facebook
...
Blog

PHA prega vandalismo contra quem apoiou a ditadura. Que tal começar com o próprio PHA?

Propagandista da ditadura na década de 1970, o hoje blogueiro progressista e apresentador da TV Record Paulo Henrique Amorim fez uma série de posts nos últimos dias sobre o regime militar (1964-1985) em seu blog. Naquele seu estilo característico, em um dos textos PHA classifica de “cães de guarda” alguns jornalistas que teriam apoiado o regime.

Curiosamente, o post com título “Os ‘cães de guarda’ da Folha. E as caminhonetes da tortura” sumiu dos arquivos do blog de PHA, mas por sorte pudemos recuperá-lo através do cache do Google (e já fizemos uma cópia para o caso de acabar a luz na internet um dia).

Amorim também postou um outro texto, reproduzido de um tal “Movimento Levante Popular”, em que incita seus leitores a vandalizar residências de pessoas identificadas como apoiadores do governo militar. Intitulado “Piche como os jovens: aqui mora um torturador” e ilustrado por uma charge com a imagem acima (esse vai sem link, já que continua em destaque na página inicial lá), o texto divulga endereços e números de telefone de supostos ex-torturadores e prega abertamente “atos de escracho/esculacho” nos locais de trabalho e moradia de seus alvos. Ao defender que seus militantes busquem a “justiça pelas próprias mãos” antes mesmo da instalação da Comissão da Verdade, o  “movimento” vai um passo além de outros tantos que buscam revogar a Lei da Anistia para punir os crimes de apenas um dos lados (o dos militares, claro).

Com tanta sede de revanche, o “Movimento Levante Popular” poderia ter começado seus “atos de escracho/esculacho” em um dos imóveis de Paulo Henrique Amorim, editor da revista Veja entre 1970 e 1974. O blog do Pannunzio (sempre ele!) traz mais uma reportagem do acervo digital de Veja assinada por PHA. Segue um trecho:

(…)

O enjôo, caro leitor, começa pelo título: “Um programa à brasileira”.  Assim mesmo, com esse ufanismo patriótico de conveniência a serviço da farda e do coturno. A ânsia de vômito aparece no subtítulo grandiloqüente: “ A integração social através de um fundo sem igual”.

Poucos leitores não passarão mal com o texto em si. Começa com uma rematada mentira: “Quem ganhar pelo menos dois salários mínimos por mês receberá, na pior das hipóteses, seu ordenado multiplicado por 36, ao se aposentar depois de trinta anos de serviços.”

Prossegue com um delíro fascista, o do fim das tensões, naturais, entre patrões e empregados, algo que a ditadura perseguia a ferro, fogo e pau-de-arara. Eis aí o fulcro da questão, o que francamente interessava ao regime — e a seu lulu adestrado — na época: afastar as discussões sobre a participação nos lucros, esta sim, a verdadeira reivindicação dos operários.   “Estão evitadas na mensagem presidencial todas as possibilidades de tensão entre patrões e empregados. Não se fala em participação nos lucros. Ao contrário, criou-se uma fórmula original, retirada da famosa inventividade brasileira. Os empregados participarão, através de um fundo, do faturamento (ou seja, das receitas) das empresas e não de seus lucros (o que significa tecnicamente o resultado da diferença entre receita e despesa).”

E, claro, acaba por bajular o ditador Médici, mentindo para os brasileiros ao dizer que o general tinha como objetivo uma sociedade próspera e aberta, tudo o que o Brasil não era à época:  “‘O segredo mais bem guardado é o que todos imaginam’. A frase de Bernard Shaw, sábio dramaturgo irlandês, aplica-se inteiramente ao PIS. A notícia explodiu na semana passada com o impacto das grandes revelações. No entanto, analistas mais observadores já podiam prevê-la desde o dia 7 de outubro do ano passado, quando o Presidente Médici, pela televisão, comunicou que aceitava sua indicação para presidente da República. Naquele dia, mencionou seu desejo e promover uma revisão da distribuição da riqueza numa sociedade próspera e aberta. Na primeira reunião ministerial pediu aos seus auxiliares imediatos que estudassem medidas que viessem a marcar seu governo com as intenções reformistas a que se propunha.”

