cabendo a militância dizer que os avanços foram suspensos por causa da oposição e da classe media burguesa paulistana”

  8. livrexpress

    5 de junho de 2013 at 2h17

    No tuite citado no artigo, o deputado Marco Feliciano diz que recebeu um telefonema do ministro Padilha. Não fala em “desculpas”.

    Além do mais, vergonha não é o ministro dar explicações ao deputado Marco Feliciano (220 mil votos) ou aos ditos “evangélicos radicais” (que, obviamente, não são objeto da simpatia do autor do artigo).

    Vergonha maior seria o ministro ou o governo ter de abrir (ainda mais) as pernas e dar explicações a uma minoria “representada” (?) por algum semi-deputado ex-BBB (13 mil votos) aspirante a ditador, por exemplo.

    E vergonha maior ainda é o FATO do Ministério da Saúde ter um setor dedicado à propaganda ideológica “progressista” (de promoção da put#ria, gayzismo, etc) disfarçado de “Departamento de Combate a AIDS e DSTs”.

    Se o Padilha voltou atrás na questão da propaganda de louvação à prostituição, em função de Feliciano ou não, é o de menos grave e menos vergonhoso nessa história.

    • Airton

      6 de junho de 2013 at 19h09

      Onde se fala em VERGONHA no texto ?
      Qual a razão de ligar ao Feliciano ? Os 200 mil votos ? Ele ligaria pra quem teve mais votos , mas não é presidente da Comissão de Direitos Humanos e pode fazer muito barulho ?

Deixe um comentário

Mais Lidas

To Top