facebook
Blog

(Outro) Blogueiro “progressista” é condenado a indenizar diretor da Globo

Luis Carlos Azenha terá de pagar R$ 30 mil a Ali Kamel por campanha difamatória em blog.

Vocês conhecem o roteiro desde meados do governo Lula:

1. Jornalista é demitido de grande veículo de imprensa.

2. Ele se transforma em “blogueiro progressista” e passa a falar mal do ex-patrão na internet.

3. Em pouco tempo, é contratado por um veículo alinhado com o PT e o Governo Federal.

Com frequência, os passos 4 e 5 são sofrer processos de cidadãos ofendidos – do ex-chefe a ministros do STF – e acusar uma grande conspiração de poderosos para calá-lo, utilizando expressões como “censura”, “assassinato de reputação” e “asfixia financeira”.

Esta peça foi encenada recentemente com um protagonista diferente – embora o “vilão” seja o mesmo de outras vezes. Informação do Consultor Jurídico:

A Justiça do Rio de Janeiro condenou o jornalista Luiz Carlos Azenha a pagar R$ 30 mil em indenização por danos morais em ação proposta pelo diretor de jornalismo e esporte da TV Globo, Ali Kamel, por conta de uma série de críticas veiculadas no site www.viomundo.com.br, de Azenha. Entre outras afirmações, o site, notoriamente favorável à eleição da então candidata do PT à Presidência da República em 2010, Dilma Rousseff, acusou o diretor de participar de uma suposta estratégia das organizações Globo de influenciar o resultado de uma pesquisa eleitoral durante a campanha.

De acordo com a decisão, desde 2008 Ali Kamel já foi citado pelo menos 28 vezes no site que se declara um “contraponto à mídia tradicional”. Atualmente na TV Record, Azenha trabalhou na Globo até o início de 2007. A sentença é do dia 19 de março.

Na ação, Kamel afirma sofrer uma “campanha difamatória” e destacou algumas expressões empregadas por Azenha para rotulá-lo, como “aprendiz de feiticeiro” e praticante de um “jornalismo pornográfico”. A expressão surgiu em post no qual Azenha repercutiu uma polêmica levantada por outro site sobre a conicidência entre o nome de Ali Kamel com o de um ator de filmes pornográficos.

“As críticas perpetradas contra o autor [Ali Kamel] exacerbaram o limite salutar do debate de opiniões, que visa o aprimoramento da democracia, e alcançou a seara da ofensa à honra, contrariando o que deveria ser a principal meta do jornalismo, ou seja, e dever de informação e de formação da opinião pública de forma isenta”, afirmou a juíza Juliana Benevides de Araújo, da 43ª Vara Cível.

De acordo com a decisão, a motivação das críticas de Luiz Carlos Azenha está ligada à cobertura jornalística da sucessão presidencial. Em seu site, Azenha afirma que uma pesquisa eleitoral teria sido influenciada pelo conteúdo dos veículos de comunicação da Globo, que teriam “as digitais de Kamel”.

Para a juíza, a vinculação de Ali Kamel com a linha editorial dos meios de comunicação da Globo é uma “falsa afirmação”, já que ele está subordinado a superiores hierárquicos e a empresa possui um Conselho Editorial composto pelos editores dos diversos veículos do grupo, incluindo Kamel. A juíza ressalta ainda que um texto juntado pelo próprio Azenha diz que a influência de Kamel sobre o grupo não passaria de uma “lenda urbana”.

Em sua defesa, Azenha diz que os textos publicados em seu site possuem conteúdo crítico, de opinião e de cunho jornalístico, e defendeu que a liberdade de expressão é um preceito constitucional que deveria prevalecer sobre o direito à honra. A juíza, porém, repeliu a argumentação e disse que “admitir-se a liberdade absoluta dos meios de comunicação em detrimento dos direitos alheios seria subverter o princípio de que a liberdade individual encontra limite no direito alheio”.

Clique aqui para ler a decisão.

Alguém conseguiria adivinhar a reação de Azenha em seu blog?

Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 100% OFF (com desconto máximo de R$ 10) em até 2 corridas. Após ativado, o crédito terá validade de 30 dias.