(…)

(Íntegra aqui)

Nós aqui do Implicante obviamente não apoiamos atos de vandalismo, escracho ou esculacho contra quem quer que seja. Afinal, um outro blogueiro progressista, amigão de PHA, já divulgou o endereço de um de nossos administradores. Para “cães de guarda” dos patrões e governantes, somos a favor de uma solução extraída do próprio site de Paulo Henrique Amorim. Descobrimos que ele mantém uma seção de cursos virtuais no Conversa Afiada, onde oferece o seguinte:

O Curso Adestramento Canino – Curso Avançado é Online.

Trata-se de uma ferramenta valiosa para que você se aproxime do universo canino e possa se comunicar com seu cão de uma maneira que ele entenda. Obediência e respeito são obtidos através de consideração e dignidade, mas somente boas intenções não bastam, portanto aprenda a falar a língua dele! O convívio com um cão adestrado é, sem dúvida nenhuma, mais prazeroso, fazendo com que o animal e seu dono se sintam muito mais felizes.

(…)

Este curso é destinado às pessoas que gostam de animais e estão procurando melhorar o relacionamento com seu cachorro.

Aprenda tudo sobre adestramento canino e melhore o comportamento de seu animal de estimação. Confira!

· Prefácio

· Introdução

· Conceitos Fundamentais

· A Matilha

· O cão faz parte de uma matilha

· Desentendimentos

· Papel do líder

· A hierarquia é obrigatória

· Linguagem canina

· Como fazer uso da linguagem canina

· Liderança

· Quem é o líder da matilha

· Para o cão, nós somos cachorros

· Liderando com violência

· Ande na frente

· Inverta a situação

· Ganhe respeito e dê bons exemplos

· Amor incondicional

· Amor e entendimento

· Comportamento

· Punição

· Treinamento sem traumas

· A Troca

· Tipos de troca

· Objetos de troca

· Desafios e recompensas

· O valor da troca

· Como valorizar um objeto de troca

· Alternativas para a troca

(…)

Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 50% OFF (com desconto máximo de R$ 20) em 3 corridas.

43 Comentários

43 Comments

  1. flaviomorgen

    18 de abril de 2012 at 12:41

    Deixa eu ver se eu entendi, o nosso “brutal” Andre Ymca torturou, estuprou e matou em porões, e agora está chanteando anistiados?! Quer dizer que esse cara manda e desmanda nas indenizações milionárias dos terroristas que nunca foram julgados por tais crimes (portanto, não caem nas exceções das leis) e fica me miguelando 50 mangos que pedi emprestado?!

  2. luis

    5 de abril de 2012 at 21:21

    Hoje temos milhares de brasileiros morendo nas filas dos hospitais,por falta de atendimento do sistema de saúde ,SUS,pois nestes ultimos 10 anos as coisas so pioraram.Estes governos corruptos vem enganando o povo com pão e circo.Não se vé 1 desses Revanchista falar uma palavra a respeito,essa corja quer mesmo é baderna.Ou o povo acorda ou estes pelegos vão acabar com o Brasil

  3. João 77BM

    5 de abril de 2012 at 00:31

    E o Panuzzio continua detonado o obreiro anão das botinhas cor-de-rosa. O site dele tá cheio de puxações de saco do Médici.

  4. João 77BM

    5 de abril de 2012 at 00:29

    Uns oportunistas tentam reescrever a história para fingir que não foi a esquerda a pedir a anistia “ampla, geral e irrestrita” e a noção de direitos humanos, para fingir que os sequestros e assassinatos de inocentes cometidos pelos bons companheiros são menos hediondos.

  5. Hay

    4 de abril de 2012 at 15:41

    HAHAHHAHAHA
    Caramba, João, estão faltando argumentos, hein? Agora você vai culpar o software do site de ser golpista!
    Eu fico pensando se esses governistas conseguem mascar chiclete e subir escadas ao mesmo tempo, porque olha, a capacidade intelectual desses sujeitos é uma coisa pavorosa.

  6. João

    3 de abril de 2012 at 07:28

    Quando o artigo pega mal vocês escondem, né? Aprendizes de demagogos.

    • Implicante

      3 de abril de 2012 at 12:54

      Pega Mal? Escondem? João, os destaques na home são trocados automaticamente, à medida que postamos coisas novas. Aprendiz de JEG.

