facebook
...
Blog

Escândalo no Esporte: Por enquanto a “faxineira” Dilma prefere esperar a sujeira invadir seu gabinete

Conforme antecipamos ontem, uma nova crise se instaurou no governo Dilma. Desta vez no Ministério do Esporte. As denúncias têm um potencial destrutivo imprevisível.

Com a proximidade da Copa do Mundo e a série de dificuldades que o governo enfrenta para gerenciar as obras de infraestrutura, a presidente ainda avalia se é melhor manter um ministro sob suspeição ou demití-lo e tentar reestruturar a pasta. A gravidade da denúncia recomendaria o afastamento e uma investigação rigorosa mas, como tornou-se hábito na administração petista, outros fatores são levados em consideração antes da tomada de decisão. Nos comentários abaixo explicamos melhor quais são eles, por enquanto leiam o que informa a Folha de São Paulo:

Dois integrantes de um suposto esquema de desvio de recursos do Ministério do Esporte acusam o ministro Orlando Silva (PC do B) de participação direta nas fraudes, segundo reportagem publicada pela revista “Veja”.
O soldado da Polícia Militar do Distrito Federal João Dias Ferreira e seu funcionário Célio Soares Pereira disseram à revista que o ministro recebeu parte do dinheiro desviado pessoalmente na garagem do ministério.
Localizado ontem pela Folha, Pereira confirmou a acusação contra o ministro, mas recusou-se a dar entrevista. Segundo a “Veja”, Pereira descreveu assim a entrega, que teria ocorrido em 2008: “Eu recolhi o dinheiro com representantes de quatro entidades aqui do Distrito Federal que recebiam verba do [programa] Segundo Tempo e entreguei ao ministro, dentro da garagem, numa caixa de papelão. Eram maços de notas de 50 e 100 reais”.
Do México, onde acompanha o Pan-Americano, o ministro disse que a acusação é uma “fraude” e pediu à Polícia Federal que a investigue.
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou que conversou ontem com Silva por telefone e que determinará a abertura de inquérito no começo da semana.
O PC do B informou que, por solicitação do ministro, pedirá a antecipação de um depoimento que Silva daria à Comissão de Fiscalização da Câmara dos Deputados.
Segundo a Folha apurou, a reação do ministro agradou ao governo, que por ora não cogita substituí-lo.

Íntegra aqui (para assinantes)

Comentário:

Quem acompanha as notícias de escândalos na administração petista não deve se surpreender com o itinerário de ações do governo frente a casos de corrupção. Num primeiro momento, avalia-se o potencial que as denúncias tornadas públicas na imprensa têm de gerar desdobramentos.

Se as reportagens forem baseadas somente em depoimentos, ótimo para o governo. Mantém-se o servidor no cargo. Foi assim com as denúncias que ligaram Aloizio Mercadante ao esquema dos “aloprados”.

Quando há provas materiais e o envolvimento de um maior número de pessoas, a história é diferente. Neste caso, o governo se articula e busca informações sobre investigações em andamento. Caso perceba que elas serão capazes de fornecer pauta para a “mídia” durante um bom período, demite-se. Foi o que ocorreu com Antônio Palocci e Wagner Rossi, só pra citar alguns dos vários exemplos.

Salvo raras exceções, como o ocorrido com Alfredo Nascimento, onde a presidente Dilma aguardava uma justificativa para pedir a cabeça do então ministro dos Transportes, é esse o procedimento padrão. Sendo assim, não faz sentido empregar o termo “faxina”, já que em nenhum momento o governo preocupou-se em remover a sujeira de sua administração. Ao contrário, a preocupação sempre foi uma só, impedir que os detritos acumulados invadissem o saguão do Palácio do Planalto.

O aconselhável é que a presidente Dilma afaste o ministro Orlando Silva até o término das investigações. Não se trata de pré-julgamento, e sim de um ato de responsabilidade e zelo pelo bem público. Como qualquer cidadão, Silva dispõem da presunção de inocência, mesmo que seu histórico indique o contrário.

 

Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 50% OFF (com desconto máximo de R$ 20) em 3 corridas.

3 Comentários

3 Comments

  1. Ben

    17 de outubro de 2011 at 06:26

    O nome deveria ser Ministério das Lanchonetes. Haja lanche pra tanta criançinha barbada. Não é à toa que tem tanto companheiro obeso.

  2. Gesni Silva

    16 de outubro de 2011 at 08:45

    Bom dia!

    Não seria Ministério dos Esportes? Se bem que tanto faz, é tudo podre mesmo.

    Um abraço e boa luta.

    • Exilado

      16 de outubro de 2011 at 18:56

      Corrigido Gesni. Obrigado.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top