facebook
Mundo

Nicolás Maduro foi acusado de matar 8.290 venezuelanos

Pelos números da ex-procuradora-geral venezuelana, Maduro comete um assassinato a cada duas horas e meia

Luisa Ortega Díaz foi procuradora-geral da Venezuela até agosto de 2017, quando foi destituída do cargo e precisou fugir da ditadura por temer pela própria vida. Três meses depois, ao Tribunal de Haia, a venezuelana fez uma grave denúncia contra Nicolás Maduro, pintando um quadro muito pior do que o temido pelos críticos do bolivarianismo.

Alegando ter literalmente milhares de provas, Ortega Díaz contabilizou em 8.290 o total de assassinatos cometidos pelo socialismo de Maduro em apenas dois anos e meio. Foram  1.777 vítimas em 2015, outras 4.667 em 2016, e 1.846 apenas nos primeiro semestre de 2017.

Para efeito de comparação, a Comissão Nacional da Verdade calculou em 434 mortes o total de brasileiros vitimados nos 21 anos de ditadura militar. Em números absolutos, Maduro já é 19 vezes mais letal. Mas o ditador ainda elogiado no Brasil pela esquerda, especialmente por Lula, mata proporcionalmente 160 vezes mais rápido. É um assassinato a cada duas horas e meia. E o cálculo nem levou em consideração o tamanho da população brasileira para a venezuelana.

Ainda segundo Ortega Díaz, Maduro cometeu 17 mil prisões arbitrárias, e centenas de casos de tortura. De acordo com a ex-procuradora-geral, o objetivo do ditador é promover uma “limpeza social”.

Curtiu o texto? Gostaria de contribuir com o crowdfunding (financiamento coletivo) do autor? Basta clicar aqui e seguir as instruções.
Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 100% OFF (com desconto máximo de R$ 10) em até 2 corridas. Após ativado, o crédito terá validade de 30 dias.

Mais Lidas

Política & Implicância.

© 2011 implicante.org - Todos os Direitos Reservados

Para o Início