facebook
...
Blog

Policiais em greve interrompem fiscalização na Ponte da Amizade

Reportagem do portal G1:

Com a proibição das operações-padrão, policiais federais, rodoviários federais e servidores da Receita Federal decidiram usar o efetivo mínimo necessário para a fiscalização da fronteira do Brasil com o Paraguai. desde segunda-feira (20), ninguém é parado pela polícia na Ponte da Amizade e apenas as fiscalizações da Receita, feitas por amostragem, tem sido efetuadas.

Segundo o sindicato dos Policiais Federais do Paraná (Sinpef-PR), apesar da greve, a segurança na fronteira entre o Brasil e o Paraguai, na Ponte da Amizade, não será alterada. Atualmente, seis policiais são os responsáveis pelo controle de entrada e saída de pessoas. Contudo,

O efetivo, de acordo com a delegada sindical Bibiana Orsi, é o que normalmente está destinado pela Delegacia da Polícia Federal para a região. Orsi concorda que o número de policiais na fronteira mais movimentada do Brasil é pequeno.

Contudo, ela afirma que o sindicato não pode deixar que outros agentes sejam deslocados para o posto na Ponte da Amizade, devido à ordem judicial que proibiu as operações-padrão durante a greve. “Acreditamos que o ideal seria entre 20 e 30 policiais
para fazerem a fiscalização correta na Ponte, mas se isso for feito agora, a Justiça pode entender que estamos tentando fazer uma nova operação-padrão”, diz.

Conforme a delegada, a greve da PF, em Foz do Iguaçu, paralisou as atividades da delegacia. O comando de greve deslocou os 30% de funcionários que precisam continuar trabalhando para cuidarem também da fronteira com a Argentina e do aeroporto.

PRF só atende emergências

Na Polícia Rodoviária Federal, os grevistas decidiram atender apenas aos casos que consideram emergenciais. Com a greve, dois policiais estão cuidando da região de fronteira. Paulo Mileski, delegado sindical na região, também reclama da falta de efetivo para garantir mais fiscalização. “A gente lamenta não poder atender de forma efetiva o cidadão brasileiro”, pontua Mileski.

Já a Receita mantém os 10 funcionários que habitualmente trabalham na Ponte da Amizade. Todavia, a fiscalização feita por eles é baseada em amostragem. Dessa forma, apenas 10% dos veículos que trafegam na região são vistoriados em busca de mercadorias contrabandeadas do país vizinho.

(…)

(grifos nossos)

Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 50% OFF (com desconto máximo de R$ 20) em 3 corridas.

Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top