  7. francisco ramos

    2 de abril de 2012 at 22:15

    Sr. Adremc, o problema com determinados tipos de crime, classificados, alguns, contra a humanidade. é que eles desaguam numa jurisdição (Tribunal Penal de Haia, Corte Interamericana dos Direitos Humanos, etc) que transcende o nosso ordenamento interno e eventuais “Pactos” com feridas abertas. A OEA, por exem-
    plo, começa a investigar o caso Herzog. E agora? Em verdade, solicitei, humildemente, um posicionamento
    dos responsáveis pelo Blog Implicante como um todo, embora respeite e discorde completamente do seu
    posicionamento individual, com respostas incompletas.

    Aceito meus democráticos abraços.

    • Implicante

      3 de abril de 2012 at 12:55

      em breve postaremos um editorial sobre o assumto.

  8. Thiago

    2 de abril de 2012 at 21:27

    É difícil entender que a anistia é benéfica para militares torturadores e terroristas esquerdistas?
    Se querem que os militares sejam punidos, terão que concordar com a punição aos terroristas (alguns no comando do país atualmente)… Ou querem dois pesos e duas medidas?

  9. Marco

    2 de abril de 2012 at 18:22

    Abusaram do “Ctrl+C” / “Ctrl+V” neste post, hein!

  10. francisco ramos

    1 de abril de 2012 at 20:24

    O IMPLICANTE PRECISA SAIR DE CIMA DO MURO. AFINAL, TORTURA É OU NÃO É CRIME CONTRA
    A HUMANIDADE (PARTA DA ESQUERDA OU DA DIREITA, USANDO O LÉXICO DE VOCÊS) ? ESTE TI
    PO DE CRIME É IMPRESCRITÍVEL OU NÃO? A LEI DA ANISTIA, PESSIMAMENTE ALINHAVADA DEVE
    OU NÃO CONTEMPLAR ESTE TIPO DE ATROCIDADE? NÃO FIQUEM ENROLANDO. DECIDAM-SE !!!!

    • Implicante

      2 de abril de 2012 at 13:22

      (andremc: francisco, falo por mim. Sou contra a revisão da lei da anistia para punir quem quer que seja. O Brasil deve a esta lei a transição pacífica, sem maiores sobressaltos, da ditadura à democracia. Se formos apostar na tese dos “crimes contra a humanidade imprescritíveis”, é inaceitável que se punam torturadores e não quem praticou atos de terrorismo.)

  11. francisco ramos

    1 de abril de 2012 at 11:35

    …”areas de influencia”…;,”patrocinavam”… , …”distribuiriam”…, antes leia-se …”benéficas”… antes e logo
    no início …”popularmente chamada”…”torturaram”…, . Gostaria aqui de me penitenciar pelo erros de di
    gitação ou gramaticais.

