Mundo

Donald Trump, na ONU: “O problema na Venezuela é que o socialismo foi fielmente implementado”

06.04.2017 - President Trump addresses the nation after authorizing missile strikes in Syria

“Se formos forçados a defender a nós mesmos, não teremos escolha senão destruir a Coreia do Norte”, disse Trump

Foto: The White House

Donald Trump discursou por quarenta minutos na Assembleia Geral das Nações Unidas realizada em 19 de setembro de 2017. É, de fato, uma questão subjetiva, mas talvez tenha sido o presidente americano a fazer uso do mais duro tom que se tenha notícia. O republicano abriu fala enumerando os feitos econômicos de sua gestão, mas logo lembrou que o Plano Marshall reconstruiu a Europa após a Segunda Guerra Mundial. Era a senha para cobrar uma retribuição, afinal, a Casa Branca estaria na mira das ogivas nucleares que Kim Jong-un vem testando.

Globalismo

Antes, contudo, e sem citar o termo, Trump atacou o globalismo, ou a ideia de que os Estados Unidos devem se submeter a interferências externas:

“Esperamos que todas as nações defendam esses dois deveres soberanos fundamentais: respeitar os interesses de seu próprio povo e respeitar os direitos de todas as outras nações soberanas.

Como presidente dos Estados Unidos, sempre colocarei a América em primeiro lugar, assim como vocês, como líderes de seus países, sempre irão e sempre devem colocar seus próprios países em primeiro lugar.

O flagelo de nosso planeta hoje é um grupo pequeno de regimes irresponsáveis que violam todos os princípios sobre os quais as Nações Unidas se baseiam. Eles não respeitam nem seus próprios cidadãos, nem os direitos soberanos de seus países.

Se os muitos justos não enfrentarem os poucos perversos, o mal vai triunfar.

ONU e Coreia do Norte

Em seguida, e com certa ingenuidade, colocou a ONU na parede: ou a instituição toma atitudes sérias contra a Coreia do Norte, ou os EUA serão obrigados a iniciar um banho de sangue que apagaria a ditadura adversária do mapa.

Mas Trump precisa ser mais esperto do que isso. Não deveria ser segredo para ninguém que as Nações Unidas são uma organização esquerdista. E, como tal, adoraria ver Trump na autoria de um genocídio.

Ninguém demonstrou mais desprezo por outros países e pelo bem-estar de sua própria população que o depravado regime da Coreia do Norte. Ele é responsável pela morte pela fome de milhões de norte-coreanos e pela prisão, tortura, morte e opressão de incontáveis outros.

A busca insensata da Coreia do Norte por armas nucleares e mísseis balísticos ameaça o mundo inteiro com uma perda impensável de vidas humanas.

Os Estados Unidos têm grande força e paciência, mas, se formos forçados a defender a nós mesmos ou a nossos aliados, não teremos outra escolha senão destruir a Coreia do Norte completamente. O Homem dos Foguetes se lançou numa missão suicida para ele próprio e seu regime. Os Estados Unidos estão preparados, dispostos e habilitados, mas esperemos que isso não seja necessário. É isso o que fazem as Nações Unidas; é para isso que servem as Nações Unidas. Veremos como elas fazem.

É hora de a Coreia do Norte entender que a desnuclearização é seu único futuro aceitável. Recentemente o Conselho de Segurança das Nações Unidas realizou duas votações, vencidas por unanimidade por 15-0, para a adoção de resoluções rígidas contra a Coreia do Norte, e quero agradecer à China e Rússia por terem se unido ao voto pela imposição de sanções, ao lado de todos os outros membros do Conselho de Segurança. Obrigado a todos por se envolverem.

Mas precisamos fazer muito mais. É hora de todas as nações trabalharem juntas para isolar o regime de Kim até ele cessar seu comportamento hostil.

Irã

No que se transformou na maior crítica à gestão anterior, Trump não poupou adjetivos ao desastroso acordo assinado com o Irã.

O governo iraniano oculta uma ditadura corrupta por trás de uma falsa fachada de democracia. Ele converteu um país rico, dotado de história e cultura férteis, em um Estado irresponsável e economicamente enfraquecido cujos principais produtos de exportação são a violência, o derramamento de sangue e o caos. As vítimas que há mais tempo sofrem os efeitos do que fazem os líderes iranianos são, na realidade, a própria população desse país.

Em vez de fazer uso de seus recursos para melhorar a vida dos iranianos, os lucros petrolíferos do país são usados para financiar o Hezbollah e outros terroristas que matam muçulmanos inocentes e atacam seus vizinhos árabes e israelense pacíficos. Essa riqueza, que pertence por direito à população do Irã, também é usada para escorar a ditadura de Bashar Assad, alimentar a guerra civil no Iêmen e prejudicar a paz em todo o Oriente Médio.

