facebook
...
Blog

No maior centro do país, a oposição já derrota Dilma nas pesquisas

Em São Paulo, tanto Aécio Neves como Eduardo Campos venceriam a presidente com boa folga no segundo turno

oposicao
São Paulo, a cidade mais populosa e um dos principais centros econômicos do Brasil, é o local onde a presidente Dilma Rousseff tem maior rejeição. Segundo pesquisa do Datafolha, esse número chega a 46%. Nada menos que 83% dos paulistas dizem querer mudança, enquanto apenas 23% aprovam a gestão atual.

Provavelmente por isso, tanto Aécio Neves (PSDB) quanto Eduardo Campos (PSB) venceriam Dilma num segundo turno, com folga, caso a eleição fosse realizada apenas entre os eleitores desse lugar – o tucano ganharia por 46% a 34%; o ex-governador de Pernambuco, por 43% a 34%.

Se fossem contabilizados somente os votos dos eleitores do Estado, o panorama seria muito diferente do que se vê no restante do país: Aécio e Dilma estariam tecnicamente empatados.

desigualdade

Mas a queda da presidente nas pesquisas não se deu só em São Paulo. Mesmo que em proporções menores, ela vem perdendo eleitores em todo o país, e os petistas temem que isso interfira nas convenções partidárias para a indicação dos candidatos a presidente e vice, o que reanimou no partido o movimento “Lula 2014”.

Embora o PMDB tenha declarado apoio à presidente – apesar da ala dissidente –, ela já perdeu o suporte de pelo menos seis pequenos partidos (PRP, PHS, PTN, PTC, PMN e PSL), que estão negociando com seus adversários.

Por mais que o discurso político – por pura conveniência – venda a ideia de que estaria no “povo”, ou seja, nas camadas mais populares, as decisões mais sábias a serem tomadas nas urnas, é nos grandes centros onde a informação mais circula, dada a maior quantidade de veículos de mídia cobrindo os acontecimentos de interesse da sociedade. O mapa da apuração das últimas três eleições comprova que o Nordeste, o menor IDH do país, foi a última região a dar a maioria dos seus votos ao PT, ainda em 2002:

o-avanco-da-oposicao

Por lógica semelhante, vem sendo a última região a deixar de votar no partido da presidência. Se no maior centro econômico da nação o jogo já virou a favor da oposição, é uma questão de tempo até que essa “mancha azul” ocupe a maior parte do território nacional, assim como a “mancha vermelha” conseguiu no início do século. Resta saber se isso já ocorrerá em outubro próximo, ou se o brasileiro precisará esperar até 2018 para isso. Há um ano, este (2018) era o único cenário possível. Mas muita coisa rolou desde então e as pesquisas já dão com certa margem de segurança a certeza de ocorrência de ao menos um segundo turno para se chegar a uma definição.

Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 50% OFF (com desconto máximo de R$ 20) em 3 corridas.

Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top