facebook
Blog

Lewandowski libera revisão do mensalão e diz que fez “das tripas coração” para respeitar prazo

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Ricardo Lewandowski acaba de entregar ao presidente da Corte, Carlos Ayres Britto, a sua revisão sobre o processo do mensalão. Com a entrega, o julgamento sobre o caso  poderá começar no dia 1º de agosto, desde que a presidência do STF publique uma edição extra do Diário de Justiça ainda hoje. Neste momento, o ministro Ayres Britto estuda se a possibilidade é viável.

No último dia 21, Ayres Britto enviou ofício a Lewandowski advertindo-o que deveria entregar a revisão do processo a tempo de não atrasar o início do julgamento. A cobrança de Britto irritou Lewandowski que respondeu a cobrança com outro ofício, sugerindo que a revisão poderia atrasar.

A reação de Lewandowski foi um dos assuntos mais comentados no Twitter, na manhã de hoje (26), conforme registro do Estadão:

 

Em meio a críticas sobre a demora na entrega do processo, Lewandowski defendeu-se dizendo que sua revisão foi  a “mais curta da história do Supremo”. Visivelmente irritado, o ministro disse que fez “das tripas coração para respeitar o que foi estabelecido pela Suprema Corte”.

Embora Lewandowski tenha recebido formalmente o relatório do ministro Joaquim Barbosa só em dezembro do ano passado, todo o processo, de acordo com Barbosa, já estava disponível para todos os ministros há pelo menos 4 anos.

Se a publicação acontecer hoje, tais prazos se encerram na sexta-feira, último dia útil, antes do recesso. O caso poderia, portanto, começar a ser julgado na primeira sessão do semestre que vem, dia 1º de agosto. Caso a liberação de Lewandowski só seja publicada amanhã, o julgamento poderá começar no dia 2 de agosto, ocorrendo o atraso de um dia.

Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 100% OFF (com desconto máximo de R$ 10) em até 2 corridas. Após ativado, o crédito terá validade de 30 dias.

4 Comentários

4 Comments

  1. Alex Mamed

    29 de junho de 2012 at 12h18

    Temos Negros estes em que vivemos.
    Um ex-Presidente que pressiona para não julgar é considerado ato de perfeita normalidade.
    O povo, a imprensa independente, as reddes sociais pedirem que se julgue (ou condena ou absolve) é golpe?
    Huuummmmm. Sei! Entendi. Eu acho que to perdendo a razão e não sei mais raciocinar corretamente.

  2. André Andretta

    27 de junho de 2012 at 1h25

    Acertou de novo o Ayres Britto, que vai começar o julgamento um dia mais tarde, mas não vai deixar de bandeja o argumento de perseguição ou algo assim.

  3. Arthur

    26 de junho de 2012 at 21h53

    Daqui a pouco aparece alguém da “blogosfera progressita” chamando a pressão popular sobre um ministro do supremo de golpe…

  4. Thiago

    26 de junho de 2012 at 17h17

    Lewandowski querendo engavetar o processo e o povo não deixa… que país é esse que o povo se revolta contra o ministro do STF e o obriga a fazer seu trabalho hein? Pode não! Aqui, só o ex-presidente pode pressionar os ministros a não fazerem o trabalho pelo qual ganha essa miséria de salário!

Deixe um comentário

Mais Lidas

To Top