  12. francisco ramos

    1 de abril de 2012 at 11:17

    Por favor, vamos analisar o malsinado golpe militar de 1ª de abril (não existe esta balela de golpe de 31 de
    março – a data do popularmente chamado “dia da mentira” seria constrangedor para aqueles que perpetra
    ram o delito e instauraram o terror que viria a seguir) com calma, isenção e conhecimento histórico. De an
    temão deixo claro que não tenho tempo aqui para deter-me sobre atos de vandalismo de graduandos de
    Universidades quaisquer, pois simplesmente os considero caso de polícia. Pois bem.Estávamos no auge da
    chamada guerra fria.Com áres de influencia bem definidas. A extinta União Soviética invadia a Hungria, a
    Tchescoslováquia de então, a Polônia, aventurando-se até ao Afesganistão e os EEUU patrocinaram terríveis
    golpes, principalmente a América Latina, mas também com atuação destacada no Congo e Indonésia, esta
    última com a chacina de 01 mmilhão de mortos.O golpe de estado perpetrado contra a instável democracia
    brasileira em 1964 foi simplesmente urdido na Embaixada Americana, com a coordenação Geral do falecido
    embaixador, Sr. Lincon Gordon. Em verdade, o que governo do Presidente João Goulart , um homem milio
    nário pretendia, e realmente havia apoio político de amplos setores da esquerda, era diminuir as vergonho-
    sas desigualdades sociais neste país. Leiam os livros don Elio Gaspari. Seria praticamente impossível a im
    plantação de uma ditadura comunista no país, visto que o nosso povo é majoritariamente católico e não deve
    mos subestimar o papel da Igreja, além de os setores conservadores da sociedade serem bem estruturados
    e articulados com os interesses norte-americanos no país. As reformas pretendidas por Goulart, e que de uma certa forma, e ironicamente viriam a ser implementadas nos governos dos Presidentes Fernando Henri
    que Cardoso e Luis Inácio Lula da Silva, seriam sim, benéfica para o pais, distribuiram renda e o que é mais
    importante, manteria o Estado Constitucional, leia-se a Democracia, que, amadurecida em sua prática, certa
    mente produziria uma safra de políticos mais responsáveis. Qualquer pessoa de inteligencia mediana sabe,
    pelo menos presume-se , que os comunistas não alcançam o poder pelo voto E NÃO HAVIA A MÍNIMA POS
    SIBILIDADE de um golpe militar de caráter bolchevista em 1964. Mas se os EEUU mandaram, quem eram os militares brasileiros, no ramerrão de sua rotina de caserna, para desobedecer ? Resultado, implantaram
    um regime policial no país (até o grande Presidente Juscelino foi humilhado em interrogatórios e abrigou-se
    no exílio). Sou evidentemente contra qualquer forma de violência, mas a resistência à tiranias, de qualaquer
    matiz, acompanha a história humana a milênios. Em 13 de ezembro de 1968, como sabemos, os ditadores
    endureceram, mataram, torturam sistemáticamente ( com direitos a cursos especializados proferidos pelo
    Sr. Dan Mitrione, depois assassinado pelo grupo Tupamaros – gostaria de saber como a Profª Janaina Pas
    choal encara este fato ) ocultaram cadáveres, etc, baixando assim a nefanda nuvem de fuligem por duas
    décadas sôbre a amada Nação Brasileira. Só para terminar, gostaria de destacar que o Partido Comunista
    da Rússia, outrora poderoso, mas dentro de um Estado Policial, não tem passado dos 17 % dos votos em
    eleições. Logo fica claro que a Democracia é o melhor antídoto para tentações toralitárias além de, aliada
    a uma economia de mercado com regulamentação (detesto a escola austríaca) é uma das mais bem suce
    didas formas de organização socio-econômica. O golpe de 1º de abril é uma mancha que dificilmente se apa
    gará de nossas Forças Armadas, protagonistas de tantos episódios dos quais, sem nenhuma dúvida,temos
    motivos para nos orgulhar.
    motivos para nos orgulhar.
    .

  13. Junior Rocha

    31 de março de 2012 at 03:32

    E sobre abertura dos Arquivos da Ditadura o autor do post também é contra???

    • Implicante

      31 de março de 2012 at 13:10

      Não.

  14. Marlon

    30 de março de 2012 at 21:06

    Alexandre:

    Para quem gosta de dizer que a ditadura militar foi uma resposta à “tentativas de esquerdistas de implantar a ditadura comunista”, sugiro ler a história atual de países como Alemanha, Itália, Espanha e Colômbia, que não desviaram nem um pouco da democracia para combater a luta armada. Verdadeiros democratas devem enaltecer o exemplo desses países e não dos militares brasileiros de 1964.

    ——

    Vc leu o que o vc escreveu?

    Espanha teve ditadura civil; Alemanha com o nazismo (nacional socialismo), que vc deve saber o que fez com o país e depois ainda teve o muro comunista; Itália teve ditadura fascista (irmã do comunismo em termos de ditadura) que combateu os comunistas; Colômbia teve conflitos/ondas de violência e um pouco de ditadura tb (ditadura do general Rojas Pinilla, 1953-1957), depois passou a enfrentar o problema dos cartéis.

    Não vejo muita democracia na história destes países…

    A Bolívia (não citada) esmagou os guerrilheiros no Araguaia deles, onde foi morto o Che e seus comparsas. A intenção do Che? Fazer a revolução em toda a América Latina… (leia-se: instalar a ditadura comunista, fuzilar quem pensa diferente, instituir um partido único, etc…). E olha que ele falou em dezembro de 1964 na ONU, que realizavam e continuariam a realizar fuzilamentos em Cuba. Boa democracia cubana, não é?

    É bom lembrar que Che não teve apoio de muita gente dos movimentos comunistas da Bolívia para a luta armada, talvez por isso a coisa não tenha pegado tanto fogo por lá.

