Brasil

A esquerda votou em peso a favor da Ficha Limpa, mas não quer que a lei atinja Lula

O PT e aliados deram mais de 130 votos para a aprovação da lei que tornaria Lula inelegível

Foto: Enio Prado

Sancionada em junho de 2010, a Ficha Limpa deu o primeiro grande passo quando aprovada por uma quase unanimidade um mês antes. Só o peemedebista Marcelo Melo votou contra, mas logo assumiu que se confundira.

Por unanimidade, é preciso deixar claro: a esquerda em peso votou a favor. Foram 65 votos do PT, 13 do PPS, 25 do PSB, 16 do PDT, 10 do PCdoB e 3 do PSOL – só para ficar na ala que orbitava o petismo.

Passada a condenação de Lula no TRF4, o petista tornou-se inelegível graças à Ficha Limpa. Como a esquerda reagiu a isso? Dizendo que não aceita que o ex-presidente não busque um terceiro mandato em 2018.

Ironicamente, a sanção da Ficha Limpa veio da caneta do próprio Lula, em seu último ano como presidente – talvez acreditasse que a lei só serviria aos inimigos.

Curtiu o texto? Siga o autor no Twitter ou Facebook, ou contribua com o crowdfunding (financiamento coletivo) dele clicando aqui e seguindo as instruções.
Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 100% OFF (com desconto máximo de R$ 10) em até 2 corridas. Após ativado, o crédito terá validade de 30 dias.

Mais Lidas

Política & Implicância.

© 2011 implicante.org - Todos os Direitos Reservados

Para o Início