facebook
...
Blog

Segundo o MEC (e isso é sério!), 10 – 4 = 7

Um livro aprovado pelo MEC ensinava língua portuguesa com alguns erros e isso gerou intenso debate. Agora, a álgebra também leva bordoadas do Ministério. Leiam trecho de reportagem do Estadão, depois voltamos:

MEC gasta R$ 14 milhões para imprimir 7 milhões de livros e ‘ensinar’ que 10 menos 7 são 4 – 1,3 milhão de alunos receberam materiais com erros; ministro da Educação pediu abertura de sindicância para apurar quem são responsáveis pela falha – BRASÍLIA – O Ministério da Educação pagou R$ 13,6 milhões para ensinar que dez menos sete é igual a quatro a alunos de escolas públicas da zona rural do país. No segundo semestre de 2010, foram distribuídas com erros graves 200 mil exemplares do Escola Ativa, material destinado às classes que reúnem alunos de várias séries diferentes. Foram impressos ao todo 7 milhões de livros – cada coleção do Escola Ativa contém 35 volumes. Os erros foram detectados no início do ano, e um grupo de especialistas contratados pelo ministério julgou que eles eram tão graves, tão grosseiros e tão numerosos que não bastava divulgar uma “errata” à coleção. Os livros com erros foram distribuídos a 39.732 classes multisseriadas da zona rural, presentes em 3.109 municípios e todos os Estados do país. Segundo publicação do MEC, essas classes atendem 1,3 milhão de alunos. (grifos nossos)

Comentário
Provavelmente a matemática deve ter algum ramo oposto à álgebra tradicional – como, no Português, a lingüística está para a gramática normativa. Ou então foi mesmo erro do MEC, como sempre. Mas ainda aposto na capacidade de malabarismo verbal dos petistosféricos.

Pela lógica, essa seria a desculpa: “se tanta gente faz conta assim, não é adequado dizer que estão todos errados, pois isso apenas alimenta o PRECONCEITO MATEMÁTICO”. Aguardemos.

Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 50% OFF (com desconto máximo de R$ 20) em 3 corridas.

7 Comentários

7 Comments

  1. francisco ramos

    26 de outubro de 2011 at 19:32

    QUAL É A IMPLICÂNCIA DESTA VEZ? DEZ UNIDADES MENOS QUATRO UNIDADES NÃO SÃO, DE

    FATO, SETE UNIDADES? GENTE ! ISTO É APENAS ARITMÉTICA. CHEGA DE IDEOLOGIA BABACA !

  2. Thiago

    6 de junho de 2011 at 02:41

    Hum…
    Já foram os de História, Português e Matemática… agora falta os livros de Geografia! Qual será o erro? Vão tirar o Acre do mapa do Brasil e comprovar que este não existe? Vão assumir que a capital do Brasil é Buenos Aires? … >_<

  3. Cleusa

    5 de junho de 2011 at 09:27

    Pobre das nossas crianças à mêrce da incompetência daqueles q elegemos prá zelar pelo povo.
    Sinto uma tristeza tão profunda que dá vontade de chorar.
    Quando era criança ouvia dizer que éramos o país do futuro. O futuro chegou e continuamos patinando na educação. Um monte de países já equacionaram ( perdão pelo trocadilho) a questão da educação e nós vamos perder outra geração.
    Meu netinho de 1 ano vai pensar o quê do país dele?

  4. Nélio

    4 de junho de 2011 at 18:17

    Acham pouco? Estão com pena? Esperem… o ENEM/2011 vem aí!

  5. flaviomorgen

    4 de junho de 2011 at 14:24

    Como disse o @braziu, “porque a escola tem que ensinar a matemática normativa e a matemática popular, néam?”

  6. r0gerx

    4 de junho de 2011 at 09:33

    É com essa mesma matemática que nossos queridos governantes explicam os casos de enriquecimento ilícito, despesas em cartão corporativo, propina, desvio público, entre outros.

    Até que enfim eles estão ensinando a próxima geração a entender o idioma, a lógica e porque não a forma nada euclidiana de geometria, na arquitetura e na construção de escândalos públicos?

    Com esse método errático e eficaz nossos filhos compreenderão o Brasil em sua forma esquisita de ser.

    Eh…

  7. Guilherme A Casarotto

    4 de junho de 2011 at 09:17

    Provavelmente as contas do Palocci são fruto dessa matemática.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top