    Teve muito movimento armado na América Latina, sempre com muitos humanistas querendo construir um mundo melhor e dispostos a matar quem poderia interferir nesta boa obra, veja:

    CENTRO DE DOCUMENTACION DE LOS MOVIMIENTOS ARMADOS
    https://www.cedema.org

    (e tem a Colômbia tb…)

    Aqui no Brasil precisamos resgatar um pouco a história:

    – João Goulart, eleito democraticamente (e parente de Brizola) com dificuldades em lidar com a rotina democrática… e deu uma passeada pela China para aprender a receita de rolinha primavera;

    – o golpe de 64 não implicou em terror logo de início, até o Zé de Abreu, falando mal do Serra, e que tb viveu naquela época, disse que a coisa só ficou feia em 68 (procure no youtube).

    – Jacob Gorender, comunistas que foi preso e provavelmente torturado, chama em seu livro “Combate nas trevas” o golpe militar de : contrarevolução, um golpe preventivo….

    – veja que em 60-61 já tinha gente treinando e se armando para guerrilha. Até mesmo com treinamento em Cuba (procure sobre os dólares do Fildel para o Brizola… que sumiram ou foram desviados, e pq o Fidel passou a chamar Brizola de ‘el ratón’). Procure tb sobre o grupo dos 11.

    – em 66 o pessoal da Ação Popular explodiu uma bomba no aeroporto de Guararapes;

    – o AI-5 encontrou em vigor em 13 de dezembro de 1968;

    por que será que ocorreu o endurecimento do regime militar?

    [Já sei, porque a direita era golpista… e os comunistas só queriam o bem da humanidade… militares maus! ]

    Falando isso, não quer dizer que apoio a tortura e toda a barbárie vista…

  15. João

    30 de março de 2012 at 18:47

    Andremc, sua lógica é primitiva e brutal. É a lógica do chantagistas. Ao invés de defender a aplicação da lei a todos, você ameaça: se uns forem condenados, outros terão que ser. Esta é a lógica de quem tem culpa. A lógica de quem torturou, estuprou e matou em porões.

    Leia de novo a lei da anistia até entender: “Excetuam-se dos benefícios da anistia os que foram condenados pela prática de crimes de terrorismo, assalto, sequestro e atentado pessoal.”

    A lei da anistia NUNCA beneficiou o terrorismo, assalto, sequestro e atentado pessoal cometidos por ativistas. A sua chantagem é vazia. Essas pessoas que você ameaça e chantageia, “muitos políticos graúdos exercendo mandato”, não foram condenadas simplesmente porque não existe acusação e muito menos condenação contra elas. Deu pra entender? Os perigosos terroristas já foram punidos. Agora é a vez dos militares.

  16. Marco

    30 de março de 2012 at 00:10

    É engraçado que tem gente aqui que defende o ato de pichação como revanche, mas se fosse pichar contra a corrupção no governo….”aaah, não, deixa eu ver meu futebol” coisa típica de pelego mesmo!

  17. alexandre

    29 de março de 2012 at 23:28

    Para quem gosta de dizer que a ditadura militar foi uma resposta à “tentativas de esquerdistas de implantar a ditadura comunista”, sugiro ler a história atual de países como Alemanha, Itália, Espanha e Colômbia, que não desviaram nem um pouco da democracia para combater a luta armada. Verdadeiros democratas devem enaltecer o exemplo desses países e não dos militares brasileiros de 1964.

  18. João Luis

    29 de março de 2012 at 22:40

    Implicante, segura você esta:

    https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L6683.htm

    § 2º do art. 1º

    Vai estudar.

    • Implicante

      30 de março de 2012 at 06:02

      (andremc: Estudar o que? os textos do Vladimir Safatle nos blogprogs da vida? Eu passo. https://www12.senado.gov.br/noticias/itens-da-home/entenda-o-assunto/lei-da-anistia Veja o subtítulo “Polêmica”, amigo. O STF já decidiu contra essa tese. Além disso, assim como a tortura, o terrorismo também é crime imprescritível SEGUNDO LEIS APROVADAS DEPOIS DO FIM DO REGIME MILITAR (ou seja, teriam de fazer a lei retroagir para poder punir alguém). Se forem rever a Lei da Anistia com um mínimo de honestidade e isenção, muitos políticos graúdos exercendo mandato teriam de ser cassados, alguns até mesmo poderiam ser presos. E aí, quem topa punir os ex-torturadores, que já não apitam nada hoje em dia, e também os ex-terroristas, muitos deles no poder agora?)

  19. Junior

    29 de março de 2012 at 20:41

    Nossa. Por que o implicante ficou tão consternado com a pichação? Será que é por que picharam a frente de um amigo de tortura de um dos integrantes (ou comentaristas) daqui?

