Blog

Dirceu abriu filial de consultoria em paraíso fiscal

O negócio se deu no mesmo endereço da empresa dona do hotel que lhe prometera um emprego com salário de 20 mil reais.

20131126083703_jose-dirceu

O ano de 2013 voltou a ser mais um daqueles em que José Dirceu, para azar dele e de todos os brasileiros, protagoniza muitas manchetes. Em mais um capítulo da novela que tenta entender como se desenvolve seu poder de influência no país, o Estadão revela que o mensaleiro já abriu uma filial de sua empresa de consultoria no Panamá, famoso paraíso fiscal da América Central. Mais do que isso, que tal empresa divide o mesmo endereço com a dona do hotel que lhe prometera um salário de 20 mil reais antes de ser revelado pelo Jornal Nacional que um de seus sócios seria um “laranja”:

José Dirceu abriu no Panamá uma filial de sua empresa de consultoria. Ela fica no mesmo endereço da Truston International, dona do hotel que ofereceu a ele emprego de R$ 20 mil no mês passado. A JD Assessoria e Consultoria registrou a filial em 2008, três anos depois de Dirceu ser apeado do governo em meio ao escândalo do mensalão, no escritório da Morgan & Morgan, que disponibiliza testas de ferro para milhares de firmas estrangeiras, como a Truston, no conhecido paraíso fiscal da América Central.

(grifos nossos)

Para o governo brasileiro, tal filiação não chegou a durar dois anos. Contudo, há a suspeita de que a manobra serviu apenas para disfarçar as atividades realizadas no exterior, podendo a filial seguir sua atividade no Panamá segundo as leis locais.

A sucursal da empresa de Dirceu no Panamá existiu para os órgãos públicos brasileiros por ao menos um ano. Em abril de 2009, numa alteração contratual, o ex-ministro decidiu “tornar sem efeito” a abertura da filial no Panamá. Segundo um delegado da Polícia Federal, um servidor do alto escalão da Receita Federal e um advogado especialista em direito empresarial ouvidos pelo Estado, o registro, no entanto, só tem valor no Brasil e não impede que a JD prossiga com eventuais negócios no paraíso fiscal.

A mudança contratual, na opinião desses especialistas, serviria para “apagar” o rastro da existência da filial da empresa de Dirceu em bancos de dados públicos no Brasil, como cartórios e juntas comerciais, sem a que produzisse efeito no Panamá.

A Morgan & Morgan, alegando sigilo, não informou a atual situação da JD no paraíso fiscal. Segundo a legislação local, empresas podem ser registradas em nomes de “laranjas” e estampar nomes fantasia que não guardam relação com a empresa original.

(grifos nossos)

A reportagem também revelou detalhes sobre esta questionável consultoria exercida pela empresa de José Dirceu:

O contrato social da empresa de Dirceu lista diversas atividades, entre elas facilitar negócios de particulares com o poder público não só no Brasil.

Cabe à consultoria, por exemplo, trabalhar por “parcerias empresariais com os países do Mercosul” e viabilizar o “relacionamento institucional de particulares com os mais variados setores da administração pública”.

(grifos nossos)

Essa estranha relação entre Dirceu, a Morgan & Morgan e o hotel Saint Peter explicaria os benefícios recebidos pela Top TV, emissora do ex-futuro chefe do petista, quando, contrariando um parecer técnico, recebeu autorização do governo liberando a transferência de Francisco Morato para a avenida Paulista.

Em outras manchetes explosivas e recentes, Dirceu foi citado no livro bombástico de Romeu Tuma Jr. Estão nos relatos de Tuminha uma confissão de Gilberto Carvalho que coloca Dirceu como receptor dos desvios de verba que culminaram a morte de Celso Daniel em 2002; assim como supostas provas de que o mesmo Dirceu seria o responsável pela lavagem de dinheiro do Mensalão nas Ilhas Cayman, mais um paraíso fiscal da América Central.

Dois anos antes, Dirceu já havia sido acusado pela Veja de manter um gabinete clandestino num hotel em Brasília para colocar em prática toda a sua influência sobre o poder público.

As novas acusações surgem como peças que se encaixam perfeitamente em todas as desconfianças que já pairaram sobre o ex-deputado federal. Desconfianças essas que aos poucos se tornam certezas.

Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 50% OFF (com desconto máximo de R$ 20) em 3 corridas.

Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top