facebook
...
Blog

Só vai dar “gente diferenciada”! *

O assunto do dia ontem nas redes sociais foi o cancelamento da construção da estação de metrô em Higienópolis. Para se ter uma idéia, o artigo do Flávio sobre o tema ultrapassou em quatro horas nosso texto mais lido nos últimos trinta dias. O tal churrasco de protesto, criado por um fotógrafo do portal Terra e militante petista internético, alcançou 38 mil “participantes virtuais” em menos de um dia.

Tudo começou com a notícia de que o governo havia desistido de criar novo ponto de metrô no bairro, em local servido por outras quatro estações num raio de 600m. A matéria (que no próprio título induz o leitor a acreditar que o cancelamento foi motivado por um abaixo-assinado com 3500 assinaturas), somada a uma coluna tristonha de Fernando Canzian no site do jornal, deram a senha aos nossos progressistas de notebook: “vamos denunciar esse preconceito”! Subitamente, 150 milhões de treinadores de futebol se tornaram urbanistas de mão cheia.

Havia também link para uma reportagem do ano passado de James Cimino, que usava uma moradora do bairro entrevistada como exemplo do grupo que organizou o tal abaixo-assinado, contra a chegada de um “público diferenciado” a Higienópolis. O mesmo James Cimino, curiosamente, assina outra reportagem na Veja-SP onde se gaba do termo cunhado pela sua entrevistada ter alcançado a fama e desmente a informação de que o abaixo-assinado teria motivado o cancelamento.

Por mais que o protesto parecesse muito justo e correto, alguns se perguntaram por que tanta mobilização por um tema obscuro, que perde em escala de importância para as carências da maioria dos outros 104 bairros da cidade. A resposta é bem simples: a notícia aglutinou o ódio a três “inimigos” que são verdadeiras taras dos esquerdistas em geral e petistas em particular:

  • os ricos, que seriam absolutamente todos os moradores de Higienópolis, descendentes dos escravocratas, elitistas que só querem torturar suas empregadas domésticas fazendo-as andar duas ou três quadras a mais para pegar o transporte público na volta pra casa.
  • os tucanos, representados pelo governo e o Metrô, que na verdade estariam “legislando em causa própria” ao cancelar a futura obra porque não querem gente pobre e feia no “seu” bairro.
  • os judeus, grandes vilões das causas progressista-terroristas mundo afora, historicamente habitam o bairro dos ricos e tucanos.

O resultado não foi exatamente bonito:

Muita gente embarcou inocentemente na forma mais light que essa mobilização acabou tomando, o tal churrasco (que não passa de manifestação política petista disfarçada de deboche) marcado para o próximo sábado. O sentimento de vergonha alheia ao ver amigos entre os 38 mil “diferenciados” clicando, curtindo, comentando, compartilhando aquilo foi inevitável.

(…) promoveremos agora um churrascão em frente ao shopping Higienópolis para mostrar que os ricos não chegam aos pobres, mas os pobres sim, facilmente chegam aos ricos.

Leve farofa, carne de gato, cachorro, papagaio, som portátil, carro tunado e tudo o que sua consciência social permitir. Afinal, a rua é pública e o Higienópolis não está separado por muros.

Será que só eu percebi o ridículo de se protestar contra um suposto elitismo dos habitantes do bairro usando estereótipos tão rasteiros e ofensivos aos mesmos pobres que eles dizem estar defendendo? Ademais, é justo pinçar uma fala infeliz de uma transeunte para usar como exemplo do pensamento de todo um bairro?

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=kJY7nWJCk3c&feature=related[/youtube]

Reflitam, amigos progressistas! É assim que vocês querem acabar?

 

* o título do post é uma homenagem ao finado blog Coisas de Idiota.

Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 50% OFF (com desconto máximo de R$ 20) em 3 corridas.

19 Comentários

19 Comments

  1. Renato Lira

    14 de maio de 2011 at 23:13

    Tá certo que antissemitismo é podre e idiota.

    Mas preconceito de classe também é.

    E as manifestações de alguns moradopres foi preconceituosa mesmo.

    Então não há santo nesta história.

    Ambas merecem repúdio.

    Como também estranho a intenção do autor do post em direcionar aos esquerdistas em geral e aos petistas em particular a “culpa” pela reação das pessoas e, em especial, por comportamentos antissemitas.