    • Implicante

      29 de março de 2012 at 20:58

      (andremc: Junior, faz o seguinte: põe seu endereço aqui e libera pro pessoal fazer uma “arte urbana” na fachada da sua casa.

      A propósito, nenhum de nós aqui nasceu antes de 1977. Só começamos a praticar alguma forma de tortura mais de uma década depois, numa época em que isso nem chamava “bullying” ainda. )

  20. Conservatore

    28 de março de 2012 at 18:01

    Caro Alexandre, pense por conta própia, não fique repetindo o discurso que seus professores, lideres comunitários, políticos e afins repassam como se fosse a mais pura verdade e, é claro com ares de”imparcialidade”.Tenho 37 anos, só vivi o período final da Ditadura, mas, analise a realidade, quem é que teve problemas com a ditadura? pessoas preocupadas em trabalhar e estudar? ou pessoas preocupadas em implantar ideologias políticas da modernidade?(socialismo, comunismo, marxismo-leninismo, com o toque de jabuticaba brasileira, ou seja, só acontece aqui )não obstante terem fracassado em seus países de origem,matando milhões de pessoas. O que os movia era o ódio e, pelo jeito, continua sendo .
    Sua postagem receberia elogios, em sites como Carta Capital, Vermelho.org e outros do gênero, mas, aqui neste blog, você precisa estudar sério sobre o assunto,para não ser trollado por outros comentaristas.

  21. João 77BM

    28 de março de 2012 at 17:00

    O obreiro cita Ivan Seixas não o Raul, claro que não hehe) nesse blefe. É interessante, pois se trata da única suposta testemunha ocular do alegado empréstimo de carros da Folha para a Oban. Olavão – que trabalhou na Folha nesse período, quando era do Partidão, aliás – destrincha o testemunho dele e a alegação de outro “progressista” (risos), Quartin de Moraes, sobre o suposto “direitismo” dos jornais durante a ditadura, nesse artigo: https://www.olavodecarvalho.org/semana/111205msm.html

    Vale a pena ler tudo, mas o desmonte do testemunhon da testemunha dos “progressistas” é impagável:

    “o único índício a confirmar o empréstimo dos carros veio numa carta do ativista político Ivan Seixas, que, recusada pela Folha, recebeu ampla divulgação na revista Carta Maior.

    Diz ali Seixas: “A Folha empregava carros para nos capturar e entregar para sessões de interrogatórios, como sofremos eu e meu pai. Ninguém me contou, eu vi carro da Folha na porta da Oban/Doi-Codi.”

    Astúcia proposital ou ato falho freudiano, a redação ambígua confere ao depoimento um valor que não tem. Na primeira sentença, quem foi capturado pela Folha e entregue para interrogatórios?
    “Nós.” Quem é “nós”? O fim da frase sugere que se tratava do próprio Seixas e de seu pai: “entregar para sessões de interrogatório, como sofremos eu e meu pai”.
    Na sentença seguinte, porém, Seixas dá com a língua nos dentes, afirmando que “ninguém me contou, eu vi carro da Folha na porta da Oban/Doi-Codi”.
    Ora, se ele próprio houvesse sido transportado num carro da Folha, não veria o veículo estacionado na porta, mas o veria desde dentro, em movimento. Se viu o carro da Folha na entrada do Doi-Codi, é que chegou ali trazido por outro meio de transporte.
    Com toda a evidência, Seixas nem foi levado àquele órgão policial em veículo da Folha nem cita o nome de um só prisioneiro que o tenha sido: em vez disso, redige a frase ambígua que passa ao leitor uma impressão logo desmentida na frase seguinte.”

  22. João 77BM

    28 de março de 2012 at 16:52

    Tem que ser muito ignorante para achar que a lei da anistia foi feita “por um governo ditatorial para defender os torturadores”.

    Muito bem lembrado, andremc: “estude um pouco antes de falar besteira.

    – A “anistia ampla, geral e irrestrita” era uma exigência das pessoas que combateram o regime militar, justamente para que os presos políticos pudessem ser libertados e os exilados pudessem voltar sem risco de serem processados ou presos aqui.”

    Era a esquerda que pedia a “anistia ampla, geral e irrestrita”. Como sempre, tentam reescrever a história – e há quem acredita… mas um mero google mostra que estão mentindo, só para (não) variar.