14 Comentários

14 Comments

  1. Gonçalo Osório

    5 de Abril de 2013 at 12h12

    O único erro de Kamel foi ter esperado demais para ir à Justiça contra esse tipo de canalhice. As campanhas de difamação contra qualquer um da Globo (outros atingidos foram Tonico Ferreira, William Waack, Heraldo Pereira, Carlos Alberto SArdenberg, Merval Pereira, Miriam Leitão — profissionais que, note-se, nunca vieram a público falar de colegas) começaram por volta de 2006 e ganharam forte impulso em associação com a Record, que viu evidentemente nesse tipo de ação uma possibilidade de avançar sobre a concorrente (na medida em que destruir o patrimônio de credibilidade, um dos mais difíceis de ser construído, ajuda a construir a própria imagem). A reação inicial dentro da Globo pareceu ser a de não dar aos ataques a notoriedade que eles pretendiam. Mas a Globo, aparentemente, não levou em conta o grau de organização, financiamento e o anteparo político fornecido pelo lulopetismo ao flanco de ataque (uma espécie de brigada de cavalaria ligeira, enquanto o sindicalismo corrupto associado ao PT é a tropa de choque) jornalístico. Embora a guerra ainda não tenha terminado, o passar dos anos mostrou que os canalhas estão perdendo todas as batalhas. Foram desmoralizados publicamente pois, antes de mais nada, são jornalistas menos competentes que os concorrentes que atacam. Azenha, Vianna, etc, não fazem a menor falta no video da Globo, que tem reporteres muito melhores do que esses medíocres — e o público entende isso também. Marco Aurélio sempre foi conhecido entre os editores da Globo como “preguiça” (dispensa explicações). Quando não são vagabundos morais, são vagabundos, só. Estão sendo desmoralizados por sucessivas decisões judiciais, no Rio, Brasília e São Paulo. Essas decisões tem um denominador comum: não importa o juiz, o entendimento é o de que os ataques aos profissionais da Globo passou dos limites do político e entrou profundamente no campo da injúria, difamação, calúnia, ofensa à honra. Em terceiro lugar, a atual fase do projeto de poder do lulopetismo descobriu que comprar brigas com os grandes meios de comunicação só dá alegria aos vagabundos, tem pouca repercussão de público e nem é necessário. A cooptação dos profissionais de nível médio nas redações pelo lulopetismo avançou muito mais e é muito mais eficaz (é só olhar para as redações da Folha e Estadão, que pensam petista até sem perceber). E, por último, temos a falência do projeto da Record — mais por disputas internas dentro da quadrilha, e pela dissidência criada por mais um apóstolo explorador da imensa quantidade de trouxas que habita este País. O resultado é a derrocada parcial da canalhice. O jornalismo independente ainda sobrevive — mas apenas sobrevive.

  2. Luiz Gustavo

    4 de Abril de 2013 at 17h45

    Agora, uma coisa é estranha: como esses ex funcionários da Globo são ressentidos, não?

  3. Bruno Beger Uchoa

    3 de Abril de 2013 at 16h16

    Antes de falarem que o judiciário isso ou o judiciário aquilo, leiam a decisão.
    “Aduz que o intuito do Réu visa denegrir publicamente a sua imagem, pois o mesmo
    reproduziu em seu site fotogramas de um filme pornográfico, insinuando a sua
    participação na produção; além de lhe atribuir a responsabilidade pela publicação de
    matérias em veículos com os quais não mantém qualquer ingerência; lançando, ainda,
    reiteradamente, críticas levianas e difamantes sobre sua atuação profissional,
    mormente em relação ao conteúdo jornalístico das matérias veiculadas por meios de
    comunicação que não se confundem com a empresa onde exerce sua atividade
    profissional. “

  4. Felipe

    2 de Abril de 2013 at 10h02

    Minha opinião é que, embora esses serviçais do petismo sejam difamadores, tendenciosos e imundos, essas decisões judiciais atentam contra a democracia. Liberdade de expressão também é para falar bobagens e mentiras, até porque hoje em dia, quem pode definir o que é o que?

    Hoje são os “progressistas” a pagar indenização. Amanhã alguém pode acusar um José Genoino e ser duramente penalizado. O PT ainda não conseguiu infiltrar seus companheiros em todo o Supremo, mas quem sabe…

  5. Leonardo

    2 de Abril de 2013 at 8h23

    Agora ele mudou de ideia e acena com um portal de estrelas da sujoesfera e mais facil conseguir uma redação dentro da cela de um presidio ou de um hospicio tendo em vista a profusão de malucos e de condenados pela justiça que ele pretende escalar.

  6. Valeria Pugliesi-Washington

    2 de Abril de 2013 at 0h24

    a reação, li hoje de manhã…. mimimimimi
    a globo consegue fazer o que nem a ditadura conseguiu: calar a imprensa alternativa.
    hahahaha… o banana escrevia o diário oficial e se chama de imprensa alternativa. se o viomundo fechar vai ser porque não tem mais anúncio do governo no blog…. nem unzinho pra fazer remédio.

    • José Ruiz

      3 de Abril de 2013 at 17h36

      Oi valeria, aponte um único anúncio do governo – em qualquer época – no viomundo..

  7. Leonardo

    1 de Abril de 2013 at 1h27

    Já começou a chorar, chantagear e prometer um livro denuncia fajuto.