    Sinto que o autor foi intencionalmente direto nos petistas.

    Por que será?

    Será que o autor quer agora acusar os petistas de “antissemites”, além de “baderneiros virtuais”.

    Não está sendo um tanto precipitado este veredicto do autor?

    Aliás, saiba o autor que antissemitismo não é exclusividade da esquerda. Talvez o autor não ouviu falar do fascismo, do nazismo, de Adolf Hitler. Não eram, definitivamente, “de esquerda”. Houve algum regime tão antissemita?

    E que não confunda também antissemita com anti-sionista. Pois são duas coisas diferentes.

    Porém reconheço que a maioria das manifestações são de cunho antissemita, feita por idiotas. De esquerda, direita, centro e que nem sabem o que são também.

    Sugiro ao autor um pouco de calma antes de fazer ilações precipitadas.

    • flaviomorgen

      15 de maio de 2011 at 12:23

      Apenas em continentes que viveram bem longe das ditaduras européias e ainda têm uma nostalgia irreal com essas ditaduras (desde que de esquerda) é que se pode afirmar que o fascismo e o bolchevismo não são gêmeos embrionários. Na Europa, qualquer pessoa é capaz de afirmar isso, tanto à esquerda (como Hermann Hesse) quanto à direita (como Peyrefitte) quanto mesmo no centro (como Hannah Arendt). O nazi-fascismo é derivado direto do marxismo. Sua organização social é praticamente idêntica. O anti-semitismo foi amplamente praticado na U.R.S.S. (mesmo que o tzar também o fosse anti-semita – a Revolução não produziu esse avanço) e endossado até mesmo por Karl Marx, um judeu. Para entender mais a ligação clara entre marxismo e nazismo (com o seu anti-semitismo), sugiro esse texto de Besançon: https://www.endireitar.org/site/artigos/socialismo-comunismo/456-memoria-nao-retem-atrocidades-do-comunismo

  2. João

    13 de maio de 2011 at 15:25

    “Vem cá, não tão pegando no pé da moça que tá detonando os nordestinos – e com razão? Por que não pegam no pé dos antissemitas do Twitter?”

    Porque contra judeus sempre há desculpas esfarrapadas para classificá-los como supostos algozes que fazem por merecer e coisas do tipo. Esse babaca que fala em “judeuzada folgada” não é nem um pouco “menas pior” do que a moça que fez piada pedindo que matassem nordestinos. Mas vai passar batido.

  3. Paulo

    13 de maio de 2011 at 10:52

    O engraçado é que essas picuinhas vão tomar lugar na mídia justamente quando o que deveria estar sendo falado é a divulgação dos arquivos do computador do Raul Reyes, das farc, ligando esse grupo terrorista a toda a esquerda latino americana, com enfase ao Hugo Chavez, Rafael Correa e Lula e PT.

  4. Paulo

    13 de maio de 2011 at 10:45

    Perguntem a todos os que estão protestando: se eles pudessem escolher onde morar, escolheriam Higienopolis ou outro bairro qualquer da periferia?

  5. Georgeumbrasileiro

    13 de maio de 2011 at 09:54

    Em tempo, Felipe, antissemitismo existe realmente e é lamentável, mas tb não pode virar tabu falar mal de suas condutas. Falo com conhecimento de causa; em matéria de racismo e preconceito, judeus em sua grande maioria, salvo honrosas exceções, são o roto falando do rasgado. Lobo em pele de cordeiro. Racismo e preconceito camuflados em forma de ‘tradição’.

  6. Georgeumbrasileiro

    13 de maio de 2011 at 09:46

    Sigo curioso, André. Amanhã será um dia interessante. Ou não.
    Agora, o Raul toca num ponto interessante. Tenho uma postura menos ‘reaça’ que a linha editorial do Implicante, meti Dilma na urna, mas me considero longe de ser petista, ou anti-tucano por assim dizer.

    O fato é que historicamente sempre houve podridão por todos os cantos e o PT ascendeu como o partido salvador da pátria, porém rapidamente provou ser farinha do mesmo saco.

    Essa fiscalização virtual que vocês fazem é sem dúvida um belo trabalho, mas a linha editorial da ‘parada’ dá a entender que a idéia é criticar o governo ‘ponto’.