  23. João 77BM

    28 de março de 2012 at 16:47

    O site do obreiro ainda tem um link para um texto da Chapa Capital que chama os “reacionários” de “medíocres e perigosos”. Um trecho: “Como tem medo, não anda na rua (…) só frequenta lugares em que se sente seguro, onde ninguém vai ameaçar, desobedecer ou contradizer suas verdades. Nem dizer que precisa relaxar, levar as coisas menos a sério ou ver graça na leveza das coisas. O reacionário leva a sério a ideia de que é um vencedor.
    A maioria passou a vida toda tendo tudo aos alcance – da empregada que esquentava o leite no copo favorito” É de rolar de rir, primeiro, porque a parte da infância deve ser tirada das memórias do próprio Mino Carta, que sempre teve vida boa patrocinada pelo pai, um liberal, nas próprias palavras dele (consular o livreo ‘Eles Mudaram a Imprensa’, da FGV). É sempre assim, aliás, pais, conservadores ou liberais dão amor e boa vida ao filho, que, mimado, se rebela… contra os pais; todo autoproclamado”progressista” é, no fundo, um mimado que adora viver com o dinheiro dos outros.

  24. Leonardo

    28 de março de 2012 at 13:49

    O revisionismo vingativo dessa gente não tem limite…daqui a pouco vai dizer que Marighella foi um grande guerreiro da democarcia (ele era o guru do Baader-Menhof, Brigadas Vermelhas, IRA, ETA e cia)

  25. FriedHardt

    28 de março de 2012 at 12:20

    Esse pessoal reacionário não entende a genialidade do PHA. É só cotejar suas reportagens antigas com seu site atual e notar que o seu Paulo é puro sarcasmo, tão convincente que faz o povo acreditar que está falando sério. Sokal precisou de uma aula particular com os blogueiros progressistas para publicar aquela brincadeira na Social Text.

  26. João

    28 de março de 2012 at 10:52

    Andremc, estude um pouco antes de falar asneira e defender torturadores. Aliás, estude muito, porque você está precisando.

    A lei de anistia cobriu somente “crimes políticos” e não “crimes de sangue”. Muitos ativistas permaneceram anos presos após a lei de anistia.

    A lei de anistia jamais cobriu tortura e assassinato realizado por militantes. Logo, nunca foi “ampla, geral e irrestrita”. Logo, a lei de anistia não cobre os “valorosos” torturadores psicopatas que vocês estão defendendo.

    Antes de falar tanta idiotice, vá estudar desde quando o Brasil é signatário da Declaração Universal dos Direitos Humanos e da Terceira Convenção de Genebra. Faça um esforço intelectual e tente entender que os torturadores e assassinos do Estado cometeram crimes comuns, hediondos e contra a humanidade, JÁ TIPIFICADOS NO MOMENTO DE SUA PERPETRAÇÃO e portanto NÃO ESTÃO E NUNCA ESTIVERAM COBERTOS PELA LEI DA ANISTIA.

  27. Hay

    28 de março de 2012 at 10:30

    alexandre, eu acho bonitinho você falar sobre o Marighella, parece até que ele só fazia protestos pacíficos fofinhos. O Marighella era aquele que criou um manual do guerrilheiro que defendia ataques a hospitais, terrorismo, sequestros como táticas válidas. Realmente, que belo exemplo de bravo guerreiro que lutava pela justiça, pela democracia!

    Há uma infinidade de integrantes da “luta armada” (praticamente todos de grupos marxistas acéfalos) que estão vivos até hoje. Alguns deles estão em cargos importantes, inclusive uma certa mocinha que ocupa um certo cargo importante no Brasil.

  28. alexandre

    28 de março de 2012 at 08:27

    Comparar os exilados políticos com torturadores é piada. Comparar o Betinho com o Cel Curió é uma falta de respeito. Os dois foram beneficiados pela anistia. E qual o crime que o Betinho foi acusado na época ? Ser um democrata. Brizola, Arraes, Chico Buarque, Caetano Veloso foram beneficiados pela anistia por qual crime praticado ?
    A luta armada terminou no final da década de 70. Foi totalmente dizimada pelo governo. Só se salvou quem conseguiu fugir do país. Esses integrantes foram presos e condenados. Uns foram mortos e outros exilados. Mas todos foram torturados. A Dilma já foi condenada pelo “código penal ” dos militares na época : a tortura. E o Cel Curió e o cel Ustra ? Quando vão responder pelos seus crimes. Na verdade, não houve anistia para a luta armada. Todos os integrantes foram torturados. Uns foram condenados à morte. Outros foram exilados. Ou seja, eles pegaram pelos erros. E os torturadores ?????
    Quanto ao divulgar os endereços dos “terroristas”, quando divulgar o endereço da Dilma, não se esqueça de divulgar o do Aloysio Nunes Ferreira, do Fernando Gabeira e do José Serra (que pertenceu ao grupo Ação Popular).
    P.s.: Não acho o Serra terrorista mas já que o fato de participar de um grupo armado faz com que a pessoa se torne terrorista, então o Serra deve ser incluído nesse grupo. Ou não ? É diferente a situação dele ?