Não podemos permitir que um regime assassino leve adiante essas atividades desestabilizadoras ao mesmo tempo em que constrói mísseis perigosos, e não podemos respeitar um acordo se este dá cobertura à eventual construção de um programa nuclear. (Aplausos) O acordo com o Irã foi uma das piores e mais unilaterais transações já fechadas pelos Estados Unidos. Francamente, esse acordo é motivo de constrangimento para os Estados Unidos.”

Terrorismo Islâmico

É importante observar que Trump não faz uso de eufemismos ou um linguajar politicamente correto. A briga dele é com o “terrorismo islâmico”, nestes termos.

Vamos acabar com o terrorismo islâmico porque não podemos permitir que ele dilacere nossa nação ou, na realidade, que dilacere o mundo inteiro.

Buscamos a desescalada do conflito sírio e uma solução política que honre a vontade do povo sírio. As ações do regime criminoso de Bashar Assad, incluindo o uso de armas químicas contra seus próprios cidadãos —até mesmo crianças inocentes-chocam a consciência de todas as pessoas de bem. Nenhuma sociedade pode viver em segurança se permitirmos que armas químicas proibidas se alastrem. É por isso que os Estados Unidos realizaram um ataque com mísseis contra a base aérea da qual o ataque foi lançado.”

Migração Descontrolada

Trump já não fala em migração legal ou ilegal. Ele prefere “migração descontrolada”. A diferença é importante. Não basta legalizar a migração de qualquer jeito. Ela precisa ser feita de maneira a tornar segura a vida de todos os indivíduos.

Pelo custo de reassentamento de um refugiado nos Estados Unidos, podemos ajudar mais de dez em sua região de origem. 

Aprendemos que, no longo prazo, a migração descontrolada é profundamente injusta tanto para os países que enviam quanto para os que recebem migrantes.

Para os países que enviam migrantes, isso reduz a pressão doméstica para que implementem reformas políticas e econômicas necessárias e os drena do capital humano necessário para motivar e implementar essas reformas.

Para os países que recebem migrantes, os custos substanciais da migração descontrolada oneram sobretudo os cidadãos de baixa renda cujas preocupações frequentemente são ignoradas pela mídia e o governo.”

Cuba e Venezuela

As duas ditaduras socialistas foram alvo de justos protestos por parte de Trump. Por mais que sejam economias nanicas, são problemas ainda crescentes no continente que historicamente vive sob a influência norte-americana.

“As nações do mundo precisam assumir um papel maior na promoção de sociedades seguras e prósperas em suas próprias regiões.

É por isso que, no Hemisfério Ocidental, os Estados Unidos têm se posicionado contra o regime corrupto e desestabilizador de Cuba e abraçado o sonho duradouro do povo cubano de viver em liberdade. Minha administração anunciou recentemente que não levantaremos as sanções impostas ao governo cubano enquanto ele não empreender reformas fundamentais.

Também impusemos sanções duras e cuidadosamente medidas sobre o regime socialista de Maduro na Venezuela, que levou uma nação antes dinâmica e forte à beira do colapso total.

A ditadura socialista de Nicolás Maduro impôs sofrimento e dor terríveis ao bom povo desse país. Esse regime corrupto destruiu uma nação próspera, impondo a ela uma ideologia falida que produziu pobreza e miséria em toda parte onde se tentou segui-la. Para agravar a situação, Maduro desafiou seu próprio povo, roubando o poder de seus representantes eleitos para preservar seu governo desastroso.

A população venezuelana está passando fome, e seu país está desabando. Suas instituições democráticas estão sendo destruídas. Essa situação é completamente inaceitável, e não podemos assistir a ela sem nada fazer.

Como vizinhos e amigos responsáveis, nós e todos os outros temos uma meta. Essa meta é ajudá-los a recuperar sua liberdade, recuperar seu país e restaurar sua democracia. Quero agradecer aos líderes neste recinto por condenarem o regime e darem apoio vital ao povo venezuelano.”

Socialismo

Numa frase que deve reverberar pela história, Trump deixou claro que o socialismo não falhou na Venezuela, mas que ele é pensado justamente para destruir nações.

O problema na Venezuela não é que o socialismo tenha sido mal implementado, mas que o socialismo foi fielmente implementado. (Aplausos). Da União Soviética a Cuba e à Venezuela, onde quer que o verdadeiro socialismo ou comunismo tenham sido adotados, geraram sofrimento, devastação e fracasso. Aqueles que pregam os princípios dessas ideologias desacreditadas apenas contribuem para o sofrimento contínuo das pessoas que vivem sob esses sistemas cruéis.”

E pensar que no Brasil há bloco de carnaval em homenagem a essa atrocidade.

Fonte: Folha de S.Paulo

Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 50% OFF (com desconto máximo de R$ 20) em 3 corridas.

Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top