  7. Felipe Flexa

    12 de maio de 2011 at 21:58

    Vem cá, não tão pegando no pé da moça que tá detonando os nordestinos – e com razão? Por que não pegam no pé dos antissemitas do Twitter?

  8. Raul

    12 de maio de 2011 at 19:36

    André, confesso que não li a matéria da Veja com real motivo da retirada da estação do planejamento, o que não sou engenheiro para concordar ou discordar.
    Minha argumentação também é bem rasa, devo dizer.

    Sobre a foto do Serra, uma pedrada em telhado alheio, realmente.
    O “protesto” (duvido que chegue a acontecer algo de fato) seria melhor sucedido se não tivesse começado por aí.
    E sobre malabarismos, acredito que não tenha me expressado corretamente.
    Acho uma pena vocês atacarem apenas o PT (acredito que já li em algum ligar por aqui que deixa isso bem claro, salvo engano). Todos os lados da política tem seus problemas.
    Mas vocês fazem um excelente trabalho, que poderia ser melhor ainda se não fosse isso.

    Abs, Raul

  9. Igor Fediczko

    12 de maio de 2011 at 19:33

    Concordo em grau, número e gênero com você.

    A luta de classes foi fetichilizada com a chegada da internet, e existe um véu em cima de tudo, onde achamos (e me incluo também) que podemos criticar tudo e todos.

    Rico é feio, rico é mal, rico é chato.

    Me diga UM problema em ter um metrô NA PORTA do Pacaembú? Depois, é só arranjar uma MALDITA liminar liberando os shows lá. Todo mundo chegando de metrô no show do U2, indo embora de metrô no show do U2.

  10. Gravatai Merengue

    12 de maio de 2011 at 19:16

    Acho que o george considera irônica a situação: eles pretendem defender os pobres, mas cometem as generalizações clássicas na hora de dizer como (os pobres) são

  11. Georgeumbrasileiro

    12 de maio de 2011 at 16:18

    Será que só eu percebi uma certa ironia no ridículo de se protestar contra um suposto elitismo dos habitantes do bairro usando estereótipos rasteiros e ofensivos aos mesmos pobres?

    • andremc

      12 de maio de 2011 at 16:47

      George, dá uma conferida no texto de apresentação do “evento” no facebook e conclua se o rapaz tentou (ou ao menos tem capacidade para) usar algum tipo de ironia.

  12. Raul

    12 de maio de 2011 at 15:29

    Malabarismo anti-pt: “que não passa de manifestação política petista disfarçada de deboche”.
    Antes de ser acusado de ser petista: Não sou petista e nunca serei – da mesma forma que não sou tucano e nunca serei.

    Quanto mais estações de metrô, melhor para todos.
    A distância entre a estação Consolação e a Trianon-Masp é de 800 metros, aproximadamente. Indo da esquina do Pão de Açúcar até a futura estação Mackenzie dá aproximadamente, também 800 metros. Não é porque tem estação na região que não pode ter outra.

    • andremc

      12 de maio de 2011 at 15:45

      Raul, você leu a matéria do Cimino na Veja-SP? A justificativa pro cancelamento é técnica!

      Sobre malabarismos, como você justifica o pessoal que criou o churrasco ter usado uma foto do SERRA – que mora em Pinheiros, diga-se de passagem – no flyer do “evento”?

  13. João

    12 de maio de 2011 at 15:02

    Bem mais ricos, os Jardins, onde vive dona marta Smith de Vasconcellos, precisam mais de metrô do que Higienópolis. Mas lá não tem projeto de estação nem convocação de churrascão. O da foto com Serra, aliás, foi em Nova Iguaçu. Para lá, o proletariado do twitter não vai…

  14. Rico Ferrari

    12 de maio de 2011 at 14:50

    Trinta e oito mil “curti” pro esclarecimento da morte do Celso Daniel não tem, né?

  15. João

    12 de maio de 2011 at 14:37

    ““Leve (…) papagaio (…) e tudo o que sua consciência social permitir.” Podiscrê, Coisa de Idiota é isso aí.

  16. Sol Moras Segabinaze

    12 de maio de 2011 at 14:13

    É por aí.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top