    • Implicante

      29 de março de 2012 at 12:36

      (andremc:
      – Quem está comparando exilados com torturadores é você. Eu prefiro equiparar os torturadores a, por exemplo, quem explodia bombas e matava civis.

      – Como é que é? “A luta armada foi totalmente dizimada pelo governo” no início dos anos 70? Todos os integrantes foram torturados? Pagaram pelos erros? Você anda lendo muito os textos de PHA na Veja de 1970.

      – Nós somos CONTRA divulgar dados pessoais de quem quer que seja a fim de promover revanchismo, alexandre. Isso é comportamento de milícia. E enquanto a Lei da Anistia estiver valendo, a atuação de militantes de ambos os lados está ANISTIADA. Não faz sentido ficar discutindo a atuação de fulano ou sicrano – a menos que, por exemplo, um notório apoiador do governo militar 40 anos atrás inicie uma campanha para punir torturadores.)

  29. alexandre

    27 de março de 2012 at 20:52

    Eu defendo esses atos desses estudantes. A lei da anistia foi feita por um governo ditatorial para defender os torturadores. A maioria dos integrantes da luta armada estavam mortos. Igualar os dois lados é má fé. Me diz onde está o Marighella e o Lamarca ? E aonde está o Cel Ustra ? Os dois primeiros foram presos, condenados e julgados com a pena de morte. E o Cel Ustra e o Cel Curió ? Estão tranquilões !! Isso se chama impunidade. Só acho um absurdo e patético esse blog defender a impunidade dos torturadores !!!!

    • Implicante

      28 de março de 2012 at 06:31

      (andremc: Alexandre, estude um pouco antes de falar besteira.

      – A “anistia ampla, geral e irrestrita” era uma exigência das pessoas que combateram o regime militar, justamente para que os presos políticos pudessem ser libertados e os exilados pudessem voltar sem risco de serem processados ou presos aqui.

      – É mentira que a maioria dos integrantes da luta armada já estivessem mortos quando o país foi redemocratizado. Tanto que alguns deles até chegaram ao governo algumas décadas depois…

      – A Lei da Anistia valeu para os dois lados. Eu sou contra a revisão dela, mas o que os “progressistas” estão fazendo é muito pior. E se alguém resolvesse começar a divulgar endereços e telefones e formar milícias para pichar as casas de gente que sequestrou, roubou e praticou terrorismo naquela época E ESTÁ AGORA NO PODER?)

  30. David Nobrega

    27 de março de 2012 at 17:12

    Eu estava escrevendo aqui sobre PHA mas desisti. Não vale o esforço.

  31. Gabriel Birkhann

    27 de março de 2012 at 17:46

    O texto sobre os cães de guarda está no arquivo do dia 25,pelo o que eu pude constar.

    • Implicante

      27 de março de 2012 at 23:17

      (andremc: eu tentei 2 links diferentes e não achei, se você tiver um que funciona sem ser o do cache do Google, poste aqui que eu corrijo o texto sem problemas)

  32. Thiago Hart

    27 de março de 2012 at 16:16

    A polícia deveria ir atrás deste sujeito. Por incentivar um crime: pichação. Seja contra o patrimônio privado (casa do sujeito) seja contra o patrimônio público (nas calçadas). Então vamos fazer assim, que tal estender um cartaz gigante na frente do Alvorada com os seguintes dizeres: Cuidado! Aqui mora uma terrorista!! Claro que não faremos isso, somos diferentes, somos melhores. Mas que dá vontade, ah isso dá…
    @ThiagoHart

  33. Tea Party

    27 de março de 2012 at 16:10

    Podiamos iniciar a campanha: “Aqui mora um terrorista” jogando tinta vermelha neles.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top