Blog

Prédios do Minha Casa Minha Vida no RJ terão que ser demolidos

Conjunto habitacional Zilda Arns, em Niterói, nem foi entregue e já está condenado; Governo gastou R$ 19 milhões na obra

Minha-casa-Foto-Fabio-Motta-AE

Matéria do jornal O Globo:

Dois prédios de um conjunto habitacional do programa Minha Casa Minha Vida em Niterói, no Rio de Janeiro, que ainda não foram entregues, estão com graves problemas estruturais e terão de ser demolidos e posteriormente reconstruídos. A confirmação foi feita nesta quinta-feira, pela Caixa Econômica Federal.

Na quarta-feira (20), o programa RJTV, da Rede Globo, exibiu cenas de paredes dos dois blocos condenados com enormes rachaduras e paredes desalinhadas.

O conjunto habitacional Zilda Arns II, com nove blocos e 371 unidades habitacionais, é destinado a pessoas desabrigadas e que vivem em áreas de risco na cidade, segundo a prefeitura de Niterói. Entre elas, estão sobreviventes dos deslizamentos de terra do Morro do Bumba em 2010. Essas famílias estão abrigadas no 3º Batalhão de Infantaria em São Gonçalo (RJ) há mais de dois anos, aguardando a conclusão das obras.

Os dois blocos condenados têm 40 unidades habitacionais cada. O valor total contratado para o empreendimento Zilda Arns II é de quase R$ 21,9 milhões. Do montante, foram liberados perto de R$ 19 milhões e o índice de conclusão da obra é de 88,68%.

A Caixa, responsável por repassar os recursos para o empreendimento, diz ainda não ter prazo para a reconstrução dos dois blocos. Por meio de sua assessoria de imprensa, o banco afirmou que aguarda conclusão de laudos técnicos para informar a situação de segurança dos outros sete blocos do conjunto Zilda Arns II. Para o conjunto Zilda Arns I, de 83 apartamentos, o prazo de entrega foi mantido para abril deste ano.

(grifos nossos)

Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 50% OFF (com desconto máximo de R$ 20) em 3 corridas.

6 Comentários

6 Comments

  1. Bruno Bastos

    12 de março de 2014 at 09:46

  2. Tarcisio Lucena da Costa

    6 de março de 2014 at 07:16

    NAO FOSSE, MEU SUADO E ABUSIVO INPOSTO, DIRIA: DANE-SE. MAS, O ORGAO FINANCIADOR DESTES RECURSOS, PRECISA CHAMAR, UM BENZADOR,UM PASTOR, UM RABINO, E ATE UM MULA (PASTOR MUCULMANO) PARA AFASTAR A INGRISIA,QUE SE ABATE, SOBRE OS ENPREENDIMENTOS OFICIAS.. NAO TEM INPOSTO NO MUNDO, QUE AGUENTE UMA CORRUPCAO DESTE PORTE, TAO POUCO,GFERADORES DE INPOSTOS.

  3. Ivanilson

    2 de março de 2014 at 08:41

    Bom dia!
    Uma correção precisa ser feita: Essa matéria é do ESTADÃO e não de OGLOBO (para confirmar, basta seguir o link).

  4. DIMAS

    1 de março de 2014 at 19:19

    NEM PRECISA TER MUITO CONHECIMENTO,DA PRA FAZER COM METADE DESTE DINHEIRO E AINDA COLOCANDO FERRO,AS OBRAS DO GOVERNO TODAS SÃO FRAUDES,E É PORQUE QUEM CONTROI É FIRMA DO POLITICO E SUPERFATURADO,A JUGADA É SIMPLIS OI MINISTERIO PUBLICO NÃO FAZ NADA TALVEZ É POR NÃO SER AUTORIZADO A FAZER.

  5. Thiago

    1 de março de 2014 at 18:00

    Algumas perguntas:
    1) Quem fiscalizou a obra?
    2) Só notaram os problemas praticamente no final da obra?
    3) É alguma tramoia para matar os pobres que iriam morar nestes prédios em algum desabamento trágico e “não previsto”?
    4) As famílias já estão esperando a 2 anos, quanto tempo mais terão que esperar?
    Por enquanto são só essas…

  6. Markus Hermann

    1 de março de 2014 at 13:28

    Eu sou engenheiro eletricista, não eng. civil, nem arquiteto, mas essas paredes não deveriam ter colunas? Que insanidade de alvenaria estrutural é essa p*** aí?!

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top