  8. BRUNO-RJ

    1 de Abril de 2013 at 1h12

    AGORA ELE FICA CHORAMINGANDO,DISSE QUE É ARRIMO DE FAMÍLIA E QUE A IMPRENSA MONOPOLISTA QUER CALAR A SUA VOZ,MAS CONTINUA FAZENDO ACUSAÇÕES CONTRA A GLOBO E SEUS FUNCIONÁRIOS,TOMARA QUE DECLARE FALÊNCIA E VÁ MORAR NO QUINTO DOS INFERNOS…….

  9. Bruno

    1 de Abril de 2013 at 1h10

    Desculpem se meu comentário é longo, mas vale comentar esse e outros assuntos. Andremc, esqueceu a palavra “PIG” (https://www.implicante.org/pig/outro-blogueiro-progressista-e-condenado-a-indenizar-diretor-da-globo/), aquela na qual esses jornalistas (alguns da ex-Globo, ex-Veja, entre outros) usam blogs tendenciosos e de chapa branca a favor do governo e ofender opositores dos PeTralhas e pessoas (como Ali Kamel).
    Em por falar em Kamel, no dia 14 de março, ele ganhou na Justiça contra Marco Aurélio Cordeiro de Mello, ex-editor-chefe do Jornal Nacional, demitido em 2007.
    Após ser demitido, Marco Mello usou blog (https://maureliomello.blogspot.com.br) pra se vingar Kamel: escreveu que se recusou a assinar abaixo-assinado na qual Globo usou pra se defender acusações de querer interferir eleições presidenciais de 2006, que Kamel mantém plantação de maconha (???) no apartamento em que mora e que ele teve brigas com uns dos vizinhos.
    Kamel, é claro, ficou furioso com acusações infundadas (principalmente ser maconheiro) e entrou na Justiça e ganhou (https://www.conjur.com.br/2013-mar-14/ex-editor-jornal-nacional-condenado-indenizar-diretor-rede-globo) e a sentença (https://s.conjur.com.br/dl/tj-rj-condena-ex-funcionario-indenizar.pdf). Já o Mello, teve que comentar a derrota, desviando do assunto, típico quem é condenado por alguém (para ele!) que faz parte do PIG (https://maureliomello.blogspot.com.br/2013/03/tenho-um-frequentador-assiduo-no-blog.html).
    Voltando ao assunto, esqueceu citar o site que foi o primeiro a publicar (https://www.conjur.com.br/2013-mar-28/justica-rio-condena-luiz-carlos-azenha-indenizar-ali-kamel-30-mil).
    Dois dias depois, em decisão controversa, o ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, deferiu liminar para suspender decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro que condenou Paulo Henrique Amorim a pagar R$ 250 mil de indenização ao banqueiro Daniel Dantas, por publicações ofensivas em seu blog Conversa Afiada desde 2008, apesar do Amorim ter desistido de entrar recurso, temendo derrota (https://www.conjur.com.br/2013-mar-30/celso-mello-suspende-condenacao-paulo-henrique-amorim-dano-moral).
    Já sobre Azenha, reagiu que pode parar as atividades, já que ele mesmo afirmou que não recebe patrocínios de estatais (como tem PHA e Rodrigo Vianna) e ainda prometeu livro, escrito por ele mesmo, Amorim e Vianna, livro contra Globo sobre eleições de 2006. Não sei se isso é verdade ou mentira, pois é 1º de abril (https://www.viomundo.com.br/denuncias/globo-consegue-o-que-a-ditadura-nao-conseguiu-extincao-da-imprensa-alternativa.html).
    Ô Azenha, por que trabalhou na Globo pra depois sair e cuspir prato que comeste anos depois? Pare de enganar outros, seu falso, você sabia que as publicações são tudo combinadas entre Azenha/Amorim/Vianna contra Kamel, numa tentativa de fazer que ele é isso e aquilo, só pra desmoralizar-lo.
    Não confio mais em Rede Record, Record News, R7 outros veículos, que são feitos pra elogiar governo. Se não acreditam, vejam como eles trataram (inclui SBT do PanAmericano e Ratinho) na eleição municipal de São Paulo e conseguiram eleger Fernando Haddad (pior ministro da Educação), pra depois enganar Estado de SP em 2014.

  10. João 77BM

    31 de Março de 2013 at 21h28

    Já é o terceiro. Haja dízimo, héin, Macedão? hehe

  11. Airton

    30 de Março de 2013 at 16h01

    Este tipo de ” jornalismo ” ,o Ruy Falcão e o Zé Dirceu , e a corja petista não quer controlar ,né ?

    • Thiago

      31 de Março de 2013 at 12h57

      É, esse ai não precisa de mordaça não… os petistas querem pisotear até sobre a Constituição e criar os direitos e deveres de acordo com a vontade deles!

  12. william

    30 de Março de 2013 at 13h47

    pior que isso só aquela ex-jornalista da Veja ser demitida e, de uma hora para a outra, ser contratada pela Carta Capital e passar de “reacionária” para “socialista morena” hahahaha

Deixe um comentário

Mais Lidas

To Top