facebook
Blog

Filhos Milionários: O “Lulinha” do Ministro

Primeiro, trechos de reportagem do jornal O Globo, logo voltamos:

Patrimônio do filho do ministro Alfredo Nascimento complica sua situação no governo – A revelação sobre o crescimento espetacular no capital da empresa de Gustavo Morais Pereira, filho do ministro Alfredo Nascimento (transportes), publicada nesta quarta-feira pelo GLOBO, torna insustentável a permanência do representante do PR no cargo. Essa avaliação foi feita reservadamente tanto no Palácio do Planalto como nas bancadas do PR no Congresso (…) No partido de Alfredo Nascimento, seus colegas consideraram muito ruim e muito fraca a explicação dada pelo ministro para o crescimento de mais de 86.000% no patrimônio da empresa criada em 2005 com capital de R$ 60 mil – hoje esse capital é de R$ 52 milhões, o que motivou a investigação do Ministério Público Federal no Amazonas. (grifos nossos)

Comentário
Um aumento de capital de 66 MIL POR CENTO! Não foram todas as empresas do Brasil que obtiveram tanto êxito, não é mesmo? Coincidentemente, o dono é filho do ministro cuja pasta está sob investigação – e da qual foram demitidos vários servidores.

Isso lembra o “Lulinhagate”. De ex-empregado do Zoológico (setor da Ariranha, segundo fontes), tornou-se milionário em parceria com empresa depois beneficiada por medidas do governo federal.

Em praticamente cinco anos, R$ 60 mil se transformaram em R$ 52 MILHÕES. Que beleza…

Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 100% OFF (com desconto máximo de R$ 10) em até 2 corridas. Após ativado, o crédito terá validade de 30 dias.

6 Comentários

6 Comments

  1. josé

    9 de julho de 2011 at 12h34

    o ministro agora pode fazer propaganda para o grecin 2000. cabelinho como a asa da graúna meeeeesmo.

  2. Gabriel Soares

    7 de julho de 2011 at 10h23

    Falando em evolução de patrimônio, esse Gustavo deve comer Paloccis no café da manhã.

  3. leoni pinheiro

    7 de julho de 2011 at 2h14

    Vou contar uma Historia:
    Trabalhei certa vez em uma construtora de rodovias chama de REDRAM em Casc….., que supostamente “faliu”e certa vez entrou no escritório do Patrão, um fiscal do Dpto. governamental do setor de estradas e transportes, ex jogador de futebol, com uma pasta em baixo do braço “murchinha” e saiu de lá com ela quase estourando. O que será que tinha dentro?
    Por aí vcs veem que o roubo com “construtoras” é de “PRAXE” neste PAÍS!!!!!

  4. Razumikhin

    6 de julho de 2011 at 16h39

    Olha aqui: esses valores devem ser relativos a um levantamento PRELIMINAR apenas. O montante de dinheiro desviado, em última análise, dos hospitais, creches, estradas, segurança etc. deve ser maior.
    Agora, sem sacanagem: – NUNCA na história republicana desse país TANTOS ROUBARAM TANTO !
    E, podem me chamar de nazista, de direita e golpista. Eu não era, mas estou pensando em virar.

  5. Ricardo Amaral

    6 de julho de 2011 at 15h35

    Cabe lembrar que capital social não significa que a empresa fature isso: ela deve ganhar MUITO mais.

    (Gravz: Capital Social é quanto a empresa tem de patrimônio, basicamente. Há o capital subscrito e o integralizado. O faturamento independe disso – uma empresa de grande capital social pode ter faturamento baixo, e vice-versa. Mas se a evolução do CS foi dessa monta, significa que foi esse o crescimento do patrimônio da empresa)

  6. Thiago

    6 de julho de 2011 at 15h06

    Acho que ser filho de ministro seria uma boa hein! Afinal, só te pegam se o pai fizer besteira…

Deixe um comentário

Mais Lidas

To Top