Blog

Fotos provam que Lupi mentiu ao Congresso; Ministro ajudou aliado a criar sindicatos-fantasmas

Duas notícias publicadas entre ontem e hoje ajudam a agravar a situação de Carlos Lupi no Ministério do Trabalho. Primeiro, o site Grajaú de Fato divulgou fotos que comprovam que Lupi mentiu ao afirmar que não conhecia Adair Meira, o gaúcho cujas ONGs possuem contratos milionários com o Ministério. O próprio Adair Meira também desmentiu o ministro em entrevista ao Estadão, confirmando ter viajado em companhia dele.

Hoje, o jornal Folha de S. Paulo informa que Lupi deu aval à criação de sindicatos-fantasmas no Amapá:

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, concedeu registro a sete sindicatos patronais no Amapá para representar setores da indústria que, segundo o próprio governo local, não existem no Estado. Os certificados saíram a pedido do deputado Bala Rocha (PDT-AP), dirigente do partido de Lupi, que afirma ter se valido da proximidade partidária com o ministro. Nenhum dos presidentes desses sindicatos é industrial. São motoristas de uma cooperativa de veículos controlada por um aliado de Rocha. Os sindicatos têm registros em endereços nos quais não há estrutura montada. As certidões foram dadas pelo ministério em abril e agosto de 2009 e levam a assinatura de Lupi, ao lado da inscrição “certifico e dou fé”, e do então secretário de Relações do Trabalho, Luiz Antonio de Medeiros. O ministério foi avisado por ofício pela Federação das Indústrias do Estado do Amapá, em fevereiro de 2009, de que esses sindicatos não tinham representação. Como resposta, a pasta alegou que “não cabe ao ministério apurar se os integrantes da entidade possuem indústria no ramo ao qual pretendem representar” e que apenas sindicatos poderiam fazer esses questionamentos. Em agosto deste ano, o deputado Vinícius Gurgel (PRTB-AP) enviou ofício ao gabinete de Lupi reiterando as suspeitas de irregularidades.

Entre os sindicatos criados está o das Indústrias da Construção e Reparação Naval. A produção de navios no Estado é zero, segundo o secretário de Indústria do Amapá, José Reinaldo. Assim como não há indústria de papel e celulose, segmento que também ganhou carta sindical de Lupi. “No Amapá a gente apenas produz matéria-prima para fabricar papel”, disse o secretário. Hoje, afirma, o setor público domina a economia do Estado. Em 2009, segundo o IBGE, havia 145 empresas da indústria, com 4.000 empregos. “A criação de tantos sindicatos só se explica pelo cunho político”, afirmou. O reconhecimento do ministério daria aos sete sindicatos força para disputar o controle da Federação das Indústrias do Amapá, que tem orçamento anual superior a R$ 10 milhões e controla verbas do Sistema S (Sesi, Senai). A federação é dirigida hoje pelo PR. Quem escolhe o presidente são os dirigentes dos sindicatos, por maioria.

Os sindicatos também têm o direito de recolher o imposto sindical pago por empresas que se filiarem a eles. A Caixa Econômica Federal, responsável por dividir o imposto, disse que o valor dos repasses é sigiloso. Os presidentes dos sindicatos do Amapá têm em comum o fato de serem de uma cooperativa de motoristas ligada a um político do PTB, aliado ao PDT no Estado. A maioria dos supostos industriais declarou à cooperativa ser motorista. As indústrias das quais dizem ser donos existem apenas no papel.

(grifos nossos)

Comentário

Mais uma vez o surrealismo toma conta do noticiário político-policial. Depois de o ministro ter afirmado que só sairia do cargo “a bala”, surge a denúncia de que ele atuou para favorecer um aliado que atende pela alcunha de… Bala Rocha! Lupi terá de caprichar na declaração de amor à presidente dessa vez.

Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 50% OFF (com desconto máximo de R$ 20) em 3 corridas.

3 Comentários

3 Comments

  1. Jorge Rocha

    17 de novembro de 2011 at 16:08

    Com a palavra e a caneta prá demitir o canalha, A Exma Sra Presidenta do Brasil.

  2. Thiago

    15 de novembro de 2011 at 21:10

    É cada tramoia pior que a outra! Sério, esse país não é nada sério =S

    Mas o povo também não ajuda em nada! ¬¬ Quase se fala em seguir as leis, o povo já vem com a desculpa de que o país é uma bagunça (geralmente com aquela máxima: “Aqui é Brasil!”) e não querem mudar nada…

  3. Golem

    15 de novembro de 2011 at 14:45

    Lupi, uma musica pra vc fazer uma serenata para a Dilma, do cantor Belchior:
    Foi por medo de avião, que eu segurei, pela primeira vez, a tua mão.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top