facebook
...
Blog

Ministro Pimentel coloca sob sigilo dinheiro brasileiro em Cuba e Angola

Carimbo de “secreto” abrange todas as negociações com a ditadura cubana e com o governo de Angola, um dos países mais corruptos do mundo; Dinheiro tem “pegada” do lobista Lula

CARIMBO-CONFIDENCIAL1

Reportagem da Folha de S. Paulo:

O ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento) tornou secretos os documentos que tratam de financiamentos do Brasil aos governos de Cuba e de Angola. Com a decisão, o conteúdo dos papéis só poderá ser conhecido a partir de 2027.

O BNDES desembolsou, somente no ano passado, US$ 875 milhões em operações de financiamento à exportação de bens e serviços de empresas brasileiras para Cuba e Angola. O país africano desbancou a Argentina e passou a ser o maior destino de recursos do gênero.

Indagado pela Folha, o ministério disse ter baixado o sigilo sobre os papéis porque eles envolvem informações “estratégicas”, documentos “apenas custodiados pelo ministério” e dados “cobertos por sigilo comercial”.

Os atos foram assinados por Pimentel em junho de 2012, um mês após a entrada em vigor da Lei de Acesso à Informação. É o que revelam os termos obtidos pela Folha por meio dessa lei.

Só no ano passado, o BNDES financiou operações para 15 países, no valor total de US$ 2,17 bilhões, mas apenas os casos de Cuba e Angola receberam os carimbos de “secreto” no ministério.

Segundo o órgão, isso ocorreu por que havia “memorandos de entendimento” entre Brasil, Cuba e Angola que não existiam nas outras operações do gênero.

O ministério disse que o acesso a esses outros casos também é vetado, pois conteriam dados bancários e comerciais já considerados sigilosos sem a necessidade dos carimbos de secreto.

INEDITISMO

Antes da nova Lei de Acesso já existia legislação que previa a classificação em diversos graus de sigilo, mas é a primeira vez que se aplica o carimbo de “secreto” em casos semelhantes, segundo reconheceu o ministério. O órgão disse que tomou a decisão para se adaptar à nova lei.

O carimbo abrange praticamente tudo o que cercou as negociações entre Brasil, Cuba e Angola, como memorandos, pareceres, correspondências e notas técnicas.

As pistas sobre o destino do dinheiro, contudo, estão em informações públicas e em falas da presidente Dilma.

Em Havana, onde esteve em janeiro para encontro com o ditador Raúl Castro, ela afirmou que o Brasil bancava boa parte da construção do Porto de Mariel, a 40 km da capital, obra executada pela empreiteira Odebrecht.

Ela contou ainda que o Brasil trabalhava para amenizar os efeitos do embargo econômico a Cuba. “Impossível se considerar que é correto o bloqueio de alimentos para um povo. Então, nós participamos aqui, financiando, através de um crédito rotativo, US$ 400 milhões de compra de alimentos no Brasil.”

Na visita a Luanda, em Angola, Dilma falou em 2011 que “os mais de US$ 3 bilhões disponibilizados pelo Brasil fazem de Angola o maior beneficiário de créditos no âmbito do Fundo de Garantias de Exportações” do BNDES.

Folha revelou que o ex-presidente Lula esteve em Angola, em 2011, onde participou de um evento patrocinado pela Odebrecht.

O Desenvolvimento diz que os financiamentos têm o objetivo de dar competitividade às empresas brasileiras nas vendas ao exterior. A Folha não conseguiu falar com as assessorias das embaixadas de Cuba e de Angola.

(grifos nossos)

Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 50% OFF (com desconto máximo de R$ 20) em 3 corridas.

5 Comentários

5 Comments

  1. SideShow Bob

    12 de abril de 2013 at 14:39

    Desculpa esfarrapada do Ministro.

    Qualquer pessoa com mais de dois neurônios percebe que em um caso há evidente privilégio a principal patrocinadora do Lulla e no seguindo sabe-se que Cuba não irá devolver o dinheiro (acabará recebendo a rubrica de ajuda humanitária) e a Odebrech recebe mais uma bolada (25% vai para o partido)

  2. Maj Winters

    9 de abril de 2013 at 13:58

    Ninguem quer saber do embargo. Querem mesmo é mandar dinheiro pra construtora.

  3. @jesael

    9 de abril de 2013 at 12:53

    Alguém avisa o ministro: Entre 2001 e 2012 os malvadões americanos EXPORTARAM OFICIALMENTE PARA CUBA a quantia de US$ 3,5 bilhões. Existe uma emenda do Congresso Americano (de 2000) que permite este comércio.

    Fonte: Council on Foreign Relations
    https://www.cfr.org/cuba/us-cuba-relations/p11113

    • Thiago

      11 de abril de 2013 at 02:18

      É, esse embargo é meio muquirana, Cuba compra um monte de coisas de outros países… mas ninguém saber disso, pois o lance é falar que Cuba é coitadinha e sofre na mão dos EUA ¬¬”

  4. Roberto Betopernambuco

    9 de abril de 2013 at 12:30

    UMA FORCAS ARMADAS QUE PERMITE UMA SANGRIA DESSA E’ CONIVENTE

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top